14 de janeiro de 2012

O nevoeiro

Hoje de manhã, quando saí de casa, o tempo estava assim:


Apesar do frio, que me tira a sensibilidade nos dedos e na ponta do nariz, adoro correr quando está nevoeiro. O facto de não conseguir ver a mais de 20 metros à minha frente diminui o cansaço mental que às vezes sinto quando vejo os quilómetros de caminho que ainda tenho de percorrer. Assim, cada passo é uma descoberta.
Claro que não corro em zonas isoladas nem, em contrapartida, em zonas de demasiado trânsito onde poderia não ser vista por algum condutor. Ser raptada ou atropelada tiraria toda a magia a uma manhã de nevoeiro, como devem calcular.

Tenho a sorte de viver perto de uma zona verde, de passeio, onde se vê sempre gente a correr e a andar de bicicleta e outros malucos que acordam cedo a um sábado de manhã e saiem dos lençóis quentinhos dispostos a enfrentar uma hipotermia. A sério, até fiquei com geada nas minhas calças. Só não vos mostro uma foto porque tive uma manhã com efeito sexta-feira 13 atrasado e fiquei sem bateria no telemóvel mal tirei a primeira fotografia. Boa. Depois, mal tinha corrido 100 metros, fiquei sem bateria no mp3. Fixe.

Além disso, hoje a corrida não foi das melhores e tive de parar algumas vezes para caminhar. Sei que nem sempre se pode ter bons treinos, mas eu fico mesmo irritada quando me mato para fazer a mesma distância que anteriormente já fiz com facilidade. Como é que é possível haver dias em que corro oito, nove quilómetros e sinto-me bem e outros em que ao terceiro quilómetro já estou com os bofes de fora?
Dizem que a corrida é um exercício muito mental e eu estou de acordo. Fisicamente o nosso corpo vai ganhando resistência, e sabemos que somos capazes de correr determinada distância porque já o fizemos antes, mas nem sempre a cabeça ajuda. Às vezes é uma luta interior durante toda a corrida, para me obrigar a continuar, outras vezes quase que estou em piloto-automático e nem vejo os quilómetros a passar. Rimou e é verdade.

Como hoje almocei sozinha, o almoço foram sobras do jantar de ontem. Além disso, cheguei com os dedos enregelados do frio e por isso estava impossibilitada de cozinhar. Óbvio.
Grão com bacalhau. Cozi um ovo e juntei pepino. Feito.

Bom fim-de-semana!

Sem comentários:

Enviar um comentário