27 de junho de 2013

Não há duas sem três

Finalmente o terceiro treino longo em Monsanto. Já se passaram alguns dias,  mas não poderia passar sem ser relatado, porque é com agrado que tenho verificado que havia muitos monsantólicos anónimos por aí escondidos e que se têm vindo a assumir! Por enquanto sou apenas membro honorário, mas dêem-me mais uns fins-de-semana e quilómetros acumulados e assumo-me, como vocês.

Se bem se lembram, na sexta tinha ido andar de bicicleta e estava com medo que no dia seguinte tivesse um acordar doloroso, mas não. Quer dizer, realmente, tinha uma dor localizada... (digamos que o meu selim não é dos mais confortáveis...), mas nada que afectasse a corrida, por isso acabei por ir treinar no sábado de manhã.

Ao contrário do treino anterior, a solo, desta vez queria companhia, porque estava na ideia de fazer pelo menos 3 horas de treino, englobando todas as subidas mais difíceis, sem fugir, como gente grande (sozinha tinha medo de cair na tentação de dar meia volta).
Sabia que ultimamente o Vitor andava a fazer os treinos longos por lá e como também lhe interessavam mais as horas nas pernas do que a distância percorrida, assim não ia prejudicar a sua prestação, que é sempre o meu grande receio quando faço treinos conjuntos.

Claro que isso não significa que não tenha abusado da sua boa vontade, pelo contrário. Como tinha companhia masculina, achei que devia aproveitar para conhecer aqueles atalhos por sítios recônditos que sempre quis correr mas tive medo de experimentar. E então ele acabou por ser arrastado por percursos mais técnicos e duvidosos (=bons) do que o habitual.


O local acima foi uma nova descoberta. Num grande "buraco", que lembra uma pedreira, esconde-se este parque de desportos radicais, com as pontes suspensas e parede de escalada.
Gostei bastante desta zona, onde se pode correr por carreiros bastante técnicos que eu adorei e o Vitor também, porque disse que eu era a melhor guia de sempre. Pronto, não disse, mas presumo que fosse isso em que ele estava a pensar quando ficava em silêncio.

Nem por acaso, mais à frente perdemo-nos.

Há alguns trilhos sem saída ou caminhos que vão dar a portões de propriedades privadas ou estradas que não dá para atravessar, faz parte do encanto de Monsanto. Mas é como vocês dizem, uma pessoa não se perde, perde, porque há sempre maneira de nos localizarmos em relação a algum marco de referência.

Como estávamos a atacar as subidas e os single-tracks, tive de andar bastante e ainda parámos duas vezes para comer qualquer coisa. O calor começou a apertar com o avançar das horas e a água na minha mochila já estava tão quente que não me refrescava, pelo que comecei a ficar dependente dos bebedouros.
Estava cansada, suada, numa mistura de sal com protector solar na pele que me ardia nos olhos, e cada zona sem sombra era um desconforto acrescido. Para o fim já fazia quase todas as subidas em power-walk, recuperando a (pouca) velocidade nas descidas, mas tínhamos passado a barreira dos 20km e o meu desejo secreto de ultrapassar a distância feita no treino anterior (22km) foi assumido em voz alta. Já faltava pouco.

Foi assim que, em cerca de 3 horas (parei o relógio nos "abastecimentos", um bocadinho de batota), fizemos 23km, num número que fiz questão que saísse redondinho, como não podia deixar de ser. Antes do Vitor aparecer, ainda tinha feito cerca de 1km, em jeito de aquecimento, mas, para todos os efeitos, conto os 23km como distância oficial do treino.

Considerações:

- Hidratação é muito importante, para a próxima ponho, na noite anterior, o depósito da água da mochila no frigorífico, numa tentativa de o manter fresco durante mais tempo.
- O calor intensifica a transpiração que intensifica os raspões... (até a etiqueta dos calções me deixou uma marca...) e geralmente estas coisas só são notadas, de forma muito dolorosa, no duche.
- Nunca o sofá me soube tãoooo bem.
- Uma pessoa fica com o corpo k.o., mas com a mente vitoriosa.

21 comentários:

  1. Bom dia.
    Sobre o pobre do selim :) sim, há selins desconfortáveis, mas o comum é o rabo não estar habituado a ele. E isso só se consegue obter se pedalarmos com regularidade. O meu truque, que já tive de pedalar 100Km com uns calções com almofada de grossura desprezível: gordura, muita e muita gordura para as assaduras. As casas ciclismo costumam vender esta gordura. A Decathlon também tem, mas é muito oleosa. Eu nunca saio para pedalar (mesmo com calções com grande almofada) sem me besuntar de forma generosa. Faz milagres.
    Das considerações:
    - Sim, refrescar a bebida ao máximo é uma possibilidade. Mas tem um senão: não dura muito. Se estiver demasiado gelada impede que se beba durante o início do treino, o que atrasa o processo de hidratação. Quando está muito calor e insistimos em ir correr, uma solução é tentar fazer circuitos circulares onde tenhamos que passar pelo carro. Assim, podemos deixar o abastecimento no carro, dentro de uma geleira e numa temperatura mais controlada. Depois, ou bebemos apenas no carro ou enchemos as garrafas que lavamos à cintura. É mais monótono mas serve quando o calor é muito e os treinos são longos.
    - Mais calor, mais transpiração, mais assaduras. Novamente a técnica da gordura aplicada de forma generosa nas partes de maior fricção ou sujeitas a assaduras.
    E cuidado com as lesões. É que muitos treinos longos ...

    ResponderEliminar
  2. E aos poucos vais aumentando a quilometragem nas pernas :)
    Grande Rute!

    Monsanto é um espectáculo, não é? E com companhia custa sempre menos.

    Essa zona da "pedreira" até é engraçada e não sei porquê só lá fui duas ou três vezes e já lá não vou há vários meses. Um dia destes combinamos um treino juntas por lá(mais curto, pois longos agora tenho de os fazer em alcatrão), porque sozinha tenho sempre algum receio de me aventurar por alguns locais menos movimentados.

    O calor só nos traz é desconforto, mas agora temos de levar com ele. Volta Inverno! =)

    Beijinhos e boas corridas.

    ResponderEliminar
  3. Bluewater: É verdade que o meu rabo não está habituado, mas aquele selim também tem culpa! :)
    Quanto à água, até cheguei a considerar colocar alguns cubos de gelo. Lá está, não dura muito, mas talvez aguente fresca mais tempo??
    Eu costumo pôr vaselina nas zonas mais propensas a raspões, mas este da etiqueta foi um local novo! Já retirei as etiquetas de todos os calções, só para precaver.
    Sim, eu vou sempre atenta a novas dores, para além de correr sempre devagarinho.
    Obrigada pelas sugestões!

    ResponderEliminar
  4. Ai como te compreendo quanto ao efeito terrível que as etiquetas daquilo que vestimos pode ter sobre nós. Nunca me tinha acontecido nada do género até à participação na Meia Maratona de Setúbal, em que a etiqueta me deixou uma bela marca que apenas senti quando ardeu e MUITO no duche. É a prova que temos que ser muito atentas a todos os pormenores daquilo que utilizamos nos nossos treinos e provas :). Continuação de bons treinos!

    ResponderEliminar
  5. Ontem também andei por esses lados, mas no meu caso foi mais no passeio ;) Ainda bem que correu tudo bem (apesar das assaduras!) e muitos parabéns pela nova distância percorrida :D

    Bem, nem me fales do 'ter ganhado'! Eu tento não corrigir as pessoas, mas muitas vezes elas é que me corrigem a mim dizendo que é 'ter ganho!'. E a questão dos gramas é uma questão particularmente sensível, principalmente tendo em conta que vá, tenho um blog de culinária. Às vezes vejo vídeos em que a malta diz 'duzentas gramas' e aquilo até me arranha os ouvidos :P

    Acho que devia haver campanhas nas estradas, do género 'não beba e conduza' 'cuidado com o excesso de velocidade' 'grama é uma palavra masculina!' :P

    Beijinhos :D

    ResponderEliminar
  6. Quando for grande, quero ser como vocês, gentes que vão intrepidamente para Monsanto fazer às duas e três horas de treino de cada vez. :)

    Bjs e boa recuperação.

    ResponderEliminar
  7. Grande treino, Rute! Muitos parabéns :)

    Beijinhos e força para mais

    ResponderEliminar
  8. Isa: Com companhia não nos damos tanto conta da passagem dos kms, é verdade. Depois digo-te qualquer coisa. Eu é ao contrário: curtos em estrada, longos em trilhos... :) Beijinhos
    PS: O meu "eu que corre" não gosta nada do verão... :(

    Fiona: É bem verdade. E um pormenor que nem damos conta, mas que em distâncias maiores pode fazer estragos! Beijinhos

    Joana: Ahaha, essa campanha seria linda... :) Andaste a passear por Monsanto assim, a meio da semana?? Belas vidas... :P Beijinhos

    Bluesboy: Lol É menos intrépido do que parece... :P Quando fizeres a prova por lá vais ver. ;) Beijinhos

    João: Obrigada, beijinhos!

    ResponderEliminar
  9. Que grande treino Rute e com a companhia do Vítor de certeza que foi um treino muito fixe.
    Quanto às etiquetas/fricções/assaduras, nada como usar sempre vaselina em dias de calor, até mesmo para distâncias mais curtas.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  10. Parabéns pelo treino. O lugar pareceu-me encantador. Fique atenta aos sinais do seu corpo. E parabéns pela sua reportagem. Muito legal mesmo!!
    beijo e bons km's!!
    Helena
    correndodebemcomavida.blogspot.com
    @Correndodebem

    ResponderEliminar
  11. Tigas: O stock de vaselina do Continente anda muito em baixo ultimamente, já lá fui duas vezes e não havia (na farmácia são mais caras). :) Parece que há muitos corredores com o mesmo problema (só os corredores é que compram vaselina, certo?:P) Beijinhos

    Helena: Obrigada. E é um local interessante, sim. Beijos e boas corridas!

    ResponderEliminar
  12. Treinaço! Faz-me lembrar o meu primeiro (e único até gora) treino em Monsanto. Mas conto repetir a experiência e muito em breve!

    Continuação de bons treinos!

    ResponderEliminar
  13. Venho confirmar que foi um grande treino e que tu és uma grande guia. É claro que era isso que eu ia a pensar :)

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  14. Muito bem Rute, belo treino...tás a ficar uma maquina. Agora faltou uma coisa....estava prometido o desvendar do "SEGREDO" - no último post prometeste desvendar no próximo, e o próximo foi este. Assim não vale!!!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  15. RBR: Tens de repetir agora, com o calorzinho, para aumentar a dureza! :) Beijinhos

    V: Ahah, vês, eu sabia. :) Beijinhos

    Carlos: O meu problema é que me entusiasmo a escrever e depois os posts já ficam longos só de si, estar a juntar dois temas era um testamento que ninguém lia! ;) Mas disse que era esta semana, e é! Mas não é lá grande segredo! :) Beijinhos

    ResponderEliminar
  16. Grande treino! O que andas para aí tu a preparar, hum? ;)

    ResponderEliminar
  17. Rute,
    Podes escrever testamentos (ainda maiores :)) que a tua audiência não te larga!

    "melhor guia de sempre" :) Eu sou daquelas que não me importe de seguir quem sabe e vai no caminho certo. Não gosto da pressão de ser a primeira (especialmente quando o palpite do "vou-me enganar" está no ar).

    Se acrescentares 1 km por semana, no final do ano estás a correr Portugal de "lés a lés" :)

    Bike - já falamos sobre os calções almofadados. O meus têm uns 7 anos e valeram todo o dinheiro que gastei. É claro que o selim também é importante...

    Beijinhos e bom fds que já não devo voltar ao pc amanhã!

    ResponderEliminar
  18. Ana: Obrigada. Não é nada de mais, mas como ando a hesitar, não queria escrever sem ter certezas. Beijinhos

    Lulu: A piada de ser a melhor guia de sempre é que não conheço quase nada de Monsanto. ;) Sou uma "desguia", portanto. :)
    Chega a um ponto em que acrescentar mais 100 metros já é um custo!
    Para além dos calções, és capaz de ter um rabo mais acostumado aos passeios de bicicleta... :)

    Beijinhos e bom fim-de-semana, aproveita o solzinho!

    ResponderEliminar
  19. Quando for grande quero ser (quase) como tu:)
    Por isso tudo que escreveste e mais alguma coisa é que se chamam treinos.
    Não apenas para apurar a forma mas também para ver como reagimos a condições semelhantes aquelas, equipamento incluido, que vamos ter nas provas que queremos participar.
    Cubos de gelo, pontos de água (ok, os bebedouros de Monsanto não são práticos para reabastecer o camelbak, mas há por lá torneiras ;))e levar, se der, 1 ou 2 garrafinhas congeladas e ir vertendo o liquido para o camelo.
    E sim, só os corredores é que compram vaselina.
    É nesta altura que penso que o dinheiro que gastei nos ultimos 2 calções foi a melhor decisão desportiva dos ultimos tempos.
    E se percebe que há diferenças entre uns a 7€ e outros a 25€ ou35€(além de uma margem de lucro obscena).
    Bom, para mim Trail agora só lá para meio julho, vou continuar a gastar o alcatrão da minha rua.
    Bons treinos.

    ResponderEliminar
  20. jnr: Há torneiras em Monsanto?? :) Tens de fazer um roteiro das torneiras! lol
    Pelo teu comentário questiono-me se passo a ideia de que, para mim, fazer 23/24km é fácil... NÃO É! Mas acho que o tempo passa mais rápido no meio da natureza do que na estrada (razão pela qual ainda não arrisquei fazer tal distância fora de trilhos).
    Eu às vezes não sei até que ponto alguns investimentos compensam - por exemplo, certos "bodyglides" caríssimos, todos xpto, que se vai a ver e não passam de vaselina com perfume... Mas em termos de equipamento, e tendo em conta o uso que lhe vamos dar, às vezes lá se tem de gastar mais um bocadinho...

    Olha que agora o alcatrão anda quente! :) Boas corridas

    ResponderEliminar
  21. Ahhhh, parece pelo que tu escreves que é facilimo :=, daí as assaduras :)
    Não, o que eu quero dizer é que eu ainda ando pelos 12/13km (e acima dos 3 digitos de peso...).
    Atenção que não falo em nada tão xpt como bodyglide e coiso e tal, isso é demais para mim e já dei a esse peditório, para ser mais claro, refería-me a 2 calções normalissimos da adidas, comprados a 50% na SportZone.
    Mas que fazem uma diferença do...ahh, grande em realação aos últimos investimentos desse tipo.
    Entre morfologia herditária, n anos a treinar principalmente velocidade e saltos, e agora um muy ligeiro excesso de peso era normalissimo ter assaduras nas coxas...e a culpa raramente a punha nos calções.
    Assim tenho 2 calções a rodar imenso, e tenho alguns encostados...quando chegar a chuva tenho que ir às compras pois só 2 não chegam.
    Qt às torneiras depois faço um mapa :)
    Ás 6 da manhã o alcatrão está apenas ainda morno ;)

    ResponderEliminar