2 de maio de 2012

Dr. Google

Sei que não sou a única. Quantos de nós, tendo um sintoma fora do comum e suspeito, antes de pegar no telefone para marcar uma consulta no médico de família, não liga primeiro o pc e consulta o Dr. Google?

O Dr. Google consiste em colocar o(s) nosso(s) sintoma(s) no referido motor de busca e pesquisar por entre os milhares de resultados possíveis, até encontrar o pior e mais temido diagnóstico. Por exemplo, imaginemos que alguém, não vou dizer nomes, sentiu uma pontada forte no músculo do glúteo direito ao levantar-se do sofá e ficou ali durante uns bons segundos numa posição nada ridícula, enquanto mantinha a perna direita esticada, massajava a nádega no ponto da dor e tentava levantar-se. O que acham que foi a primeira coisa que essa pessoa foi fazer?

Pronto, não consigo esconder mais. Essa pessoa fui eu e vou contar o sucedido.

Ontem, enquanto dava formação, ao levantar-me de repente da cadeira, senti uma pontada no glúteo direito (a verdade é que, basicamente, se trata da nádega, mas vou utilizar sempre a palavra glúteo daqui para a frente, porque sempre dá um ar mais formal e sério ao post. QUE É SÉRIO). Esta pontada foi uma coisa ligeira e não impediu que me conseguisse levantar, passando logo em seguida. Avancemos umas horas. Já de noite, semi-deitada no sofá, tive de levantar-me para ir buscar comida à cozinha (uma das poucas coisas que me faz levantar do sofá depois de certa hora, tirando sair do sofá para ir para a cama) e, ao levantar-me, senti novamente a pontada mas, desta vez, não conseguia mesmo levantar-me sem piorar a dor.  Ou seja, se ficasse sentada e de perna esticada, não doía, se tentasse flectir o músculo, doía-me mesmo no meio do glúteo direito.


Reconstituição do sucedido:

Sim, eu tenho um Picasso pendurado na sala.
Mas abstenham-se disso e reparem na perna esticada e no esgar de dor.


Claro que, mal a dor passou e consegui levantar-me, liguei o portátil e pesquisei freneticamente todos os possíveis diagnósticos até encontrar aquele que me pareceu ser o que me causaria mais desgosto. E o resultado foi este:


Síndrome do Piriforme



Os sintomas incluem: Dor na região profunda da nádega (lá está!), em queimação e que normalmente desce até à perna. Ela pode aumentar quando a coxa é movimentada para fora, por exemplo, quando a pessoa está sentada e cruza as pernas.


Não senti que a dor se deslocasse até à perna, mas o resto bate certo. Por isso hoje, como ia correr, fiz os 6km que tinha pensado, mas sempre devagarinho e o mais possível sobre terra batida, para ver se sentia algo fora do comum. Não senti. O último quilómetro acelerei um pouco e continuei a não sentir dor nenhuma. Pode ter sido apenas um espasmo, uma cãibra, não faço ideia, mas sei que se tornar a acontecer vou ter de marcar uma consulta no meu médico, porque o Dr. Google é muito prestável e disponível, mas também causa frequentes hipocondrias em pessoas impressionáveis como eu.

Com estas coisas temos de estar sempre atentos aos sinais do nosso corpo, porque pequenas dores podem tornar-se em lesões, se não tivermos cuidado, e eu não posso ficar meses sem correr porque senão depois do que é que eu ia falar aqui no blogue? "Faz crochet como uma menina"? "Devora chocolate como uma menina"? Não ia resultar.


Mal por mal, hoje dediquei bastante tempo aos meus geralmente negligenciados alongamentos e este vai passar a fazer parte da rotina. Síndrome do Piriforme ou não, tenho realmente de ter em atenção o facto de ser fundamental alongar como-deve-de-ser depois de um exercício físico mais intenso, e não a despachar, como é meu costume.


Já tiveram alguma lesão? Costumam fazer alongamentos depois do exercício?



15 comentários:

  1. eu tenho estado tão paradinha que nem tenho oportunidades para fzr lesoes... :(

    e não costumo alongar, mas sei q devia!!!

    beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Oi.
    Joguei futebol durante 20 anos. Queres mesmo que te diga as lesões que já tive? Tens tempo? lol
    E na corrida também já tive algumas, felizmente poucas.
    Não te preocupes (muito), não deve ser nada.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  3. Olá :D

    Só espero que a experiência das barrinhas corra bem :P Não me responsabilizo xD Ando a tentar magicar como fazer barrinhas ricas em proteínas para o P. comer depois do exercício, mas não me ocorre nada para além de barrinhas em forma de bifes xD

    Sobre o teu post :P

    Já tive essa dor várias vezes, e a tua sorte é não seres estudante de Medicina :P No meu caso é mesmo porque de vez em quando eu lembro-me (mais no Verão) e ando 3, 4 horas por dia (nas férias, quando não tenho nada para fazer e porque eu não gosto lá muito de ficar parada na praia a tostar).

    Ora de vez em quando lá vem essa dor, e eu da primeira vez achei que tinha... Uma hérnia discal :P Pensei mesmo em ir ao neurologista, que eu tenho muito medinho de hérnias - o P. teve uma aos 16 anos e ainda hoje não tem sensibilidade no dedão do pé.

    No fundo vai dar ao mesmo: há um desenvolvimento excessivo do músculo (oh yeah) que 'entala' o nervo e provoca essas dores. Mas não é nada de especial, desde que não seja uma situação crónica. Vai estando atenta, e se necessário recorre ao médico (sem ser o Google faz favor) :P

    Beijinhos e as melhoras ;)

    ResponderEliminar
  4. O que eu me divirto a ler os teus posts!!! O Picasso é lindo!
    Eu sou daquelas pessoas que nunca tive nenhum problema de saude grave (graças a Deus), mas ando sempre com alguma "coisinha". Já torci cada tornozelo 6 vezes. Na primeira fui ao hospital mas depois aprendi o que fazer. Microruturas também é comigo!!!
    Alongamentos faço sempre! nem que seja depois de 30 minutos de caminhada. Mais vale prevenir do que coxear...
    Beijos

    ResponderEliminar
  5. Bolas.....eu tb já tive essa dor!!! Uma vez a levantar-me do sofá ía caindo mesmo, perdi a força na perna direita e o meu gaijo a rir-se de mim claro parecia uma velhota de 95 anos....

    Conclusão: Falei com o meu 'treinador' e ele ensinou-me a alongar convenientemente depois da corrida mas alogamentos deitada no chão, pelo menos um deles dói que se farta! Vou procurar imagens e publicar no meu blog, beijosss!

    ResponderEliminar
  6. Olá!
    Espero que esteja tudo bem, tu não me abandones!!!
    E que tal aproveitares essa dor como uma boa desculpa para ires fazer uma massagem?
    Não sou muito de lesões, também ainda sou verdinha nestas andanças, mas ontem senti o que sentia quando comecei a correr, que é umas fortes dores nos pés, doía-me toda a zona lateral externa, desde o dedo mindinho até ao calcanhar, segundo o Dr. Google sofro de “Dor de Remador”. Remador? Não faz muito sentido, mas tudo bem…
    Quanto aos alongamentos sou muito rápida, é mais um shake shake skake e está bom!
    Beijinhos e vai dando noticias

    ResponderEliminar
  7. muitoooooooo bom ! lolololol
    n conheciamos essa tua faceta !
    e eu olha n conhecia o dr. google ! mas obrg pela info.
    agr a sério também já tive essa dor , mas a mim deu me mesmo muito forte quase n conseguia andar durante umas horas uma dor forte, depois foi passando, por acaso nessa altura também andava a correr bem! agr tb n ia ter essa dor por esses motivos ( correr ) só se for pelas caminhadas ! lol

    eu realmente não dou demasiada importância aos alongamentos, e 90 % das pessoas que vejo e conheço não dão importancia aos alongamentos, o que está totalmente mal !! pois devem se fazer antes e depois com todos os cuidados e tempo e não a despachar como eu faço no final dos treinos ! lol

    ResponderEliminar
  8. Olá!
    Pois o Dr Google pode ser o nosso melhor amigo, mas tb o nosso pior inimigo. Por vezes as doenças que aparecem associadas aos nossos sintomas...até parece que estamos prestes a morrer!

    Eu falho claramente nos alongamentos, mas não devia...
    Beijinho e as melhoras

    ResponderEliminar
  9. ahahahahahaha bem tu gostas de me pôr ás gargalhadas ja vi:) mas eu sou dessas do dr google, mas por acaso desta ultima vez ja nem fui lá pesquisar...porque senao nunca mais durmo! credo...so encontramos o pior possivel...nunca é algo simples... bom adorei o post:D espero que nao te volte a dar isso, porque mesmo nao sendo nada de grave, no mínimo qualquer dor é chata pa chuchu! beijinhos

    ResponderEliminar
  10. Não te posso ajudar nisso, mas também costumo servir-me do Dr. Google!

    Beijinho e as melhoras*

    ResponderEliminar
  11. Ai é preciso alongar?! Firiufifiu... Claro que eu sei que é, mas costumo baldar-me. Se não passar vê lá se vais ao DR. normal, que esse DR. Google não é de confiança. Beijo

    ResponderEliminar
  12. Alongamentos: sempre!

    Lesões: ao longo de tantos anos, já tive algumas

    Médicos: aconselho que para além de, ou em vez de, vás a um médico ligado ao desporto, ou então pode ser que tenhas sorte, e que o teu médico tenha a sensibilidade para te ver como "atleta"...

    AS melhoras, que isso não tenha sido nada.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  13. Olá - bacana seu jeito de contar as coisas de uma corredora, coisas essas comuns a todos nós corredores. Sempre alongo antes do exercício, mas só alongo depois de aquecer por uns 10 minutos. Já estou te seguindo, passe lá no meu humilde blog. Beijos e melhoras

    ResponderEliminar
  14. Gosto tanto da forma como escrever e já me ri um bom bocado...andava mesmo a precisar, lolol
    As melhoras...bjts

    ResponderEliminar
  15. Aiiiii.... o que eu me identifico com este teu post...
    eu vou muitas vezes ao Dr Google, mas eu acho que ele é muito severo, e dá logo os piores resultados... :P
    e depois pessoas com tendencias hipocondriacas, como uma pessoa que está agora cmg, e que tem um blog que é batata mole (ahhh, sou euuuu) :P

    quando fui a santiago, logo no primeiro dia, senti uma dor dessas, entao andei o resto dos dias a puxar a nadga para cima porque aliviava a dor. lol

    Adoro os teus desenhos :D são lindos, e realmente estás com um ar mais que sofrido!!

    Beijinhos :D e bom fim-de-semana

    ResponderEliminar