6 de maio de 2013

Corrida Terry Fox

O sábado começou com a corrida familiar da Terry Fox, evento a que não falho desde que o descobri, há 3 anos. Nesse final de tarde iria participar noutra prova, mas também pensei que não seria por cerca de 5km de manhã, não competitivos, que, em último caso, poderia sempre fazer a andar, que iria prejudicar a minha prestação posterior.

Assim sendo, às 10h15 estava à porta de casa dos meus pais, mais perto do local, para ir buscar a companhia do meu pai.

As inscrições fazem-se sempre num instante e sem espera. Basta dar o nome e dão-nos um cartão para levantar a t-shirt, onde deixamos em troca o donativo (mínimo €5) e em menos de um minuto estamos todos vestidos de gémeos.
 

Regra geral, o circuito consiste em três voltas a um local designado (aprox. 5km), mas as pessoas correm ou andam o que quiserem. Há quem faça apenas uma volta e está o contributo dado, que, na verdade, é o que importa, mas também há quem aproveite para fazer um treino acompanhado e acaba por dar mais voltas.

Este ano o percurso era diferente, por estar a decorrer em simultâneo o Triatlo de Lisboa, logo ao lado. 1,9km a nadar, 90km a pedalar e uma Meia Maratona a correr... Nem tenho palavras e isto é "apenas" metade de um Ironman, imaginem.
O ano passado tive a felicidade de ver chegar o último classificado, mas este ano não ia poder passar por lá da parte da tarde. No entanto, enquanto esperava que a corrida começasse, ainda vi chegar alguns dos atletas do Olympic Plus (950 metros natação, 45km ciclismo, 10,5km corrida), que teve início à mesma hora do Triatlo Longo, 8h20.


E às 11h soa a buzina para o início da nossa prova.
Este ano não houve a largada de balões, que sempre dava um efeito bonito (os cortes afectam tudo...), mas o ambiente é de festa na mesma. Quem quer fazer esta prova a correr, aconselho que se posicione mais para a frente, já que há muitas famílias com cadeirinhas de bebés e crianças (vi até um ou outro cão) e assim ninguém atrapalha ninguém.

Ao completar a primeira volta o relógio assinalava um pouco acima de 1,6km. Ainda completei mais uma a correr, mas resolvi andar na terceira. Não estava cansada, mas não queria que fosse por mais 1600 metros que as minhas pernas empenassem para depois (podia acontecer)... :) Quis também aproveitar para, com mais calma, ver se encontrava uma amiga com quem tinha combinado encontrar-me na prova mas, se passei por ela, não a vi. Por outro lado, passei pelo Arrumadinho e a Pipoca duas vezes.

Agora vou confessar-vos uma coisa: eu, que sou uma pessoa que é raro emocionar-se ou chorar, em público, (a não ser que me ponham a ver filmes tristes, sobretudo com animais fofinhos, nem me falem do Hachiko....), nesta prova fico sempre de lágrima ao canto do olho. Não sei, é uma coisa parva (graças a Deus estava de óculos escuros), mas dá-me fé na humanidade ver que as pessoas ainda se juntam por boas causas. É que, nesta corrida, somos todos da mesma equipa:

Equipa Terry. Não da Olá (embora agradeça o gelado no final)

Há mais de 30 anos, o Terry Fox pode não ter concluído a sua travessia, mas continua a correr até hoje...

(Limpa a lagrimazinha).


E à tarde era hora do 1º Trilho das Lampas! A crónica de 18km de corrida espectaculares, a seguir.


15 comentários:

  1. Foi uma manhã bem passada :)
    Foi a 1ª vez que fui a esta corrida/caminhada e gostei muito de participar. É para voltar.

    Também vi o pessoal do triatlo.
    A minha mãe virou-se para mim e disse "isto também deve ser giro...". Claramente a dar-me a dica...um dia, quem sabe ;)

    Beijinhos e estou à espera do relato dos Trilhos das Lampas :)

    ResponderEliminar
  2. O ser humano tem potencial para ser intrinsecamente bom. Onde podes ter visto excepção (pessoas reunirem-se para apoiar uma causa), é apenas um exemplo do que somos quando resolvemos meter o humanismo cá para fora em toda a sua plenitude e afirmamos uma visão mais positiva do que nos rodeia. Há muitas acções, mesmo quotidianas, quase fazemos todos os dias, que estão na linha do que observaste na corrida Terry Fox. Terão, certamente, menos visibilidade. Mas não são tão poucas quanto isso. :)

    Sobre isto, recomendo (bastante) o trabalho de Carl Rogers.

    https://www.boundless.com/psychology/personality/humanistic-perspective/carl-rogers-view/

    ResponderEliminar
  3. Tive mesmo pena de não poder ir :( Mas também estava adoentada, e tive de ir ao Porto, enfim... Para o ano não falto, está prometido :D

    Beijinhos e tem uma óptima semana! :D

    ResponderEliminar
  4. correr como uma menina.. com a paixão de um gigante...

    ResponderEliminar
  5. Bonita corrida com um significado especial, em honra de um grande homem que como tu dizes "ainda hoje corre".
    Beijinhos e manda lá essa crónica da outra prova, que eu não aguento....

    ResponderEliminar
  6. Bonito artigo. E que me fez sentir em falta por não ter ido este ano.
    A rectificar em 2014

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Ah! Esqueci-me de referir uma coisa. Eu tenho gravado na box o Hachiko há uns 2 ou 3 anos. Sensível como sou, ainda não tive coragem de o ver... por isso entendo-te perfeitamente.
    Somos constituídos por emoções

    ResponderEliminar
  8. Isa: Lá giro deve ser... :) Deixa-me aprimorar a corrida primeiro e depois penso nisso. lol Beijinhos e espero que se tenham divertido!

    Bluesboy: Agora lembraste-me quando estudava e demos a Teoria do Bom Selvagem... aquilo deu cá um debate! :) Sinceramente não sei se é assim tão fácil definirmo-nos por intrinsicamente bons ou maus... são conceitos. Mas de certeza que estás mais habilitado para falar disso que eu! :) Vou ler o artigo e fica para tema de conversa num próximo pós-corrida! lol :) Beijinhos

    Joana: Não faltas e combinamos em local prévio!! :) Beijinhos

    Nainho: Há dias melhores que outros, mas a paixão está lá, sim. ;P Beijinhos

    Carlos: Lol Ainda vais ter oportunidade de ler muitas crónicas sobre este trilho, de certeza. Pelo menos mais duas (as dos meus companheiros de corrida). Mas já está em andamento... :) Beijinhos (entretanto vou ler as tuas, que também tens andado bem "ocupado"!)

    João: Tens de ir mesmo para o ano! E o Hachiko, estás a avisado, vais chorar!! :)! Ainda foi "pior" que o "Marley e Eu"... Mas é uma história tão bonita, sobretudo sendo verdadeira. Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Sem duvida uma corrida com um significado muito especial.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  10. Jorge: Sim, sem dúvida. Beijinhos

    ResponderEliminar
  11. Estou em falta nesta corrida. Conheço a história de vida do Terry Fox e não fico indiferente a ela. Acho que ninguém consegue ficar.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  12. V: Para o ano tens de ir, é pertinho. Se houver trilhos outra vez à noite, já sabes, serve de aquecimento. ;) Beijinhos

    ResponderEliminar
  13. ...tambem me emociono com estas "iniciativas" !!
    ...eu nisso sou um optimista , continuo a acreditar no ser humano , embora ás vezes a revolta e a desilusão tambem sejam grandes , a esperança e sentimento de bem , nunca os vou perder !

    desculpa o desabafo.

    tive pena de não poder ir , mas com aniversario da mãe e o "empeno" marcado para o lusco-fusco" , foi impossível !! :)

    talvez para o ano...

    parabens pela participação...

    ajb

    ResponderEliminar
  14. Menina que corre,
    Ainda estou com o fel de termos estado tão perto e não nos termos cruzado!
    Agradeço teres publicitado a prova o ano passado e isso foi o que me impeliu a ir e levar companhia.

    A nossa companhia de comer o gelado final...foi a Pipoca, mas eu queria era encontrar-te!!!
    Acho que se fez muito bem e foi giro terem feito o percurso no sentido inverso do ano passado. Bem...não me parece que tenham feito de propósito, mas sim por causa da outra prova.
    Quando chegamos lá e vimos que havia uma bancazinha com meninos a fazerem massagens pareceu-me tão bem e bom!...pois! era para os desportistas do triatlo e não para os participantes Terry Fox. Ahhhahhh.
    Eu gosto muito do espirito desta corrida - participar, doar, apreciar os voluntários - algumas devem de ter passado 1 hora e meia a dizer, "boa", "bom ritmo", "já falta pouco", "não se esqueçam de respirar" :)
    A Nina não ganhou medalha nem havia balões, mas ficou feliz na mesma :)

    Para o ano estamos lá outra vez!e vamos levar mais pessoal a participar!

    Beijinhos grandes

    ResponderEliminar
  15. A: Apesar de ser uma pessoa positiva e achar que tudo se resolve e fica bem, a minha fé na humanidade nem sempre é das melhores... É contraditório e estranho, eu sei, não faço sentido! :P Se a tua mãe fazia anos, há prioridades. Em relação ao empeno não tinhas de te preocupar. :) Bjs

    Lulu: Também reparei que este ano havia mais voluntários a colaborar, se calhar pelo percurso ser diferente, não fosse alguém perder-se! :P Ainda bem que a Nina gostou, assim vai crescer a querer ajudar e fazer exercício. ;) Beijinhos

    ResponderEliminar