7 de março de 2012

Sem pressões

Para começar, e porque fiquei aguada (como as crianças) com tantas receitas de feijão que vi ultimamente na blogosfera, para o almoço de hoje fiz uma salada de feijão.


Ficou apenas "boazinha", não estava muito inspirada.

Depois, para me compensar do prato pouco satisfatório, para sobremesa comi uma fatia de bolo brigadeiro um abacate!

Aqui está a prova!

Resolvi dar mais uma hipótese ao abacate, até porque ainda tinha cá um, que estava a ficar demasiado maduro, e não queria ter de deitá-lo fora (ou pô-lo na minha cara). E a seguir comi a fatia de brigadeiro.

Como o "abacate" :) é uma sobremesa demasiado calórica, ao fim da tarde fui correr.


Treino de hoje:

5km - ritmo lento

Corri "nua", ou, como quem diz: "sem relógio".

Seguindo o conselho de quem percebe mais do que eu, quis fazer um treino mais levezinho, sem pressões. Tenho de confessar que, de facto, sinto as minhas pernas cansadas e, embora não goste, às vezes é preciso diminuir o ritmo para evoluir. Pode parecer ridículo mas, na minha cabeça, penso que se tiver parada mais do que dois ou três dias vou perder toda a resistência que conquistei até agora. Sei que não tem qualquer sentido e, há uns tempos, até li um artigo na Runner's World que dizia que a nossa performance só começa a ser afectada depois de uma pausa de mais de duas semanas (Mas eu continuo desconfiada!). Até o meu pai, que costumava correr Meias-Maratonas quando era mais novo, me disse que antes de uma grande prova até convém diminuir o ritmo de treino, progressivamente, dias antes, para depois corrermos "mais frescos". Embora tudo me pareça muito bem em teoria, não consigo deixar de ficar preocupada de que todo o esforço vá para as urtigas se tiver de parar vários dias. Enfim!

Tudo isto para dizer que hoje não controlei tempos nem quilómetros (sei que foram mais ou menos 5km porque é um percurso que costumo fazer) e que foi melhor assim. Corri bem devagarinho e sei que se tivesse olhado para o relógio e visto a velocidade média num número que não me agradasse ia querer correr mais depressa e não era esse o objectivo.

Sendo assim, sem relógio para olhar de 5 em 5 minutos, apreciei as vistas.




Ainda tentei convencer estes amigos a juntarem-se a mim, mas eles não estavam para aí virados.


Confesso que comecei a sentir-me intimidada com os olhares fixos em mim.


Não foi preciso dizer duas vezes. Afinal, eu vi Os Pássaros, de Hitchcock , quando era pequena.


Este ainda me acompanhou durante uns segundos mas, como fingi que não era comigo, foi preparar o seu ataque mortal para outro lado.

A anoitecer.
A lua-cheia!


E eis que, chego a casa, e me deparo com um email com este conteúdo:


Como é que se chamam estas coisas e porque é que ainda não estão dentro da minha boca??!


Pois que esta imagem foi um anexo enviado por um amigo, claramente sádico, que me disse que estas "coisas" são gomas cobertas de chocolate e a 8ª maravilha do mundo moderno. GOMAS + CHOCOLATE = Morri e fui para o Céu.

Depois de uma rápida pesquisa apercebi-me de que estas miniaturas de perfeição são muito fáceis de fazer em casa e resolvi que vou experimentar. Depois aviso para que não venham ler o blogue e assim possam evitar ser tentados.


Quem é amiga, quem é?



- Mais alguém tem dificuldade em saber quando "abrandar"?
- Qual a guloseima a que não resistem?

3 comentários:

  1. Quando corres "menos" num dia, sentes te com muito mais energia na prox vez. isso é msm vdd, vais ver! :)

    O teu almoço parece óptimo... e o que não resisto: gelados... se for com crepes então... ui!

    beijinhos :)

    ResponderEliminar
  2. Eu tenho imensa dificuldade em saber quando abrandar, mesmo em relação à vida em geral, porque ando sempre super speedada (expressão lá de casa usada normalmente para me descrever) :P

    Guloseima a que não resisto: Cheesecake! e poveiros :D

    No fundo o meu namorado é um typical Mr. Darcy :P

    E sim, o Hamlet serviu de base ao Rei Leão, mas é claro que as únicas semelhanças são: o pai do Hamlet morre, foi o tio do Hamlet que o matou e o pai vem falar com ele do além (mas não diz nada parecido com 'Simba lembraaaaaa-te quem ééééés') De resto, o Hamlet tem uma nítida perturbação da personalidade e está com uma bruta depressão :P

    Beijinhos!

    P.S: queres abanar a cabeça outra vez? Não gosto de gomas! xD (mas sim, sempre fui uma criança feliz) :P

    ResponderEliminar
  3. Obrigada pelo elogio: eu de facto, perceber percebo, difícil mesmo é aplicar a coisa na prática e em mim mesma!

    Pois fizeste muito bem, um treino calminho para descontrair. E tudo o que dizes sobre a perda de forma é verdade: só se começa a perder a forma adquirida com o trabalho de meses ou anos, se realmente estivermos parados 2 semanas... e mesmo assim, essa perda é gradual, não se fica assim, como se nunca se tivesse corrido.

    Lembro-me há cerca de 11 anos, quando me divorciei e estava em excelente forma (para mim, e que era 1H36 na Meia, 1h04 aos 15, 40min aos 10km, não era mau pois não?) e dizia eu, ao divorciar-me e ficar com a filhota pequena, 4 anos na altura, e foi-me muito complicado treinar. Vivíamos as 2 sozinhas e treinar passou a ser praticamente só ao fim de semana! E sabes que essa forma que tinha se foi perdendo sim, pois claro, mas muito devagarinho? E posso dizer que ainda aguentei uns 3 ou 4 meses a correr relativamente bem? Mesmo só correndo 1 vez por semana ou pouco mais? Também note-se que a forma que tinha, tinha sido fruto de um trabalho sólido de anos.

    E o teu pai tem toda a razão: na semana da prova deve-se abrandar. Porque o trabalho que se preparou para essa prova, já está todo feito até 1 semana antes da prova. Tudo o que se faça nessa semana, já não vai adiantar nada, pode é até desgastar-nos. Deve-se correr sim, mas sabendo que já não estamos a melhorar a forma para a prova, deve ser sim, uma semana do tal descanso activo.

    Beijinho e ..... vou ver-te nas Lezírias?

    Ana

    ResponderEliminar