17 de agosto de 2012

Velocidade: fail. Treino: ok. Natureza: KO

O ar da Serra deve ter um efeito narcótico qualquer porque ontem acordei com a convicção de que iria conseguir fazer um treino rápido no meu percurso dos 8km que, vos recordo, é metade a subir a encosta da Serra da Estrela. E juro que na noite anterior só tinha bebido UM destes.

Nas Beiras o que é que se bebe?

Tudo isto porque na terça-feira tinha finalmente conseguido fazer o mesmo percurso e ficado apenas "extremamente cansada" em vez de "de rastos". O optimismo subiu-me à cabeça, foi o que foi.
Assim sendo, acordei cedo e pus-me a caminho, andando até ao ponto de partida, que é geralmente onde os satélites resolvem começar a colaborar.



Pensei que mesmo que os 4km iniciais fossem um pouco abaixo da média esperada depois recuperaria a descer. Huh huh.
Mantive uma velocidade decente apenas durante o primeiro quilómetro e ao fim dos primeiros 2.100 metros estava a morrer. A MORRER. Quase não conseguia a respirar e tinha a garganta tão seca que mal tinha saliva para engolir. Neste trajecto só há uma nascente que fica pouco depois do 4 km, por isso não costumo levar água comigo. Tive de fazer os restantes 2km a reboque de um caracol e já me imaginava a desfalecer e ficar ali horas estendida até ser encontrada por uma família de javalis ou algum lobo solitário... (Esta última parte já era delírio, porque o meu pai, o meu irmão, um tio e um primo vinham logo atrás a caminhar e por ali não há lobos. Acho.).

Portanto, a tentativa de velocidade não correu bem mas o treino acabou por não ser FAIL porque aquele primeiro quilómetro e depois a descida acabaram por compensar o descalabro momentâneo. Além disso, tenho sempre a generosa contribuição da natureza selvagem para a minha recuperação energética.

Amoras!
Muitas amoras ainda estão vermelhas, mas nos locais em que as silvas apanham mais sol deu para apanhar três palhas cheias. Era assim que quando era pequena apanhava as amoras com os meus amigos: espetávamo-las em palhas e depois levávamos na mão uma meia dúzia destes cordões pretos até à água para as lavar. Ou então comíamos mesmo quentes e sujas do pó da estrada, dependia da vontade.


Os figos, por outro lado, ainda estão todos muito verdes...

Tenho pena de a minha estadia estar a terminar e não ter comido nenhum figo. Só gosto de os comer assim, apanhados directamente da árvore.

Depois do pó da estrada, mergulho em águas límpidas (e geladas, não há como evitar).

Parece que tem pouca profundidade, mas engana.


E agora, para terminar, deixo-vos com uma amostra do meu talento inato, graciosidade e forma impecável de mergulho (também conhecido por "parece que me estou a afogar mas não estou"):

PERFEITO.

Em 2016 estou nas competições de mergulho dos Olímpicos do Rio de Janeiro.

Bom fim-de-semana!



11 comentários:

  1. ahaha adorei a forma como acabaste este post, muito bem disposta :D
    É tão engraçado a forma como apanhas as amoras, fica tão giro o resultado :)
    A paisagem até que é bonita e acredito que deve dar vontade de correr, mas ainda bem que lá deu para compensar!
    Beijinho*

    ResponderEliminar
  2. looool a foto do mergulho tá demais! xD

    é linda a balança da foto né? :D
    eu comprei digital porque se vê melhor as gramas, **

    ResponderEliminar
  3. Grande foto!! Eu também ADORO figos, nunca mais chega a altura deles! E essa técnica das amoras é sem dúvida soberba! Beijo

    ResponderEliminar
  4. uau, nunca tinha visto essa forma de 'apanhar amoras' :) eu apanho e coloco numa tacinha... assim é muito mais à frente x)
    pois, o meu problemas nas corridas é mesmo a velocidade... mas pronto, vai-se indo, na descontra ;p beijinho

    ResponderEliminar
  5. hoje esteve um dia de muito calor... imagino que na serra estivesse ainda mais abafado...mas como diz o ditado " querer é poder".E se pensarmos que no fim vai haver um mergulho fresquinho então é fantástico :)

    ResponderEliminar
  6. Hermione: Não sei quem "inventou", mas começámos a usar esta técnica exactamente porque não tinhamos onde pôr as amoras e elas começam a manchar as mãos. Assim podiam ser transportadas muitas e de forma segura. "A necessidade aguça o engenho", não é o que se diz? Até nas coisas mais triviais...;) Bjos

    Sam: Tem estado calor, mas para mim é mais fácil de suportar este "calor seco" aqui da serra. E os mergulhos fresquinhos também ajudam, claro! :)

    ResponderEliminar
  7. Olá!
    *Fica assim comprovado que Licor Beirão + Serra, não combina com corrida :)
    Quando voltares ao terreno da tua casa cá para baixo, até poderás comprovar que a serra te deu alguma "estaleca"...vamos a ver.
    *Essa técnica da amora é mesmo muito à frente!Inédita para mim. Quando vou apanhar, levo um recepientezinho de plástico :) o que não dá um ar nada campestre!!
    *Se quiseres figos (daqui a umas semanas) podes acampar nas traseiras da minha maison. Deixo-te uma figueira com figos pingo de mel só para ti e á borla :)
    *Estás a tentar provocar um maremoto???
    Beijinhos e bom f-d-s (que eu deveria estar a acabar "a mala" e estou aqui!!!)

    ResponderEliminar
  8. humm..só 1 licor beirão? provávelmente com muito gelo e conseguiu resistir? eu sou menino para beber no minimo 2 ou 3 acho que é uma bebida fantástica!! pela primeira vez vi uma espetada de amoras e surpreendeu-me a forma de as lavar, pensei que se lavavam suavemente em água corrente, afinal não, é mesmo como se vê na foto o que se aprende em contacto com o pessoal das Beiras ehehehe.

    E a corridinha? pernas pesadas e cansaço generalizado?? pois é..E já pensou que nesse local está a fazer um treino de altitude onde o oxigénio é mais rarefeito e o cansaço é apenas o resultado das adaptações fisiológicas do organismo? onde até coisas simples nos cansam muito mais? a titulo de curiosidade, ao nível do mar a atmosfera contém cerca de 21% de oxigénio. À medida que subimos, a percentagem de oxigénio diminui, as primeiras alterações sentidas são o aumento dos batimentos cardíacos e maiores dificuldades em respirar.
    O corpo não tendo a percentagem normal de oxigénio, aumenta a produção de hemoglobina nos glóbulos vermelhos para aumentar a oxigenação do sangue, fazendo que a energia seja eficiente e maximizada ao nivel dos orgãos vitais e reduzida periféricamente provocando cansaço. Por isso relaxe e divirta-se com os amigos e familia que isso é natural e qd passar por mim na ponte Vasco da Gama nem pára para cumprimentar.

    bom fds

    ResponderEliminar
  9. Olhando as fotos não tenho qualquer dúvida que Portugal tem grandes possibilidades de vencer o ouro no mergulho dos próximos jogos olimpicos. :D

    Bons treinos e melhores corridas!!!

    ResponderEliminar
  10. Luciana: Já nem desfaço as malas, vou acampar para o teu quintal! ;) Bjs

    Jorge: Desconhecia os valores de oxigénio ao nível do mar, mas que se torna mais rarefeito com a altitude isso já sabia. Aumenta o nível de dificuldade mas é um desafio. Acredito que se treinasse sempre aqui ganharia muito mais resistência e capacidade pulmonar. Já estou de regresso à cidade, vou ver se 2 semanas foram suficientes para notar alguma melhoria!
    Quanto à ponte, se o vir passar digo um olá! :) Boas corridas!

    Fernando: Obrigada pela confiança depositada em mim! eheh :) Bons treinos!

    ResponderEliminar
  11. A foto do mergulho está brutal!

    E como sempre adorei o teu post, super divertido.

    Bons treinos para a Meia!
    p.s. estou a contar contigo, han!?!

    ResponderEliminar