29 de outubro de 2012

20ª Corrida do Monge

 
O dia começou às 07h15, com um bonito sol lá fora que não fazia adivinhar o frio que estava. Levanto-me para o ritual do costume: fazer o pequeno-almoço, vestir o equipamento já separado de véspera, separar uns alfinetes para o dorsal e abrir a janela para sentir o clima. Estava frescote.

Desta vez não estava nada nervosa. Ia ser uma prova para levar nas calmas, aproveitar o ambiente e tirar umas fotos. Sabia que ia haver zonas em que teria obrigatoriamente de caminhar e, ao contrário das provas de estrada, não me incomodava e até estava ansiosa para ver os "muros" que se iriam apresentar pela frente.
 
Saí de casa pouco depois das 8h porque tinha ficado de dar boleia à Isa, companheira estreante da Meia Maratona, agora do Trail e, quem sabe um dia, também de uma Maratona. Graças às tecnologias e às maravilhosas simulações de percurso e "vista de pássaro", uma pessoa fica a saber o percurso, quantas rotundas tem de passar e até onde poderia estacionar, se fosse preciso. Por isso, chegámos lá num instante.

Fomos levantar os dorsais, rapidíssimo, e como a prova só começava às 10h30 ainda voltámos um bocado para o carro. Comemos qualquer coisa e depois, gajas, ainda aproveitámos para ir à casa de banho na Sociedade de Instrução e Recreio Janes e Malveira.
A caminho da partida vimos dois ou três rapazes com uma t-shirt com inscrição nas costas a dizer "Isto faz-se", e esse passou a ser o slogan para o trail do dia!

Quando já estávamos a fazer o aquecimento encontrámos o "padrinho" Jorge Branco, que já conhecia esta prova de anos anteriores, mas optou por não divulgar muito do que nos esperava, talvez para não nos afugentar logo de início! Por um lado foi bom, pois assim fomos à descoberta.

Passado um bocado oiço chamarem o meu nome e era o Vítor, que ainda não conhecíamos pessoalmente, mas que se junta à inesperada confraternização "bloguística". Depois disso só já ficava a faltar o João, que sabia que também iria participar na prova, e que acaba por se nos juntar a poucos minutos do início da partida.
 
 Não olhei para o relógio, mas penso que por volta da hora marcada lá se ouviu o tiro e aí vamos nós.
 
 A 100 metros da partida seguiu-se logo uma subida em empedrado, para aquecer.



Foi pouco depois desta subida que "perdemos" o Jorge que, apesar de uma dor no pé, arrancou com força e nunca mais o vimos! Imagino se estivesse a 100%!

E nós, um bocadinho a precaver o que viesse, lá fomos encosta acima, devagarinho.

Depois, entrámos numa zona de terra batida, mas continuámos sempre a subir, para não perder a prática.



Apesar de não termos combinado, acabámos todos por fazer a prova juntos. Foi bom eu e a Isa termos companhia, porque houve alturas da prova em que não se avistava ninguém, nem à frente nem atrás, o que por breves momentos levantava a suspeita de estarmos perdidos, mas depois lá encontrávamos uma fita sinalizadora. O trajecto, aliás, esteve sempre muito bem assinalado, quer através de marcas quer através de colaboradores, distribuídos estrategicamente pelos  cruzamentos.

Às vezes uns, às vezes outros à espera, lá fomos avançando. Apesar de na foto acima algumas pessoas já estarem a andar, nós não andámos logo ao fim dos primeiros 1,5km de subida sem fim... Acham? Não, quando muito fizemos uma caminhada técnica (completamente diferente).
Agora a sério: se não fosse acompanhada, provavelmente teria iniciado uma "caminhada técnica" mais cedo.

O bom de irmos sempre a subir por entre trilhos é que sempre que aparece uma pequena recta, por mais pequena que seja, fazemos uma festa! Dá logo um novo alento para a subida que se segue.

Acho que íamos com 30 minutos de corrida quando alguém perguntou quantos quilómetros tínhamos feito e acho que vão gostar de saber que ainda estávamos perto dos 4km... Nada como um trail para nos deixar a moral logo em alta! Eheh... Mas eu estava mais preocupada em absorver tudo do que no tempo. Havia zonas tão engraçadas que se estivesse em passeio teria explorado com mais calma.

Perto do 5km o primeiro posto de abastecimento. Como não sabia como ia ser o resto do percurso, resolvi levar a garrafa comigo. Infelizmente, apesar de vários sacos disponíveis para o lixo, foi triste ver algumas garrafas que foram mandadas para o chão ao longo do trilho... É certo que não dava muito jeito correr com a garrafa e a partir de certa altura tive mesmo de a enfiar atrás no elástico das calças para poder agarrar-me a ramos e troncos que me ajudavam em algumas passagens -> esta é, na realidade, uma técnica muito específica de transporte de água a que o próprio do Carlos Sá recorre com frequência ;) .

Os kms 5 a 8, aproximadamente, foram os que mais gostei. Entramos numa zona de mato mais cerrado, com um pequeno trilho em que só passa uma pessoa, pequenos cursos de água que passamos através de pontes de ramos escorregadias e com subidas e descidas muito acentuadas. Houve um ou outro momento em que tive de segurar-me em ramos para não escorregar por ali abaixo... Adorei!

Foi nesta parte que eu me senti uma Indiana Jones em aventura. Foi também por esta zona que enfiei um pé numa poça e fiquei contente por de manhã me ter lembrado de pôr vaselina nos pés, mesmo já a prever estas situações que provocam bolhas.



Não estou a andar, estou a fazer corrida técnica rampa acima. (Obrigada Isa, por esta foto!)


 

(O número de fotos tiradas não tem nada a ver com o facto de precisar de parar, mas sim devido ao facto de querer documentar melhor a experiência. Claro...).



Já não me recordo bem, mas penso que foi depois do km9 que os colaboradores nos começaram a avisar de que estava quase mas que agora é que vinha lá uma subida puxadinha. Só agora, portanto.

E aqui está ela.


Lembrar o slogan: "Isto faz-se"

A foto não lhe faz justiça, era muito mais inclinada e longa do que parece (a foto de ontem era do que já tinha ficado para trás)

Foi mais ou menos nesta altura, nesta escalada em que tive de me apoiar em rochas para me ajudar a subir, em que sentia músculos pouco usados a serem testados, as pulsações não havia maneira de baixarem e tinha uma respiração de gaita-de-foles que pensei "Oh mulher, mas tu metes-te em cada coisa, sinceramente!" Mas é um pensamento momentâneo, porque eu sei que pode estar a ser duro, mas a experiência vivida e os limites que pensávamos existir serem ultrapassados é o que faz com que tudo valha a pena.

Além disso, também não prejudicou chegarmos ao cimo e termos direito a vistas destas:


Só por isso é que estes muros foram apelidados de Subidas do Paraíso, porque custam a escalar mas a recompensa é sempre boa.

Foi no km10, no segundo e último abastecimento, que nos disseram que a partir daí era sempre a descer (iupiiii). E de facto assim foi, até à meta.

Quero deixar uma palavra de apreço aos colegas cavalheiros que esperaram pelas duas meninas, que tiveram uns percalços para o final. Mas notei que fizeram questão de cruzar a meta à nossa frente... humm!


Quando terminámos tivemos de lá deixar os dorsais (não pude ficar com ele para a colecção), mas tivemos direito a um saco com a t-shirt, a indispensável água e ainda um sumo, um pãozinho com chouriço e uma maçã, que serviram para confortar o estômago depois do esforço, a jeito de almoço improvisado.


A t-shirt com o Monge atleta bonacheirão.

Hoje, por incrível que pareça, só me doem um pouco os gémeos. O que é pouco usual, já que geralmente fico é com dor nas coxas, mas suponho que tenha sido pela especificidade do percurso.

O que é que mais posso dizer desta prova? Senti-me "em casa". Eu sabia que ia gostar da experiência, porque sou uma rapariga das montanhas e das caminhadas em Natureza mas, por outro lado, também não estava à espera da dificuldade técnica de alguns trechos do percurso. Claro que se fosse tudo fácil não tinha graça nenhuma, e por isso é que é uma experiência, sem dúvida, para repetir!

Aliás, ontem à noite inscrevi-me no Grande Prémio do Fim da Europa - culpa das endorfinas, só pode. Já me custou tanto fazer algumas partes desta prova, que foi "só" de 12km, nem quero pensar em 10km a subir numa de 17...  (umas 5 horas devem chegar!) Mas até lá ainda faltam quase 3 meses e ainda vou passar uns dias à terrinha, onde vou poder praticar rampas e trilhos com fartura. Com sorte, até vou encontrar neve pelo caminho.

Não posso terminar sem agradecer a companhia durante todo o percurso, já que nem dei pelo (imenso) tempo passar e tornou a experiência muito mais divertida.


Para o ano espero voltar ao Monge. Até lá, tenho de tratar de arranjar mais músculo nas pernas, que o trail sim, não é para meninas...


Provas de trail? Isto faz-se. Quando é a próxima? :)

 

34 comentários:

  1. Fim da Europa? boa boa! Lá nos encontraremos, mas antes: G.P.da Arrábida no fim de Novembro ;)

    ResponderEliminar
  2. Mais nada!!!! Com a última frase fica tudo dito, venha a dureza!

    ResponderEliminar
  3. O espírito está bem documentado neste excelente texto. Parabéns!

    Só uma pequena correcção, o Fim da Europa não é trail, é sempre alcatrão, e não são 10 a subir, no total deve dar pouco mais de 6.
    Mas também uma prova LINDA!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Anónimo30/10/12

    Ah, esta epopeia do bosque merece que irrompa do silêncio jejuante de provas e comente. O cenário é lindo, o monge é um anacoreta de primeira, mas ajuda à mentalização... :)

    Esse GPFDEuropa dá que pensar...

    A.

    ResponderEliminar
  5. Ainda bem que gostou. É para isso que todos os que estão ligados à prova e ao Circuito de Montanha trabalham. E a próxima é já a 18 de Novembro, na serra da Estrela, com a realização da 14ª Subida do Vale de Sameiro (Manteigas), seguindo-se o almoço da praxe e a cerimónia de encerramento do Circuito Nacional de Montanha 2012.

    ResponderEliminar
  6. Tudo se faz.. basta realmente querer..

    :) Serra d Arga espera por ti :)

    fazes 21 km sem pressa e sorrindo lool


    As minhas provas.. fiz os 16,3km do family Race, incluida na maratona do porto em 1h12min38seg..

    Ainda não tenho km´s suficientes para a maratona completa .. :D

    talvez no proximo ano.. a maratona completa da serra d arga e a maratona do porto lool um mes de intervalo entre cada uma delas :)

    bons treinos e pouco inverno :)

    ResponderEliminar
  7. Exactamente, foi uma caminhada técnica. Não íamos a passear calmamente, fomos sempre a correr ou a caminhar vigorosamente :)
    Também tive pensamentos do género "Onde é que me vim meter?", mas tudo valeu a pena e foi uma manhã muito bem passada.

    E eu é que agradeço terem esperado por mim. Sejamos sinceros, eu é que tive um percalço, aquela dor era mesmo forte. Mas felizmente depois passou.

    E o GP Fim da Europa também vai ser lindo...ainda por cima em pleno Inverno...

    Mas "isto faz-se"!

    Ah, outra coisa, adorei: "e, quem sabe um dia, também de uma Maratona" =)
    Espero bem que sim.

    Beijocas e venha a próxima!

    ResponderEliminar
  8. olá

    parabéns pela prova e pela experiência

    quanto ao fim da europa, inscreves-te-te a tempo. supostamente com limite de 1000 inscrições, no site já estão mais de 1000 nomes.

    e não te assustes, são só 7 kms a subir - os 4 primeiros e salvo erro o 9º, 10º e 11º. acaba com 6 seguidos a descer.

    depois tens de explicar o que é a caminhada técnica, que eu preciso de melhorar a minha caminhada, para usar na serra de sintra

    beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Mais um excelente relato e parabéns pelo 1º trail. Também já estou inscrito para o GP Fim da Europa. ;)

    ResponderEliminar
  10. Maria: Ainda não sei em relação a esse da Arrábida... embora também deva ser bonito. Bjs

    sam: Não posso recusar mais aventuras destas! ;) Beijinhos

    João: Pensava que o GPFDE também tinha partes em terra batida, mas não faz mal. Aquela zona é muito bonita! Beijinhos

    A.: É um espírito completamente diferente das provas de estrada, eu gostei. Se quiseres participar nesse do Fim da Europa apressa-te, que as inscrições estão a esgotar! Beijinhos

    Antonio: Conheco bem essa zona (os meus pais são de lá perto) e deve ser uma prova bastante bonita (e dura!). Infelizmente a essa vou ter de faltar. Talvez para o ano!

    Nainho: Isso é que são tempos! ;) Duas maratonas com um mês de intervalo, sendo uma delas trail... isso sim é dureza! :) Pode vir o inverno que eu gosto :p. Beijinhos

    Isa: É isso mesmo que é uma caminhada técnica! ;) O que interessa é que terminámos todos bem e com vontade de repetir. Beijinhos e até à próxima!

    Hugo: Ah bom, se são só 7km a subir é na boa! ;) "Caminhada técnica" consiste em caminhares concentrado e com vigor, para todos pensarem que és um atleta, mesmo quando não estás a correr. Resulta! ;D Já fizeste o GPFdEuropa? Beijinhos

    Tiago: Tens de experimentar uma prova de trail, vais gostar. Encontramo-nos todos no Fim da Europa :) Beijinhos

    ResponderEliminar
  11. Parabéns pela conclusão do teu 1º trail.
    Pelas fotos dá bem para ver que não tem nada a ver com provas de estrada. Especialmente com subidas dessas.

    E pelo que vejo, quase todo o pessoal aqui da blogosfera corredora vai ao F.D.E. (eu incluido). Pode ser que assim tenha a oportunidade de conhecer algum pessoal pessoalmente =P

    ResponderEliminar
  12. kayro: Obrigada. Por acaso nesta prova apanhámos muito pouca estrada, só ao início e o km final, não sei se serão todas assim. (Espero que sim!) :)
    Depois da maratona inscreve-te num.
    Sim, lá nos veremos todos então!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  13. olá novamente

    caminhada técnica - deve ser o que fiz a subir a Av. da Liberdade na S Silvestre do ano passado. 1 km sempre a andar em 8 minutos... foi rápido... técnico :)

    gp fim da europa - só fiz de carro a semana passada... :) e vi gráficos e relatórios de garmin com desniveis por km....se não me desgraçar nos 4 kms iniciais, depois deve-se fazer bem. só espero que não chova porque a descida final tem partes inclinadas e os meus travôes têm muito que segurar...

    Hugo Manuel

    ResponderEliminar
  14. Adorei o texto!
    O trail é para meninas é para todos!
    O meu pé não teve influencia na prova agora é que está feito num oito :)
    Também não fui a puxar na subida inicial simplesmente deixei-me ir!
    E tive que me tentar poupar na prova porque tive medo de no final da mesma ainda ter de correr mais um bocado para fugir da Rute e da Isa que me queriam bater por as ter convidado para aquilo!
    Afinal gostaram! Bem vindas ao clube dos "malucos" do trail!

    ResponderEliminar
  15. Jorge: É claro que gostámos, é uma aventura! :) Como vê não precisava de ter desatado a fugir rampa acima, que afinal somos todos "malucos" também! :) Beijinhos e até à próxima!

    ResponderEliminar
  16. http://www.youtube.com/watch?v=FaxQyUDC77I

    video do percurso da serra d arga :D

    ResponderEliminar
  17. Nainho: O boneco já ia um bocadinho cansado naquelas subidas! :p Não admira, uma maratona em trail não é para todos. Já 21km... Depois cusquei outros vídeos e a zona é bem bonita (está lá um vídeo em dia de nevoeiro espectacular).
    5000m de acumulado? Por acaso não faço ideia de quanto foi no Monge, preciso mesmo de arranjar um relógio xpto para o Natal. :)

    ResponderEliminar
  18. Sim os 45km tem 5000 desnivel acumulado.. os 21km tem 2000 de desnivel :) a zona é brutal :) e se fores pelo site do carlos sá encontras centenas de fotos e videos.

    www.carlos-sa.com/gtsa/videos

    e eu q não sou muito mau a correr demorei 40 minutos nos primeiros 3 km de prova loool

    ResponderEliminar
  19. ...espectacular texto :D
    ...adorei ler , parabéns...

    ...esse trilho fechado e com as "pontes" é o famoso trilho do Dimas ou das Pontes, o pessoal do BTT , é barra a passar por aí e estão sempre a tentar fazer manutenção do local... , agora que já o fiz de bike e a correr , ainda estou mais maravilhado com o local :)

    ...engraçado , nos 2 últimos meses fiz 2 meias-maratonas, Porto e Vasco da Gama, e 4 provas de 10 kilometros e nunca me doeu nada prós-prova , mas nesta...uiiii, ainda não posso com as coxas !! descer escadas é muitoooo devagarinho...ihihih

    ...tambem já me inscrevi no "fim-da-europa" , e antes ainda muita prova de alcatrão...vai ser uma época de inverno espectacular...ehehhe...

    boas corridas... :D

    ResponderEliminar
  20. Uma manhã muito bem passada a fazer desporto em plena natureza.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  21. AjB: Estás a dizer que há pessoas que fazem aquele troço de bicicleta?? Os bttistas também são pouco "malucos" são... :p
    Afinal, pelo que me disseram aqui, o FDE é feito em estrada, mas o percurso é muito bonito e com subidas puxadinhas.
    Boas corridas e entretanto evita as escadas! :)

    vgoncalves: É verdade. O primeiro que souber de uma nova prova deste género nas proximidades, avisa! :) Beijinhos

    ResponderEliminar
  22. "Isto faz-se", adorei o slogan :D Realmente dá logo mais vontade para fazer este trajeto. Que digo já, deveria de morrer para fazer o que fizeste xD Mas claro, depois a recompensa de uma linda paisagem deve ser ótimo!
    Parabéns, mais um objetivo cumprido!
    Beijinho*

    ResponderEliminar
  23. Lady V: Obrigada. Não morrias nada! :p Nem que fizesses sempre a caminhar! Beijinhos

    ResponderEliminar
  24. Olá Bom dia, pensei que ia ver fotos da atleta em alto desempenho e saiu-me uma romaria a caminhar por de uns trilhos magnificos?
    ;)
    os meus parabéns pelo teu 1º trail e que venham muitos mais sempre a subir.

    Malucos? é..dizem que sim, que somos!! mas não trocaria por nada deste mundo esta minha( nossa) maluquiçe
    boa semana
    J

    ResponderEliminar
  25. sempre a saúde em primeiro lugar;

    beijos de ♥

    ResponderEliminar
  26. Jorge: Obrigada. São fotos em 1ª mão do interior da romaria! :) O teu joelho já está melhor? Boa semana, bjs

    Tanara: obrigada, beijos.

    ResponderEliminar
  27. Que inveja que fiquei ao ler o teu texto!
    Parabéns pela excelente prova, e na próxima também quero ir!!!
    Beijos

    ResponderEliminar
  28. Carla: Agora ficou escrito, não te podes baldar! :p E se o Pedro não quiser/puder, vens tu. Vamos só "gaijas"! :) Beijinhos

    ResponderEliminar
  29. Foi a minha estreia nestas andanças e muitas vezes pensei: "onde é que tinhas a cabeça quando te inscreves-te?" mas o bichinho ficou e pena tenho que a GP Fim da Europa já não tenha inscrições =( Boas corridas

    ResponderEliminar
  30. Catia: Espero que tenhas gostado da experiência. Haverão mais provas de futuro (não sei se todas com um percurso assim tão técnico, mas era engraçado!).
    Boas corridas!

    ResponderEliminar
  31. Sim gostei, obg, e ao ler a sua crónica revejo exactamente as minhas reacções, mas eu fui sozinha. No entanto, o engraçado é que nunca me senti verdadeiramente sozinha porque havia smp alguém que dava uma força (o espírito deste evento foi muito de entreajuda) e os últimos 2 km's (fim da rampa que não tinha fim e descida) encontrei uma parceira que fez os mesmos comigo.
    Claro que haverão próximas, isto é um vicio que se ganha com facilidade. A próxima será o S. Silvestre de Lisboa, trails agora só depois de ter tempo para treinar subidas a sério, que nesta prova fiz bastante "caminhadas técnicas" a arfar ;)

    ResponderEliminar
  32. Prai 2 semanas depois da prova estou finalmente a por a leitura / escrita em dia.

    Foi uma excelente prova, e mais ainda com a companhia. Para o ano voltamos lá para fazer todas as subidas a correr, até as do paraíso :)

    ResponderEliminar
  33. É verdade, para o ano nem aquela "subida jeitosa" escapa à corrida! ;p Se quiseres as fotos eu posso mandar-te. Bjs

    ResponderEliminar