3 de fevereiro de 2012

O dia em que me tornei uma corredora



Não sou rápida, aliás, corro mais devagar do que algumas pessoas andam.

Não tenho um Garmin nem qualquer outro relógio xpto que conte os quilómetros, calorias, batimentos cardiacos, pausas para café, etc.

Não tenho quase nenhum equipamento de marca e acho que uma t'shirt velha com, possivelmente, dois ou três buracos é considerada uma t'shirt "respirável" e é uma peça completamente viável para correr. E pode ser combinada com umas calças com borbotos e estou pronta para ir treinar. (Sou assim, muito fashion).

Não tenho um par de ténis para cada tipo de asfalto.

Não frequento um ginásio.

Não tenho um corpo perfeito e tonificado.

Não tenho espírito competidor.

Dificilmente alguma vez irei ganhar alguma coisa.



Mas sou uma corredora porque um dia cheguei tarde, estava cansada, stressada, não tinha o jantar feito, tinha roupa para lavar mas, a primeira coisa que fiz foi calçar os ténis e sair para correr.
Tudo o resto podia esperar, naquele momento era só eu e o caminho. Precisava daquele momento.

Continuo a precisar.

Por causa desses momentos, há muito que deixei de arranjar justificações para não correr, mas encontro facilmente várias para o fazer.

E porque se não corro, sinto falta.

Porque gosto.


Porque mesmo que um dia corra a voar, tenha um garmin, roupa de marca, treine quase todos os dias, combine o equipamente desportivo por cores, vá ao ginásio e tenha o corpo ideal, se sair para correr e não voltar com vontade de repetir e fazer melhor, é porque já não sou.



Bom fim-de-semana!

*Vão correr *

Sem comentários:

Enviar um comentário