10 de janeiro de 2013

~45 minutos mentais

Tento aproveitar as novas tecnologias que me permitem "criar" um exercício no Garmin Connect e depois transferi-lo para o Mr. G. Fico toda contente porque eu, que não sou nada destas "modernices", até achei fácil. Quando vou para fazer o upload não consigo. Há dias assim, em que o dispositivo não é encontrado ou diz que não existem novos treinos a transferir (existem sim!!!). Também vos acontece?

Saio na mesma, hoje é daquelas tardes em que preciso mesmo de ir correr um bocadinho. Com medo da chuva e do frio, levei uma camisola comprida e o impermeável. Má escolha. Ainda durante o aquecimento sinto gotinhas de suor a formarem-se na minha cara e a escorrer pelas costas. Agora não há nada a fazer, siga.

Hoje queria testar os limites com um ritmo crescendo a meio do treino, até culminar com 1 minuto na minha força máxima. Isso é o que eu queria, não sei se será o que vai acontecer, que o meu corpo é muito dono de si e nem sempre obedece. Aí é que está a piada num treino, podemos ir todos confiantes com o nosso plano estruturado e depois não ser nada daquilo que esperávamos. Geralmente é pior. Mas há dias gloriosos em que é muito, muito melhor do que contávamos. Esses valem por todos.

Espero que seja um desses dias.

A cerca de 15 minutos de aquecimento decido estabelecer uma meta. - Agora vais correr até à torre - que, pelas minhas contas, estava a cerca de 3,5km/4km - sempre a aumentar de ritmo.

Comecei bem, embalada pela música, passo um senhor em treino mais lento, fixo-me noutro mais à frente e passo-o também. Olho para o G. no meu pulso e vejo os números a descer. I feel good tanananananana não é a música que passa no meu mp3 mas é a que passa na minha cabeça.

5 minutos depois já não me sinto assim tão bem. Já consigo avistar o edifício que designei como meta, mas não faço ideia quantos mais minutos levarei a lá chegar. 10? 15? Ali tão perto e ao mesmo tempo tão longe... Por cima do som dos auriculares consigo já distinguir o som da minha respiração mais ofegante. Mesmo assim, aqueles números desconfortáveis têm de continuar a descer, não posso falhar agora.
12 minutos depois. Quase que parece que esticando o braço toco a meta imaginária, mas corro corro e parece que ela se afasta, num gozo ao meu sofrimento.- Para que é que te metes nisto? Não podias limitar-te a uma linda e suave corrida ao luar? Queres provar o quê, exactamente? -Tento calar o meu diabinho, mas não está fácil.
Passa outro corredor por mim e diz Boa Noite. Eu só consigo responder com um "Noit" muito fraco entre golfadas de ar. Nem consigo reunir forças/vontade para um pequeno aceno. Continuo de olhos fixos na meta que nunca mais chega. Não gosto disto.
15 minutos depois. "Era esse o verdadeiro segredo dos tarahumaras: nunca se esqueceram de como é gostar de correr". Vem-me à memória esta frase que tinha lido dias antes no «Nascidos para Correr». - Tu gostas disto, tento convencer-me. - Não, assim não, não a esta velocidade, custa muito. Lembro-me das palavras de Chris McDougall, quando referia como correr é tão primordial à nossa condição, de como os nossos antepassados o faziam como forma de sobrevivência, como forma de vida, e como ainda hoje nascemos com essa herança. Desde crianças que todas as nossas brincadeiras envolvem intermináveis sprints incansáveis e a sorrir.
- Tudo muito bem, o "prazer da corrida", mas sabes o que também me ia dar muito prazer agora, McDougall? Chegar-me ali à beira do passeio e mandar-me de costas para o meio da relva até recuperar o oxigénio. Sim, seria muito prazeroso. O que achas disso? Pronto, se calhar não tenho sangue tarahumara em mim. - Cala-te diabinho.
18 minutos depois. Há muito que as gotinhas de suor deram lugar a uma cara escorrida e roupas encharcadas, Já não vejo nada nem ninguém e só quero que aquilo acabe, mas continuo no máximo das minhas forças. - Talvez lembrar-me da minha infância não seja assim tão despropositado. Brinquei tanto na rua, subi árvores, saltei muros, fartava-me de correr e não me lembro nunca de ficar cansada, é verdade. Também é verdade que já não tenho 8 anos... nem 30kg... mas lembro-me de no jogo da "Apanhada" nunca gostar de ser agarrada pelos rapazes, que corriam sempre mais. Então corria e corria e às vezes ganhava. E às vezes "salvava" outras miúdas e corríamos e ríamos enquanto fugíamos. Ríamos muito. Deve ser esse o truque.
1 minuto. É agora, tudo por tudo. Sinto-me um Bolt em baixo de forma e desajeitado, não se ponham à minha frente que eu já só conto os metros e os segundos que faltam. 10 segundos.... 5 segundos... FINALMENTE!

Abrando, não paro. Vou regressar a casa sem parar de correr, mas agora devagarinho, sem pressas nem corridas contra o relógio. Aos poucos, vou recuperando a respiração e a sensibilidade das pernas. Que bom. I feel good. O diabinho calou-se

"(...) nunca se esqueceram de como é gostar de correr". Acho que percebo.
 
 

20 comentários:

  1. Bonito e inspirado texto! :)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Espectáculo, assim é que é...
    força aí!!
    beijinho, eugénia

    ResponderEliminar
  3. Treinar acompanhado é o melhor tónico para esse objectivo... Tanto pode puxar um como o outro. Fica a dica...

    ResponderEliminar
  4. Inspiradora a forma como escreves.. como é possivel ainda nenhuma revista ter reparado nas potencialidades de alguem como tu..

    Parabens, é sempre um prazer ler-te :) se bem que quando ando lesionado a vontade de ler sobre corrida fica reduzida :D

    ResponderEliminar
  5. Oi. Sei bem o que isso é. Passei por um treino assim ainda esta semana. Durante a corrida aparece o diabinho e questiona-nos "O que andas a fazer? Não estavas melhor em casa sossegado, em vez de andar para aqui quase sem fôlego a correr de um lado para o outro?". Mas entretanto chegamos a casa tomamos banho e pensamos "ahh, ainda bem que fui. Agora sinto-me ainda melhor e voltava a fazer tudo de novo."
    É por isso que gostamos de correr. E é aí que voltamos a ter 8 anos e a relembrar os jogos da "apanhada" sempre com um sorriso nos lábios.
    Beijinhos e boas corridas.

    ResponderEliminar
  6. João: Obrigada, beijinho.

    Eugénia: Obrigada e as melhoras! Beijinhos

    Sílvio: Durante a semana é complicado conciliar horários (e não conheço ninguém que corra para os meus lados). E ao fim de semana é para treinos longos, sem estas velocidades doidas... ;) Mas sim, acompanhado dá outra motivação.

    Nainho: Obrigada! Eu também não sei como é que ainda não repararam nas minhas potencialidades... lol ;D Estás lesionado? E eu que pensava que andavas "desaparecido" porque andavas a correr pelas montanhas todo feliz... :( Beijinhos e as melhoras!

    Tigas: É isso mesmo. Será que os miúdos de hoje em dia ainda jogam à "apanhada"? (Pareço uma velha a falar!:p)
    E sabes que mais, cheguei à conclusão que isto nunca fica mais fácil!! Vamos ficando mais resistentes, é certo, mas o limite está sempre lá à frente e quando julgamos que o estamos a atingir, avança! :) Beijinhos e boas corridas!

    ResponderEliminar
  7. Adorei ler isto! É isso mesmo, não desistir e "gostar de correr"! Se não fosse assim não conseguirias! Parabéns! :)

    ResponderEliminar
  8. Mais um texto apaixonado e muito bem escrito :) Eu acho que tu nunca te esqueces de como é gostar de correr, pelo menos isso transparece sempre nos teus textos ;) Podemos sempre barafustar um bocadinho, mas no fundo o que fazemos é sempre feito com muita paixão ;)

    É verdade, o tigre estava mesmo perto. Eu estava colada ao vidro e o tigre também, e devo ter umas 20 fotos dele, mas como tirei o flash ficaram quase todas tremidas (parecendo que não eu estava mesmo emocionada, não é fácil tirar fotos assim) :P

    Padres giros - acho que isso é um bocadinho pecado :P Mas como eu não sou assim tão ferrenha acho que passa, mas se tivesses dito isso no meu jantar tinhas logo os meus amigos beatos em cima de ti :P Por acaso eu notei em Viena que os padres eram todos super simpáticos, sempre muito sorridentes, mesmo a dar a missa. Diziam piadas e tudo. E depois é óbvio que pensei o que já é típico - é pá devia casar aqui!!! :P Enfim :P

    Tem um bom dia :)

    ResponderEliminar
  9. Jude: Muito obrigada. ;) Beijinhos

    Joana: Eu gosto sempre de resmungar um bocadinho, faz parte. ;) As fotos tremidas era da emoção ou do medo? ;p Mas se é verdade não é pecado!!! ;D É melhor não irem a Roma então... (devem ser escolhidos a dedo :p). Já em preparativos? Beijinhos e bom dia**

    ResponderEliminar
  10. olá R

    vou voltar sempre á minha questão e experiência !
    ... não sei se compensa sair muito e de "repente" da nossa "zona de conforto", ou melhor, do nosso "ritmo de conforto" assim só por "acaso" !!

    ...entendes o que quero dizer ??

    ...se for para criar rotina , se calhar faz sentido , mas se foi uma coisa esporádica , a mim faz mais "mal" que bem...ehehheh...

    mas prontos , entendo que são estas modernices destes treinos todos programados e estudados por especialistas , quem sou eu para os interrogar !! eheheh

    seja como for , se te sentires bem com esse "estilo" de treinos e se a longo prazo vai ser um factor positivo e de acrescento á corrida e á forma-fisica , ainda bem :D , boa sorte... ;)


    continua com os bons treinos , é uma delicia de ler as tuas descrições em andamento :D


    bom fim de semana
    ajB

    ResponderEliminar
  11. Olá,

    Apesar de tudo foi um grande treino! sabes que a maioria dos meus treinos que ficam na memória começam assim tambem? começo por dizer " ahhh hoje não!" e depois começa a formar-se uma ideia de que vou " mas curto!" saio lento e desajeitado, com frio, acho-me lento e pesadão, os pés batem arritmadamente no chão, as distancias custam a fazer-se, quando olho pro relogio vejo que vou rápido. Tu foste passando outros atletas tambem, é um processo natural R faz parte da nossa evolução. A sensação que tinhas de mal estar e de custar a correr é o excesso de roupa que levas, o nosso corpo é perfeito e tem uma regulação de temperatura muito eficaz se o abafamos reage assim..

    :)
    J

    ResponderEliminar
  12. O livro é super interessante, não é? Já acabaste de ler?

    A correr assim não tarda muito estás a bater o teu recorde pessoal dos 10km =)
    Beijinhos e boas corridas

    ResponderEliminar
  13. AjB: Ai estas "modernices"! ;) Mas não houve estratégia nenhuma, fiz o que me estava a apetecer naquele dia (já agora, tens de me dizer se às vezes também tens problemas com o upload do teu 410!!) e o conceito de "conforto" é relativo (e eu sou uma exagerada.. ;p). Entendo as reservas, eu também sou um pouco contra programas extremos (de treinos ou outros) mas, neste caso, trata-se apenas de querer puxar mais pela minha preguiça, para evoluir. Evoluir para quê? Perguntas bem. :) É como em tudo na vida, não gosto de estagnar. "Running water never grows stale"... ;) Beijinhos e bom f-d-s.

    Jorge: Então o excesso de roupa é que foi o culpado... ainda bem! ;) E no verão, qual é? :) Passo uns, sou passada por outros, é assim a vida e os treinos. Como vão os teus? Beijinhos

    Isa: Esta semana tenho lido pouco, a ver se acabo este f-d-s. Agora os objectivo são as provas maiores! ;) Beijinhos

    ResponderEliminar
  14. esses treinos mais velozes me dão muita alegria: quando acabam:)
    têm o seu desafio, e fortalecem muitas vezes mais o espírito que as pernas;)

    uma viagem seu treino, contado assim, de uma maneira tão deliciosa que faz viajar!

    ResponderEliminar
  15. Durante alguns treinos tenho esses pensamentos, depois fico com a sensação que era mesmo o que precisava.
    Quando no emprego estou a pensar que tipo de treino vou fazer, está tudo dito em relação ao gostar (e precisar) de correr.
    O meu 210,de vez em quando,também tem dificuldades no upload.
    Já estou inscrito para Bucelas.

    Bjs

    ResponderEliminar
  16. Elis: É isso mesmo, dá uma alegria enorme... quando acaba! :) Sim, às vezes a dificuldade é mais mental que física. Beijos

    V: É incrível o que a disposição pode afectar-nos fisicamente. Eu tenho de calar diabinhos muitas vezes. :) Então é isso que fazes em horário laboral? :p Tenho de tratar disso também, antes que esgote. Bjs

    ResponderEliminar
  17. Mais um belo texto "menina", até fiquei "cansado" de participar no treino...sei exactamente o que sentiste - e podes crer que os atletas de elite sentem o mesmo - cada um a seu ritmo.
    Faz isso uma vez por semana, e vais ver daqui a 2 ou 3 semanas fazes o percurso mais facilmente e mais rapido.
    Beijinhos e boas corridas.

    ResponderEliminar
  18. Carlos: É essa a ideia, que daqui a umas semanas custe menos... Beijinhos e boas corridas!

    ResponderEliminar
  19. É assim mesmo miuda :D Adorei o texto!
    Beijinho*

    ResponderEliminar