1 de abril de 2013

Arrufos


Ao fim de mais de um ano e meio de relação, é oficial: eu e a corrida estamos a passar por uma fase. Começou há três semanas, quando fiquei doente e sem disposição para as suas exigências, depois foi aquele encontro agridoce na Meia Maratona de Lisboa e agora esta última semana, em que, ora sou eu que quero ir fazer uns quilómetros mas ela não está para aí virada e torna-se muito cansativa, ou então é ela que, ao final da tarde, começa a piscar-me o olho para sairmos de casa mas depois sou eu que digo "naa, deixa-me mas é ficar aqui no sofá a comer mais umas amêndoas de chocolate". E tem sido assim.

O cúmulo foi este sábado de manhã. Pensei acordar cedo, para aproveitarmos os raros momentos de sol ultimamente e darmos um belo passeio à beira-rio mas, foi claro aos primeiros minutos, não estávamos em sintonia. Foram 8km muito longos.

Sei que isto acontece nas melhores relações e não põe em causa os meus sentimentos, no entanto, não tem sido agradável.

Acho que estamos a precisar de sair da rotina e ir por aí conhecer sítios diferentes e bonitos, de preferência, sítios diferentes e bonitos pelos campos. Afinal, temos o amor pela natureza em comum.

Tempos felizes.

Recriar aqueles belos momentos, só nós e o caminho, cheio de pedras e pó que se cola à pele transpirada. O silêncio.

Assim sendo, este mês, em que vou completar mais um ano de vida, quero levar a corrida a um sítio bonito (ou é ela que me leva a mim?), já estou a escolher a prova. Vai ser esse o objectivo de Abril: redescobrir porque comecei e confirmar que tenho pernas para continuar, apesar (e sobretudo por isso) das dificuldades.

Entretanto, para não estar sempre aqui a desabafar as minhas quezílias atletrimoniais, só volto a dar novidades quando tivermos feito as pazes, o que há-de ser em breve, espero.


Porque, no fim das contas, não há dúvidas: desde que cruzámos a meta da primeira prova, aquela sensação... Eu soube que era um amor para a vida.



26 comentários:

  1. é... todos os amores, todas as relações passam por várias fases, não são estáticas, estão aliás em constante evolução, seja lá em que sentido for. Há até alteração de sentimentos.

    Mas enquanto houver felicidade, enquanto ela nos fizer felizes, por momentos que seja, é lutar por manter a relação! E olha que a minha já dura há... quase tantos anos quanto eu própria tenho :)

    E tu também, tanto quanto eu sei. Foram apresentadas eras tu ainda menina, não foi? EStá certo que só há ano e meio têm uma relação mais próxima e íntima, mas no fundo sabes que ela está contigo há muito mais tempo!

    Beijinho e toca a mudar a rotina! Como em todas as relações, é necessário!

    ResponderEliminar
  2. Somos feitos de emoções, sensações e momentos. Mas também temos alturas que precisamos de dar um passo atrás para ganhar balanço.
    Provavelmente estás a precisar de variar qualquer coisa para sair dessa tua letargia. E essa simples e ocasional mudança, pode ser o detonador para uma motivação couraça.
    Isto é um teste que a corrida está a fazer a ti.

    Muitos beijinhos e força

    ResponderEliminar
  3. Também faço anos este mês! Em que dia fazes? Que prova pensas ir?

    ResponderEliminar
  4. Com mais de 30 anos de relação com a corrida já tive grandes zangas com a mesma e situações de quase divorcio!
    Mas tudo passa porque amor é muito grande!
    Conto contigo e com a Rute na Corrida do Guincho a 26 de Maio para a
    A 28 deste mês (Abril) tens uma prova excelente para uma nova lua de mel com a corrida. Pena é ser longe, Arouca, mas valia a pena a viagem e seria uma excelente prenda para ti própria! Corria essa prova precisamente no dia em que fiz 50 anos!
    Lá no UK podes saber mais sobre a prova e também te posso arranjar algumas fotos.
    Seria uma verdadeira comunhão com a natureza e um recarregar de baterias para ti.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  5. A seguir a uma prova mais exigente, também me sinto assim, saturado... Nada como variar os treinos, treinar menos, fazer outras coisas, que o drive para correr volta mais rápido do que se está à espera. :)

    ResponderEliminar
  6. É como dizes são fases, aconteceu-me durante uns meses o ano passado, acabei por fazer um quase recomeço do 0 na corrida, e aos poucos a motivação foi voltando.

    O "aumentar" dos dias e o regresso do sol também deve ajudar a motivar mais para dar uma corridinha.

    Encontramo-nos dia 14 em Sesimbra?

    Beijinhos
    João

    ResponderEliminar
  7. Eu percebo bem o que sentes. Há fases em que sinto tal e qual isso em relação à culinária: porque não me apetece, porque estou cansada, porque estou farta, porque só quero cobrir-me com o cobertor, deitar-me no sofá e esperar que o dia de amanhã chegue e que vença a inércia. Sinceramente eu acho que essas fases têm de ser respeitadas, e até aproveitadas: se não te sentes bem e se não te dá o gozo do costume, então o melhor é mesmo fazeres o que te apetece, sabendo porém que quando amamos mesmo fazer alguma coisa a fase de aborrecimento irá passar ;)

    Espero que voltes a correr em breve :)

    Beijinhos e tem uma óptima semana :D

    ResponderEliminar
  8. Ana: Sim, é um amor de infância, mas a sério só há ano e meio. :) Mas é como dizes, são fases. Espero que esta seja seguida de uma evolução positiva. Beijinhos

    João: "Letargia", é essa mesmo a palavra. Sabes que estou em fase de mudanças e isso também me tem deixado cansada. Beijinhos e obrigada!

    Sílvio: Era para ir à da Arrábida, mas é já este fim-de-semana e acho que não estou em forma (nem tenho ainda ténis). Talvez Sesimbra, mas gostava de outras opções mais baratas!

    Jorge: Sim, essa do Guincho também devo ir. Já tinha lido sobre o Circuito de Arouca. De facto é um pouco longe, mas era um bonito sítio para uma nova "lua de mel" como diz. :) Beijinhos

    Bluesboy: Mudastiii! (Como dizia o anúncio parvo :p)

    João: Acho que o sol vai dar uma ajudinha (sempre posso sair mais tarde para treinar sem preocupações). Tenho de comprar os ténis até lá, senão não arrisco! A ver se passo no Freeport esta semana. Beijinhos

    Joana: É isso mesmo, Jo. Sem pressões a alegria volta. Beijinhos!

    ResponderEliminar
  9. Olá Rute, isso passa....faz um Trail, melhor um Free Run .... com um pessoal à maneira, no meio da natureza vais ver que tu e as corridas vão voltar mais unidos do que nunca, "quiça talvez casar" :D
    Beijinhos e boas corridas
    P.S. Inscrevi-me nessa prova de Arouca há uma semana (para mim são só 50kms)- tal como o Jorge, vários dos meus colegas de equipa dizem maravilhas dessa corrida, que é dura, com muitas subidas (algumas só mesmo a caminhar) - dizem que é lindissima.

    ResponderEliminar
  10. Carlos: Ahah, sim, quiçá. :) Em relação ao Circuito de Arouca, aquela altura acumulada em apenas 13,5km é assustador! Pelo menos para mim, que corro aqui nas planícies... Ando há uns tempos para fazer uma prova-turismo, vamos ver se pode ser este mês.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  11. Olá Rute.
    Essa relação tem pernas para correr, tudo vai acabar bem.
    Além de outras coisas que possam estar a pesar, penso que a rotina será uma das razões. Quando fizeres o próximo trail, num local bonito e sem preocupações de tempo, o vosso entendimento será total e definitivo.

    Beijinhos e boa semana.

    ResponderEliminar
  12. Se calhar tens de tentar variar um bocado o local de corridas. Experimenta ir correr 1x/semana para um local diferente. Pode ser que resulte.
    Pode ser da monotonia dos treinos e assim já animavas mais com a corrida. Monsanto é excelente para quebrar a monotonia =)

    Beijinhos e força!

    ResponderEliminar
  13. Menina, eu passei o meu Inverno assim. Tu é com a corrida, eu foi com tudo! Bolas para estas nóias!!
    O que é bom é que eu sei que as fases passam. Temos é que saber ler em que fase andamos: devemos deixar andar? devemos contrariar? o que é melhor para nós?...tantas perguntas e a vontade não aparece.
    Sabes o que te digo?! melhores dias virão e a fase vai passar :)
    Beijinhos grandes

    ResponderEliminar
  14. V: Acredito que sim, melhores dias virão! Isto passa. Gostei do trocadilho com as "pernas para correr". :) Beijinhos e boa semana.

    Isa: Tenho de ir fazer um treino a Monsanto em breve! :) Beijinhos

    Lulu: Aqui centro-me mais na corrida, como é óbvio, mas acho que é uma fase geral. Ando cansada... Se calhar é deste Inverno que nunca mais acaba... (e eu até gosto bastante de chuva). Pode ser que com o sol as coisas comecem a brilhar mais (para mim e para ti também). :) Beijinhos grandes

    ResponderEliminar
  15. Tenho a certeza que é só uma fase, eu que nunca fui grande corredora, e agora não o sou de todo, já tive esse sentimento.. para mim é uma relação de amor ódio :)
    Mas agora que não tenho ido, tenho sentido tantas saudades que nem sabes! Vais ver que mesmo que agora pares um pouco, o vicio e o bixinho da corrida vão voltar! É uma sensação que nunca se esquece, chegares à tua meta é uma tentação que não se perde no tempo :)

    Beijinhooos e animo! :D

    ResponderEliminar
  16. há fases assim, mesmo com as nossas maiores paixões... "dá um tempo" como se costuma dizer e quando deres conta, já regressaste em grande :)! às vezes, precisamos parar, analisar o que nos deixa assim mais sem vontade, para depois poder recomeçar a sério e com a mesma garra! a garra que já mostraste ter :) e essa paixão que te move quilómetros e quilómetros!

    beijinho :)

    ResponderEliminar
  17. Tava praqui a escrever um comentário todo cheio de "moral" e "bons-costumes" , daqueles que parecem muito importantes e que podem fazer "diferença"...mas bahhhh... !!


    Well, I've seen that you've grown now
    With the horses you ride
    Gonna have your say now
    I see the new moon rising

    Oh, she don't mind
    She got the time
    I see the new moon rising

    ...
    ...
    ...

    See the new moon rising
    When the (tides are turning?)
    She got the (luck of knowing?)
    She got the (?? showing?)
    Well, they're all in-love now
    And, see the (fields are turning?)
    I see the new moon rising

    I see the new moon rising

    Oh, she don't mind
    She got the time
    I see the new moon rising


    Wolfmother - New Moon Rising


    ...e prontos , não tenho grande coisa a dizer , apenas que espero que sim !!

    ...força nisso R.


    ajBernardo
    (é desta que sou "expulso daqui") ehehheh...

    ResponderEliminar
  18. Como te compreendo, acho que é assim em relação a tudo na vida. Vai passar que esse teu amor é bem forte. Beijo e volta rápido

    ResponderEliminar
  19. Serependity: Por agora não estar a ser nem amor nem ódio é que me vou limitar a pequenas corridas, sem stress. É só até arranjar novo objectivo. :) Beijinhos

    Tralhas: Obrigada. Não sou fã do "dar um tempo" :), ou sim ou sopas! lol É só um mês complicado, mas volta tudo ao normal. Beijinhos

    A: Eu não expulso ninguém, um blogue é um bocadinho ditadura, mas não exageremos... :) Quando não se tem muito a dizer, põe-se uma música a falar por nós (que não conhecia, já agora). Tks, bjs.

    Sweet: Obrigada, beijinhos grandes.

    ResponderEliminar
  20. Não sei se a minha opinião vai destoar da da maioria: não me parece que seja uma situação limite a que estás a atravessar.

    Contudo, como em tudo na vida, tudo tem um fim. O que varia, normalmente, são os motivos para esse fim.

    Eu viverei bem no dia em que me sentir cansado de correr e não me apetecer mais continuar.

    O importante é encararmos as nossas vontades e desejos com naturalidade, aceitando aquilo somos e queremos.

    Já deixei para trás projectos que adorava, simplesmente, porque deixei de os adorar, por exemplo. Por não ter vontade. Por não me preencherem. Porque sim.

    No fim, o que conta, é não nos arrependermos das decisões que tomámos. Até podem vir a revelar-se erradas, mas isso não interessa, se as tomarmos em consciência.

    Se te apetece e queres continuar, continua. Se não te apetece, se te fartaste, existem montes de outras coisas iguais ou melhores, para fazer, com certeza.

    Boas corridas!

    ResponderEliminar
  21. Luís: Estou de acordo contigo. Se as coisas já não nos dão alegria, sobretudo se forem "hobbies", há muitas outras coisas para experimentar e viver.
    Não é o caso, já que, pelo menos de momento, não sei o futuro, não me imagino sem correr (mesmo não participando em provas, sinto falta de correr diariamente, faz parte do meu dia-a-dia). Apenas ando cansada e isso acaba por reflectir-se fisicamente, a a nível de ânimo também.
    Obrigada pelo comentário. Boas corridas!

    ResponderEliminar
  22. Só para deixar uma contribuição auto-biográfica, no seguimento dos muitos insights aqui deixados:

    Comecei a correr em 2007 e algures em Outubro de 2009 comecei a sentir uma certa saturação... acabei por parar cinco semanas e o recomeço foi das experiências mais humildes que tive, no que toca ao efeito do trabalho continuo no nosso corpo. Nessas cinco semanas houve coisas que voltei a fazer com mais frequência (tocar mais guitarra foi uma delas), mas como não forcei o recomeço, porventura por estar saturado, foi um tempo que se passou com naturalidade.

    Também não me vejo a deixar de correr e mesmo parecendo estranho para muita gente, correr é imprescindível para mim... mas terá sempre intermitências, seja por doença, saturação ou outros factores. O que tenho também aprendido é que a corrida, como qualquer passatempo só se desfruta se levarmos isto para a parte lúdica. Há uma frase de um guitarrista (Les Paul - é mais famoso pela guitarra que criou do que pelo que compôs) que resume muito bem isto: "You don't work the guitar, you play it". Acho que aplicando o mesmo princípio na corrida, tem tudo para correr bem! :)

    ResponderEliminar
  23. Bluesboy: Não acho estranho que digas que correr é imprescindível para ti, eu também sinto isso, por várias razões.
    "You don't work the guitar, you play it" - well said, Les Paul! :) E é mesmo isso que resume tudo. Tudo o que disse no texto e nos comentários acima.

    ResponderEliminar
  24. Sempre que leio um post deste género, e neste mundo das corridas muita gente passa pelo mesmo, lembro-me das palavras que um grande amigo me disse quando eu também me senti assim: "quando as corridas, os treinos, as provas correm bem tudo é fácil e continuamos em frente. O difícil é continuar quando (quase) tudo nos corre mal. É como na vida, no trabalho, no amor... Não podemos desistir só porque estamos a passar por uma fase menos boa! Há que continuar! Força!

    ResponderEliminar
  25. Não sei porquê, mas este post tinha-me passado ao lado e só agora o li. Antes de ver os comentários e as tuas respostas, fui ver a data do mesmo e a 1ª coisa que pensei foi "Boa. A R. quer apanhar o pessoal no dia das mentiras". Mas afinal parece que não. Eu desde que fiz a 1/2 maratona ainda não voltei a correr. Primeiro porque me doía a perna e depois por falta de motivação. Acho que o que te está mesmo a fazer falta são os montes e os trilhos e fugires o mais possível do alcatrão. E aí vais ver se se reacende a chama da vossa paixão. Beijinhos.

    ResponderEliminar
  26. Run: Sim, foi só uma fase. Às vezes é preciso descansar. Obrigada!

    Tigas: Por acaso, depois de escrever, lembrei-me disso! Mas não foi nenhuma mentira do 1 de Abril. :) Espero que também já te tenha voltado a motivação, talvez nos encontremos em Sesimbra! Beijinhos

    ResponderEliminar