21 de setembro de 2012

Corridas vs Livros

Ora aqui está uma competição de que nunca me canso. Mas, antes de vos pôr a par das minhas últimas leituras, vou só fazer o registo do treino de ontem.
 
A corrida
 
Era suposto ter feito o treino rápido de 8km na quarta, mas devido a 'dores femininas' (senhoras, vocês sabem do que estou a falar...) tive de adiar o treino para ontem de manhã. Há dias em que o exercício físico ajuda à disposição, mas há outros em que nem vale a pena tentar e foi o caso de quarta. Sendo assim, fiz um treino matinal durante a semana, o que é raro.
 
De facto fiz 8km rápidos, mas não foi fácil. Ando desabituada das corridas com mais velocidade e ainda bem que não fui ambiciosa e não vou tentar nada louco como sub-2h nesta minha primeira Meia Maratona, porque ia ser um sofrimento do início ao fim. Aliás, sendo sincera, nem seria capaz. Gosto mais de ir a ver as vistas e a respirar calmamente e não como se estivesse a ter um ataque.
 
Se não me engano, foi o meu penúltimo treino com alguma velocidade, para a semana os restantes serão todos feitos a uma agradável velocidade de cruzeiro.
 
Treino de quinta:
 
- Manhã
- Distância: 8km
- Ritmo rápido
- Bpm médio: 174 (-> a morrer)
- Calorias: 494
 
 
Os livros
(de corrida e não só)
 
Quando morava em casa dos meus pais já tinha uma biblioteca considerável e gastava uma boa parte do meu dinheiro em livros. Algumas pessoas perdem-se em lojas de roupas ou de material informático, eu perco-me em livrarias.
Quando mudei de casa e comecei a ter de pagar todas as contas, foi um duro golpe aperceber-me de que não poderia continuar a gastar quase um quarto do meu ordenado em coisas "supérfluas", como livros. Mais recentemente, novo golpe quando me apercebi de que não me poderia inscrever em todas as provas que queria, pela mesma razão... Há que fazer opções. Acho que faz parte de ser uma adulta responsável. Uma chatice.
 
Mas como estava a dizer, tinha uma biblioteca considerável que não veio comigo para esta casa. Trouxe apenas meia dúzia de favoritos e fiz-me prometer que apenas compraria livros em promoção, de bolso ou na língua original, que geralmente ficam mais baratos. Entretanto já acumulei um pequeno cantinho de leitura de que estou orgulhosa.
 
Tive uma fase em que lia muito Murakami e Saramago,
não sei se se nota... :)
 
E na semana passada acabei mais dois livros, um de bolso (estou a cumprir a promessa) e outro que foi empréstimo.
 
Passemos ao primeiro, que já tinha referido aqui: Correr ou Morrer, de Kilian Jornet.
 
 
 
Calhou bem ter um amigo que comprou o livro, porque confesso que tinha curiosidade em lê-lo.
O extremismo do título deixava-me um bocadinho reticente (eu sou mais de correr e viver), e não sabia se ia conseguir identificar-me com um jovem de 25 anos que é campeão mundial de corrida de montanha e que vive para aquilo.
 
Mas fiquei agarrada depois das seguintes palavras: 
 

"Mais uma volta! Um par de horas mais! Mais uma subida! A dor não existe, só existe no teu
cérebro. Controla-a, destrói-a, elimina-a e continua. (...) Parar, tossir, ter frio, não sentir as pernas, enjoar, ter vómitos, dores de cabeça, sofrer pancadas, sangrar, etc. Há alguma coisa melhor?"


 Posso nunca vir a ser nenhuma campeã mundial, mas do prazer por vezes masoquista da corrida entendo bem...
 
Agora a sério, o que me atraiu foi o facto de se falar de corrida como se fosse poesia:
 
 "Os leggings molhados da neve que o vento arrasta e que também se nos agarra à cara e nos congela o suor. Corpo leve, pernas leves. Sentir a pressão nas pernas e o peso do corpo concentrar-se nos metatarso dos pés e fazer uma pressão capaz de partir rochas, destruir planetas e mover continentes. Com as duas pernas suspensas no ar, a flutuarem como o voo de uma águia e a correrem mais velozes do que um leopardo. Ou descendo, com as pernas a escorregarem sobre a neve e a lama, no instante que antecede o novo impulso para nos sentirmos livres para voar, para gritar de raiva, ódio e amor ao coração da montanha, lá longe, onde só os mais intrépidos roedores e aves escondidos nos seus ninhos sob as rochas podem transformar-se em nossos confessores. Só eles conhecem os meus segredos, os meus temores."

 
Além disso, Kilian começa por falar da sua infância nas montanhas, quando fazia grandes passeios com a família, a pé ou de bicicleta, em grandes altitudes. E já sabemos como eu adoro reminiscências nostálgicas, sobretudo sobre uma coisa com a qual me identifico tanto (infância nas montanhas). De resto, as coisas em comum ficam-se por aqui, já que Kilian é um monstro das corridas (no bom sentido) e corre sempre para ganhar - este rapaz subiu e desceu o Kilimanjaro mais rápido do que qualquer outra pessoa até agora.
 
Correr ou Morrer despertou-me ainda mais o gosto pelo trail. Correr livre, correr com e contra os elementos, num woman-vs-nature interior e pessoal.
 
"Ganhar não quer dizer acabar em primeiro lugar. Não quer dizer bater os outros. Ganhar é vencermo-nos a nós próprios. Vencer o nosso corpo, os nossos limites e os nossos medos. Ganhar significa superar-nos a nós mesmos e tornarmos os nossos sonhos realidade."
 


É isso mesmo Kilian.
 
 
Um livro num registo muito diferente de What I Talk About When I Talk About Running, de Murakami, do qual já tinha falado aqui, mas gostei de ambos.



O segundo livro não é de corrida mas é um livro que merece ser lido por toda a gente. Cem anos de Solidão, de Gabriel García Márquez.

 

Peguei neste livro há muitos anos. Larguei. Tornei a pegar. Desisti. Mas a culpa não é do livro, eu é que ainda não tinha a idade certa para o ler.
Decidi que tornaria a dar-lhe outra oportunidade quando o meu espanhol estivesse num nível que me permitisse ler este livro no seu original, e finalmente este ano achei que seria capaz. Terminei-o a semana passada.

Foi uma leitura lenta, dificultada pela barreira linguística, mas ininterrupta.
 
"Muitos anos depois, diante do pelotão de fuzilamento, o coronel Aureliano Buendía haveria de recordar aquela tarde remota em que o pai o levou a conhecer o gelo."
 
E é assim que começa a história, no momento em que um homem enfrenta a morte e recorda a sua vida. Desde aquela tarde contam-se muitas gerações da família Buendía-Iguarán, nomes e histórias que estão condenadas a repetir-se, episódios trágicos, episódios fantasiosos. Torna-se difícil recordar tanto parentesco, mesmo quando alguns partilham destinos comuns. Destaco o caso dos Aurelianos, que partilharão a missão de desvendar os misteriosos pergaminhos de Melquíades, um cigano. Estes pergaminhos têm encerrados em si a história dramática da família e apenas são decifrados com a morte do último familiar. Eu acho que este lado fantasioso ajuda a equilibrar o tom trágico da obra, que poderia tornar-se muito pesado.

Quando se termina o livro quase que parece que nos estamos a despedir de uma família amiga. Cem anos de partilha fazem-nos isso.
 
 
Já leram algum destes livros? Têm algum vosso preferido?

 
 
Bom fim-de-semana!
 
 

19 comentários:

  1. eu também tenho uma biblioteca bem jeitosinha, mas infelizmente tenho comprado cada vez menos livros. prioridades monetárias ;p
    tenho muiiiitos dos saramago (acho que é o autor de quem tenho mais livros) e adoro. do murakami só tenho e só li um; confesso que não me prendeu. livros de corrida nunca li nenhum, mas esse do murakami já ouvi falar muito bem.
    o cem anos de solidão nunca li, mas já estive várias vezes com ele na mão. acho que é mesmo precisa uma certa maturidade para o ler e perceber, porque senão é só um livro secante. dele já li o amor em tempos de cólera e é lin-do.

    sou uma apaixonada pelos livros também :)
    beijinho

    ResponderEliminar
  2. Hello.

    Atenção que os homens (pelo menos alguns) sabem umas coisas sobre as mulheres, inclusive essa história das "dores femininas". OK?

    Brincadeiras à parte, livros não é muito a minha onda mas já tenho o "Spirit Of The Marathon" para ver, talvez este fim-de-semana.

    E está a chegar o GRANDE DIA!!!

    Beijos.

    ResponderEliminar
  3. Eu li o Cem Anos de Solidão e adorei!

    Infelizmente "emprestadei" o livro - também devem ter gostado muito e resolveram ficar com ele! Como foi a alguém dos tempos de faculdade que nunca vi, perdi-lhe mesmo o rasto. Acho que tenho de comprar de novo e reler. É um excelente livro!!

    ResponderEliminar
  4. Nunca li nenhum destes livros mas certamente já gastei bastante dinheiro na minha coleção! Agora ando mais calminha :)
    Beijinho*

    ResponderEliminar
  5. olá.
    na minha juventude li literalmente milhares de livros.Lembro-me que fiquei utilizador da biblioteca municipal quando tinha uns onze anos e fiquei até à mina idade adulta.Por falar em lembranças, aqui há uns tempos vi na net alguem que queria vender uns livros que eu li quando era miudo, e claro comprei. O vendedor era de Lisboa e fiz do meu irmão que trabalha aí meu empregado e lá foi ele para o ponto de encontro na estação do oriente buscar vinte e tal livros do Emilio Salgari.
    Bom, as minhas leituras não são geralmente sobre assuntos profundos nem controversos, mas li há pouco tempo uma trilogia que me fez pensar.
    Chama-se "the ring - o aviso" de koji suzuki até teve direito a filme.
    É um livro com uma intensidade como eu nunca li até então.Parece que estamos a viver aquelas emoções. Vou transcrever a Sinopse!
    - o corpo de uma jovem foi encontrado, contorcido de medo, na sua casa em Yokohama.A causa da morte é um mistério.Alguns dias mais tarde, são encontrados os corpos de mais três jovens - mortos em circunstâncias idênticas.
    Pressentindo uma história, o jornalista Asakawa fica obcecado por descobrir o bizarro motivo que provocou a morte por falência cardíaca súbita dos quatro jovens. Descobre que as quatro vítimas partilharam uma cabana por uma noite, exactamente sete dias antes de morrerem. Lá descobre uma estranha cassete que exibe não um filme,mas uma intrigante, confusa e subliminar sequência de imagens que termina com uma poderosa mensagem:
    " Aqueles que viram estas imagens estão destinados a morrer precisamente a esta hora dentro de uma semana.Se não quiser morrer, deve seguir exactamente estas instruções..."

    brrrrrr... medo não?

    Há pouquinho li um livro que gostei muito! Chama-se Stinger escrito por John Nichol e é sobre a guerra no Afeganistão, sobre as gentes , os chefes tribais,a guerra e a miséia... Ele viveu na pele o que é sofrer pois era oficial da RAF , foi preso e torturado em Abu Ghraib durante a guerra do golfo .
    Bom , para terminar, estou a ler neste momento " O Vermelho e o Negro" de Stendhal, um romance trágico na França pós-napoleónica.
    Bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  6. Também me perco em livrarias. Já herdei isto da minha mãe. As duas juntas é um perigo, mas ultimamente temos andado muito mais controladas.

    Neste momento tenho uma série de livros em casa que ainda não consegui começar a ler, por isso já disse à minha mãe que agora só voltamos a comprar livros no Natal.
    Sou super controlada em lojas de roupa, o meu único problema são gorros, tenho uma colecção... Uma das razões porque adoro o Inverno é para poder usar os meus adorados gorros.Hihihi =)

    Quanto aos livros, só li o "Correr ou Morrer" e gostei bastante.

    Bom fim-de-semana!

    ResponderEliminar
  7. Olá!

    Antes de mais vou comentar o teu comentário: de facto, quase toda a gente diz que tenho ar de pediatra! Já tive situações engraçadas à conta disso e tudo, do género:

    (Amigo dos meus pais): Então Joana, o que queres ser?
    (Eu): Psiquiatra :D
    (Ele): Pediatra?
    (Eu): Psiquiatra!
    (Ele): Realmente tens mesmo cara de pediatra!
    (Eu): Não não, pediatra! (enganei-me)
    (Ele): Pois, foi o que eu disse, pediatra!

    :P

    Já comecei a ler o Cem Anos de Solidão, mas nunca terminei. O que não deixa de ser curioso, porque quando eu tinha 13 anos passei uma fase estranha em que desatei a ler Kafka, Dostoievsky, Henry Miller, Orwell, enfim :P É claro que isso perdeu-se tudo quando chegou a adolescência, mas tenho de voltar a ler esses livros :)

    Beijinhos e tem um óptimo fim-de-semana :D

    ResponderEliminar
  8. Hermione: Eu sou suspeita, pq também gosto de Saramago e outros livros que mtos consideram "secantes"... Mas até o jornal A Bola leio, se não houver mais nada para ler, n sou esquisita! ;) Esse do GGM nunca li. Beijinhos

    Pedro: Ainda bem que és solidário com as dores femininas ;p. Espero que gostes do filme, depois diz o q achaste. Beijinhos e até ao GRANDE DIA! :)

    Cat: Sim, é uma grande obra! Difícil de entrar no espírito, mas, sem dúvida, mto bem escrito. Bjs!

    Lady V: Pois, eu também ando mais "calminha" (leia-se, sem dinheiro!;p) Bjs

    Sam: Já li O Vermelho e o Negro, os outros não. Mas esse do "The ring" já vi os filmes e acho que a história é igual, n conhecia o autor dos livros. Não é NADA assustador... ;p Emilio Salagari não conheço. Tem algum livro mais conhecido?
    Bom fim-de-semana!

    Isa: Eu também tenho uma colecção de gorros! Adoro :). No Natal recebo sempre alguns livros, porque as pessoas já sabem que leio muito e se não se lembrarem de nada mais original é sempre isso que podem oferecer, que eu agradeço. Bjs e bom f-d-s!

    Joana: Também tive uma fase de clássicos russos... Eu gosto de livros (e não só...) que dão luta! ;) Bjos e bom fim-de-semana!

    ResponderEliminar
  9. Bem ler... eu leio tudo.. até as paginas cor de rosa da Maria se for o caso lol..
    Um dos ultimos livros que gostei foi "A sombra do vento " do Carlos Zafon..

    Agora a moda é as sombras de grey loool

    Bons treinos boa alimentação e bom descanso :D

    ResponderEliminar
  10. Nainho: A Sombra do Vento é um dos meus livros favoritos. É um livro que fala de livros e de Barcelona, como poderia não gostar?! ;p Esse das Sombras de Grey nunca li, mas já ouvi dizer que é hardcore! :) Como é que foi a tua recuperação da Meia? Já corres 1/2's como se não fosse nada... :)

    ResponderEliminar
  11. Deixaste o sr. de preto e verde roubar-te o protagonismo da foto, não pode ser! ;p Não consigo ver o vídeo (o meu pc não anda bom), mas quem é que fica bem em vídeo depois de correr 21km?? Nem 10, quanto mais... Espero MESMO que este calor abrande.
    (Não publiquei os links, n sei se querias... Não foi nada mau tempo, 1h40!)

    ResponderEliminar
  12. Eu até leio os rótulos das embalagens que estão na mesa :) O meu orçamento é que não se compadece com compras dessas. Beijo

    ResponderEliminar
  13. Murakami e Saramago são os meus autores preferidos e o "Cem anos de solidã"o é um dos meus livros preferidos. Excelentes escolhas, portanto :)

    Big Kisses

    ResponderEliminar
  14. Olá.
    Ás vezes não treino porque me dá uma ENORME preguiça.
    Em relação a livros:
    -O do Murakami já li e gostei bastante.
    -O do Kilian vou ler pois o tema interessa-me muito.
    - O "Cem Anos..." ainda não o li,
    apesar de o ter comprado há alguns anos.Mas sei que o vou ler.
    Sou mais leitor de Revistas e Jornais.
    Bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  15. Sweet: Às vezes também dou por mim a fazer isso, se não tiver nenhuma revista, ao pequeno-almoço! :) Bjs

    A.: Somos pessoas de bom gosto ;) Bjs

    vgoncalves: Olá! Eu dantes comprava imensas revistas quinzenais e mensais, depois tive de começar a cortar. O CADS exige alguma dedicação para o ler, já o do Kilian lê-se num instante, vais gostar. Bom f-d-s!

    ResponderEliminar
  16. Do Gabriel Garcia Marquez já li todos e os meus preferidos são mesmo "100 anos de solidão" e o "Amor em tempos de cólera"!

    ResponderEliminar
  17. Hello!
    Pois...já sabes que gosto e gasto em livros! mas desde que tenho "aquelas contas para pagar" que o deixei de fazer tão frequentemente".
    Do GGM já li algumas coisas, mas o que mais gostei foi mesmo "Doze Contos Peregrinos" - histórias pequenininhas que se lêem muito bem.
    Já li bastante Paul Auster, Paulo Coelho (mas depois começou a ser mais do mesmo) e agora ando numa de Ken Follett.
    Livros que mais me marcaram: "Se isto é um homem" - Primo Levi; "O Monte dos Vendavais" - Emily Bronte;
    Eu tenho aqui um livro em espanhol que queria começar a ler, mas ainda não ganhei coragem.

    Estou esclarecida quanto à questão do que andas a ler...

    Beijinhos e bom f-d-s.

    ResponderEliminar
  18. Sexo e a Idade: Do GGM só li este e os Doze Contos Peregrinos, que a Luciana refere. Bjs

    Lulu: O raio das "contas para pagar" sempre a intrometerem-se... Também li o Doze Contos Peregrinos foi material de leitura no Cervantes! :) Também ando para ler esse de Primo Levi há uns tempos. Beijinhos e bom f-d-s!

    ResponderEliminar
  19. Olá, parabéns pelo blog!
    Se você puder visite este blog:
    http://morgannascimento.blogspot.com.br/
    Obrigado pela atenção

    ResponderEliminar