23 de fevereiro de 2012

Carta à corrida

Querida corrida,

Sabes bem que a nossa relação nem sempre foi fácil e muito por culpa tua. És uma companheira instável, mimada e imprevisível.
Já vivi contigo os melhores dos momentos, alturas em que estar contigo é tão fácil e natural que imagino um futuro a dois e felizes para sempre. Para, logo no encontro a seguir, me deixares de rastos, insegura, a duvidar das minhas capacidades.
No entanto, basta abandonar-te uma semana para notar que ficas despeitada comigo, tornas-te difícil e é quase impossível manter o teu ritmo. Não gostas quando te abandono por outras actividades, mesmo que te assegure de que és a minha preferida e que nunca te iria trocar. Quero que saibas que a bicicleta, a natação, caminhada, são tudo actividades que apenas me vão tornar melhor para ti. És exigente e quero estar à tua altura.
Não é surpresa para ninguém que te adoro mais que tudo. Aliás, fazes-me tão feliz que faço questão de que toda a gente o saiba, família, amigos, mundo virtual e até um ou outro desconhecido que apanhe a jeito na paragem do autocarro ou na fila das finanças.
Tudo me lembra de ti. Às vezes dou por mim numa esplanada a apanhar sol e a pensar como seria bom ter ali os meus ténis e encontrar-te ao longo do calçadão, só eu e tu ao pôr-do-sol. Ou numa serra verdejante com trilhos a serem descobertos contigo.
Mas também sei como consegues ser cruel, por isso, este ano, tenta ser mais meiga. Este teu amor-ódio desgasta-me, quero consolidar uma relação amena, de confiança. Os nosso últimos dois encontros foram tão especiais que quero pensar que é desta que tudo vai ser perfeição, que vais ser o vento sob os meus pés e que as duas vamos ser invencíveis.
Estou a contar contigo, não me desiludas.

Sempre tua.

3 comentários:

  1. ai...acho que vou chorar
    que dedicatória mailinda :D

    ela tb te ama... lol

    beijinhos ****

    ResponderEliminar
  2. Estás perdoada :P

    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  3. :) onde é que eu já ouvi isto? donde conheço esta relação difícil? é como tudo, se não nos entregamos de alma e coração, não há relação que resista... mas enquanto nos der prazer, é continuar!

    ResponderEliminar