27 de abril de 2012

Tempo ou vontade?

Treino de hoje:
Final da tarde
Distância: 5km (jogging)
Tempo: 35:05

Hoje estava um bocado de vento e havia no ar muitas daquelas coisas brancas que algumas árvores deitam e que parece algodão, sabem o que é? Aquilo é terrível porque estamos a respirar e enfia-se pelo nariz e pela boca. Eram tantas coisas dessas que em alguns cantos, no chão, parecia neve.
Tenho sentido as pernas um pouco cansadas, por isso fui sempre devagarinho, embora no fim tenha tentado reproduzir a minha épica marca de 5.15m/km, de quarta-feira. E pensar que este número é praticamente um jogging para muitos corredores... Insane!

Depois do treino, em que tentei ir quase sempre sobre relva ou terra batida, para variar um bocadinho e o impacto não ser tão grande, passei pela frutaria para comprar fruta (que havia de ser?) antes de voltar para casa para a minha reclusão forçada pelo trabalho. De resto, é já habitual eu ir directamente depois dos treinos à frutaria ou mercearia, o que os restantes clientes e os funcionários tenho a certeza que adoram.

Aproveitei este pequeno treino para fazer uma pausa entre trabalhos, porque hoje vou ter de ficar a trabalhar noite fora (não estão invejosos da minha noite de sexta socialmente activa?) e assim ao menos sempre fiz um bocadinho de exercício e pode ser que consiga terminar a noite sem me apetecer partir o portátil à marretada. Vamos ver como corre.


Exercício: ter tempo ou vontade?

Às vezes perguntam-me aqui como consigo manter-me sempre motivada, como tenho vontade e energia para correr e fazer exercício com frequência. A resposta é simples: não tenho! Há dias em que não tenho força nem vontade, e em que a última coisa que me apetece é sair de casa e o sofá atrai-me como um íman invisível... Mas, ainda assim, faço questão de arranjar tempo para o desporto.

Primeiro, ajuda que eu goste muito de correr. Mais que um hobbie, já faz parte da minha rotina. Claro que a vida não é só exercício e, às vezes, e ainda bem, a família e os amigos tiram-lhe o tempo. Outras vezes, e ainda mal, é o trabalho que lhe tira o tempo. Mas nesta fase da minha vida, sei que posso passar alguns dias sem correr, que não vou perder a vontade. Já não faço exercício porque preciso, mas porque quero. Ao início, é bom seguir um plano da forma mais rigorosa, porque qualquer distracção nos vai desviar o rumo, mas a partir do momento em que o exercício passa a fazer parte da tua rotina, já não o vais ver como um sacrifício, mas como algo que te dá gosto.

Porque é verdade.
(E também porque já estava a ficar um post com muito texto e nenhuma imagem)


A maneira mais fácil de sair para correr durante a semana, é, ao chegar a casa, nem sequer me aproximar do sofá. Dou-me uns 30/45 minutos para me equipar e sair para correr, porque sei que, se me alapar no sofá, já muito dificilmente torno a sair.
No entanto, há dias em que não me apetece mesmo tornar a sair de casa. Nesse caso, tenho de ver se isso se deve a verdadeiro cansaço ou ronha. Geralmente, quando começo a correr e me sinto cansada, continuo mais um ou dois quilómetros. Ao fim desse tempo, a maior parte das vezes as minhas pernas já aqueceram e consigo continuar. Outras vezes, encurto o treino e volto a caminhar para casa, o que sempre é melhor que nada. E há dias em que, depois de muito debate mental, acabo mesmo por nem sequer sair de casa e não faz mal, porque o corpo também precisa de descanso.

Ao fim-de-semana é diferente. Já disse por aqui diversas vezes que a minha corrida matinal é a minha preferida, e é verdade, mas isso não significa que fique sempre toda contente em acordar mais cedo num dia em que podia dormir até tarde. Há sábados em que toco "Adiar" vezes e vezes sem conta no despertador. Mas depois penso no bem que me sinto quando volto a casa depois de correr. Gosto de sair de casa com as ruas ainda semi-adormecidas, começar a correr e passar apenas por outros dois ou três corredores, o silêncio, o nevoeiro que se levanta junto ao rio e que começa a abrir conforme o sol vai subindo, voltar para trás e começar a ver um ciclista, depois outro e outro, pessoas com cães e famílias com crianças que acabaram de sair de casa e aproveitam o sol para passear. E mesmo quando no final já estou a ficar cansada, penso que ao chegar a casa vou beber o meu leite com chocolate e comer qualquer coisa deitada no sofá, pernas esticadas, a ver os Simpsons na Fox.
É em tudo isto que penso quando o sono me dá luta e a cama quentinha teima em prender-me, sobretudo em manhãs frias. E, na maior parte das vezes, levanto-me.


Agora a questão do tempo.



Esta semana, de mais trabalho, foi muito mais difícil organizar-me, mas é também nestas alturas que sinto mais falta de sair para correr. Como o faço ao ar livre, sempre é uma oportunidade de um momento de relaxe, quando há um bloqueio na produtividade e achamos que já não estamos a adiantar trabalho nenhum. E nem é preciso gastar muito tempo, meia-hora basta. Desta forma, sempre apanho um bocadinho de ar e, com sorte, volto com mais vontade de pôr mãos ao trabalho (ahah quem me dera).

Claro que eu só dependo de mim, não tenho ninguém à minha responsabilidade. Não tenho filhos a necessitar da minha atenção nem horários para ter refeições na mesa. Se me apetecer jantar às 22h, janto, se me apetecer fazer um jantar que consiste apenas em tostas e queijo da serra, faço (e fiz). Tenho certamente muito mais liberdade nos meus horários do que quem tem uma família. Mas da mesma forma que arranjamos tempo para limpar a casa, tomar banho, ficar sentados a ver a novela ou, no meu caso, o Biggest Loser, também conseguimos 30 minutos diários para fazer exercício. Bastam 30 minutos e nem precisa de ser todos os dias. Comecem com 3.

Tenho uma amiga que tem dois filhos, trabalha a tempo inteiro e faz tudo em casa e mesmo assim faz questão de ir ao ginásio pelo menos 4 vezes por semana. Como ela há muitas mulheres por aí. Mulheres com trabalho, família e filhos, chatices, e que fazem exercício e algumas ainda escrevem blogues sobre isso! A verdade é que temos todos as mesmas 24horas, por isso não há desculpas.

  • Escolhe um desporto de que gostes. Nem toda a gente gosta de correr (não compreendo como é que há gente que não gosta de correr, mas a verdade é que há... Estranho), nem precisa. A tua motivação pode estar na bicicleta, na natação, na dança do ventre...
  • Vê o horário que resulta para ti e evita marcar outras coisas para essa hora.
  • Ao início vai custar e a seguir vai continuar a custar (é verdade, nada  a fazer). Mas vais sentir-te bem porque quem não desiste fica mais forte.
  • Se não te apetecer, insiste.
  • E depois insiste um bocadinho mais.
  • Quando não dá, não dá. Não fiques a remoer, amanhã é outro dia.
  • Aguenta o primeiro mês e estás perto de o tornar um hábito.






Bom fim-de-semana!




11 comentários:

  1. Tu és tão profissional a falar sobre corridas e assuntos relacionados!
    A sério,
    adoro isto!

    vais a corrida do benfica ou não? nunca me respondes a isto!!!

    beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Hello :D

    Aqui ando a por os meus comentários em dia :P

    Por acaso agora que falas no Pink Dinner, tenho a dizer-te que uma das minhas amigas (a D., que trouxe o Falafel e o Gaspacho) já fez um Pink Dinner :P Ah pois é, não sou a única tolinha do meu grupo de amigos :P

    Eu ultimamente tenho corrido mesmo pouco. Como tenho a máquina em casa e como não sou a maior fã de correr na rua (a não ser que seja lá em cima), acabo por correr só dez minutos, o que é escasso, mesmo caminhando uma hora por dia. Tenho de comprar uma passadeira agora ;)

    A tua playlist (lá em baixo) está bem fixe :) Sabes o que é que me dá mesmo ganas para correr? A Dog Days Are Over dos Florence And The Machine (ouve, é muito gira!) e a Born This Way da Lady Gaga (podemos não gostar dela, mas esta música é um hino ao amor próprio!) :D

    Beijinhos e tem um óptimo fim-de-semana :D Boa corrida amanhã :P

    ResponderEliminar
  3. eu tenho uma alergia imensa a essas coisas brancas ( n m lembro agr do nome das árvores ) fico cheia de comichão e manchas vermelhas ! q porcaria!
    normalmente o debate mental do fazer esforço ou n fazer é sempre o mais difícil de vencer ! lol mas depois lá vem o que tu dizes as lembrança da sensação boa física e psicológica do dever cumprido !
    Realmente a motivação e força de vontade são tudo, eu as vezes também penso nessas pessoas com casa e filhos e montes de coisas para tratar se eu nao tenho metade dessas responsabilidades e já me vejo aflita com o tempo e com a vontade ! ( desculpas né) se elas conseguem tudo é possível ! lol

    beijinho

    ResponderEliminar
  4. Once and again...gostei muito do teu post.
    Eu também não tenho filhos (ainda), mas tenho homem, emprego (que me toma 11 horas por dia entre viagens e trabalho),a casa para cuidar, um cão, família, amigos, blog, e acho que os meus 30 minutos de exercício diários são um "motor" para tudo isso. Quando ando mais ocupada, levanto-me ainda mais cedo porque sinto que o exercício me faz falta. Não sou nenhuma "desportista" e faço sempre desportos leves, mas como tu dizes "é melhor que nada!". Antigamente dizia..."pois, não tenho tempo". Depois, li uma reportagem sobre a Michelle Obama e a minha vida mudou! (parece que estou a fazer um anúncio rasca! mas é verdade). Ela diz que por vezes se levantava às 4h30/5h00 para fazer exercício, porque era realmente o único tempo que tinha, e aquele era mesmo o seu momento.Nessa altura, ela era advogada, mãe e mulher do futuro presidente dos Estados Unidos (e lá não é como cá!as campanhas são muito intensas e demoraram muitos meses). Depois li que o Obama também ia ao ginásio às 5h30 e que praticava desporto sempre que possível. Dei por mim a pensar...se duas pessoas com tantas responsabilidades arranjam tempo para o desporto, é vergonhoso eu dizer "que não tenho tempo".
    Only depends on you!!!obrigado por teres essa força e por a transmitires :)
    Beijos

    ResponderEliminar
  5. Continua a correr e escrever acerca disso...ajuda imenso as principiantes como eu! Obrigada!

    ResponderEliminar
  6. Eu sou dessas que diziam que não tinha tempo. Mas se quisermos muito arranjamos. É como dizes, basta meia hora e no meu caso, resolvi que seria à hora do almoço sempre foi o Me-time. E olha que eu dedico todos os minutinhos à família, mas também sei que se me sentir melhor comigo, os outros agradecem. Beijo

    ResponderEliminar
  7. Atleta,
    É com muito prazer que anunciamos um acontecimento muito importante: mudamos para um site muito melhor!

    O novo site está mais dinâmico, pratico, continuando a logica da partilhar e informação, entre outras novidades!! E um leque de colaboradores, para servir melhor todos os leitores...

    www.aminhacorrida.com

    ResponderEliminar
  8. Olá!
    Amanhã estou lá, clandestina mas vou, não contes a ninguém...
    Vamos ver se desta vez sou eu que te encontro ;)
    Beijinhos e boa corrida!

    ResponderEliminar
  9. Concordo plenamnete com o teu comentário no meu cantinho, tenho de escolher bem os meus vizinhos =)
    Quanto ao teu post, eu adoro fazer exercicio (mas faço parte das pessoas estranhas que não gostam de correr) e sinto~me super bem depois de o fazer. O que é certo é que nem sempre arranjo força de vontade para o fazer, mas a tua dica de nem sequer te chegares a sentar no sofá antes de ires correr, acho que vou adoptá-la. Realmente depois é mais dificil sair de lá.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  10. Muito boa matéria. Teoricamente está sublime. O problema (de cada um e cada um terá as suas razões, internas ou externas a si próprio) de cada é pôr tudo isso em prática.

    Certo que a força de vontade move montanhas! Sei disso! Vamos movê-las? às vezes sim às vezes não, no meu caso, que isto a vida tem muitas subidas e descidas e já é com dificuldade que me consigo manter na vertical. Mas também sei que de gatas ou a rebolar também se avança ;)

    BEijinho e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  11. amei o post...espero tomar coragem e dar o primeiro passo...
    Beijão,
    Mel

    ResponderEliminar