23 de setembro de 2013

Caso clínico e confissão


Recentemente, fui acometida de uma doença designada por "Apelo das Rampas" (apelum rampitis, lat.) Esta doença do foro psíquico, manifesta-se primeiramente por uma vontade inexplicável de correr subidas. Mais concretamente, daquelas curtas e duras (subidas longas e pouco inclinadas, ou raiusquinuncamaisacaba, lat.,  é outra variante da doença que, felizmente, não incubei).
Sintomas desenvolvem-se mais ou menos da seguinte forma: uma febre ligeira, matinal, que se desvanece após o primeiro café. Depois, damos por nós a subir em marcha atlética a rua do bairro, de regresso ao lar após um dia de trabalho, mesmo com calçado impróprio. Dias depois, escolhemos um trajecto maior, só porque passa pela linha do comboio, que tem aquela rampa mesmo jeitosa. Passamos a incluir a rampa jeitosa nos nossos treinos habituais. Com o avançar da doença, começamos a analisar febrilmente o gráfico de altimetria de percursos perto de casa, em busca do Santo Graal das rampas. O grau de severidade da doença é directamente proporcional ao grau de inclinação almejado. E eu, meus amigos, sou um caso grave.

E agora vocês, inocentemente, podem dizer: "Mas isso é bom, não é? Faz-te uma corredora mais forte, e bem que precisas para Arga".

Mas aí é que está. É que não vos contei, mas esta doença também dá delírios.

Só isso justifica eu escolher uma rampa daquelas que dói só de olhar, para fazer repetições, daquelas que à terceira subida já estamos a chorar e a querer ligar à nossa Mãe, mas que depois no gráfico traduz-se nisto:

O gráfico é MENTIROSO!

Como é que aquelas oito repetições do Monte Kilimanjaro (kms 2-4 aprox.), que me custaram tanto, depois no gráfico de elevação parece que não passam de umas lombas de estrada, e das mais desgastadas, que nem fazem abanar a suspensão?

Não percebo.

E agora vamos comparar:

Praticamente a mesma coisa, né?...

O gráfico acima é a altimetria daquilo que me espera em menos de uma semana. Na verdade, não farei todo o percurso, apenas até metade (marca dos 21km), mas acho que dá para terem uma ideia...

Ao que parece, no GTSA o conceito de "recta" é inexistente. No GTSA ou estamos a penar a subir ou a penar a descer, não há descanso. O que significa que estou f... eita ao bife! (Na verdade, estou pior, mas vamos manter algum nível de decência neste blogue).

Depois de tentar mascarar o meu terror com brincadeira, agora segue-se a parte séria em que vos confesso os meus medos, sejam compreensivos.

Eu não me sinto preparada para esta exigência física. Sei que o objectivo será "apenas" o de terminar mas, mesmo assim, parece-me que mesmo esse não será livre de uma grande luta física e, sobretudo, mental. Desta vez não terei companhia, alguém para me distrair da inimiga que posso ser de mim mesma. Sei que assim que cruzar a linha daquela partida, apenas algo sério (knok knok) me poderá impedir de chegar à meta, leve as horas que levar, e é a única força que sei que tenho, e à qual me agarro. Mas tenho medo de, apesar de estar na "minha praia", a montanha, as dificuldades sejam tais que me comecem a afectar psicologicamente e me impeçam de ver o bom daquilo, o bom de estar ali, o bom de poder andar, correr, respirar e viver aquele momento. De saber que, como sempre, dias, ou mesmo horas depois, o que fica é a memória de uma grande experiência, que ultrapassa o desconforto físico. Sei tudo isto, mas ali, quando o corpo se queixa e a mente vai na conversa, é difícil de lembrar.

A acrescentar a isto, o pavor da temperatura. Sei bem o que sofri no Almonda e, sinceramente, acho que o calor em excesso é onde coloco a linha do meu limite. Podem-me doer as pernas, as costas, tudo, e ter de parar para recuperar. Mas sob um sol quente... sob um sol quente não há descanso.

Outros receios, sem nenhuma ordem específica:

- Cãibras (nunca tive e não sei o que fazer se as tiver).
- Ter uma quebra de energia tão grande como a que tive no deserto almondiano e não conseguir recuperar.
- Ser uma maçarica num meio predominante de grandes atletas.
- Sentir a pressão dos atletas-vassoura.
- Ser obrigada a desistir.

Alguns são justificados, outros apenas parvos, mas, mais uma vez, sejam compreensivos.

Posto isto, é óbvio que a minha vontade de participar é superior aos medos, senão não iria. E agora que já pus cá para fora o que me preocupa, posso concentrar-me naquela parte que me diz para ter calma,  divertir-me, que gosto mesmo disto. Essa parte é muito mais porreira, ao longo desta semana vou tentar dar-lhe mais ouvidos.

De qualquer forma, na Arga, vou deixar o número de telemóvel da minha Mãe em tecla de marcação rápida, só para o caso...


PS: Ainda estou com uns problemas de logística devido à viagem e, sobretudo, alojamento. Alguém por aí que tenha ido na edição anterior e possa dar umas dicas?

27 comentários:

  1. Todos os teus receios são justificados pelo desconhecido que vais enfrentar. Mas esses mesmos receios vão dar-te uma força e concentração que te hão-de levar à meta. E as previsões não apontam para calor mas sim 18 graus e chuva.
    Vai correr tudo bem, eu sei que vais conseguir. Força!

    Beijinhos

    ps - Muito cómica a primeira parte do texto :)

    ResponderEliminar
  2. CA-GRAN-DA-MA-LU-CA!

    Posto o meu espanto, acho que sim, que a tua rampite aguda pode ajudar no GTSA - Grande Tormento Só Aparente. Vai estar mais fresco (a mentirologia assim o indica) e serão menos 9km que naquele trail sahariano em que participaste.

    Bjs e juizo :)

    ResponderEliminar
  3. Olá :)
    Estamos com suores frios, estamos?
    Aceito que os receios sejam fundados porque pelos vistos nunca estiveste numa parecida mas pelo que tenho lido tens conquistados este tipo de desafios, um a seguir ao outro e acredita que de certo modo tens sido uma inspiração, por isso vais lá para dar cabo dos galegos :).
    Quanto à logística ...sorry.
    Quanto aos gráficos...são igualzinhoooooos, a sério, é uma questão de zoom, experimenta.

    Outra coisa, cuidado com essa febre, não tarda nada preferes ir correr para Monsanto, Sintra, Montejunto, SÓ por causa do D+, ou pior, inscreves-te em provas com D+ brutais..espera, esta última...
    Em referência ao calor, para este gim de semana dão chuva, por isso cuidado com o que desejas e leva roupa a condizer, 20 km ensopada não se deseja a ninguém.

    De resto, vai-te a eles e até podes ser a vassoura, mas vassoura na GTSA nem todos se podem orgulhar de dizer que o foram.

    ResponderEliminar
  4. Olá, novamente.
    Estive a reler o teu post e apercebi-me de algum nervosismo acerca do GTSA.
    Por isso vou tentar responder, com a minha vasta experiência, em provas menores que 400...metros.
    •Caibras- não as tenhas, se mesmo depois deste conselho as tiveres procura uma zona com poucas pedras, delicadamente deita-tê, tenta esticar qualquer que seja o músculo e dependendo das preferências, pede a quem quer que passe, ajuda a massajar, e sim, pode ser o músculo dorido, se quiseres;
    •Quebras no deserto...pff, fiquei preocupado, Menina, aquilo é UMA SERRA, um mãos antes da prova pode ser a aquisição mais importante, pelo que lembro as quebras desertianas tiveram a ver com o calor.
    Recomendo a pesquisa deste site: https://www.ipma.pt/pt/otempo/prev.10dias/?localID=16&cidadeID=265, é gratis, pagamos todos nós ( os que ainda pagam impostos). Repare nos agradáveis 18 graus Celsius e...na chuva...
    •Pressão dos Grandes Atletas, pff, o Carlos Sá apenas organiza e eu não vou, para o ano sim, tens razão para preocupações!;
    •Vassoura, simples, mantém sempre alguém atrás de tti ou ao teu, se for simpático;
    •Desistir, porque?
    A menos que a vassoura seja...vá, seja uma simpatia ou em caso de queda, mas isso já me aconteceu e digo-que o ideal é evitar isso;

    Quanto a informações importantes , lamento mas não percebo nada disto, é melhor levares um corta vento, no minimo e for minimamente impermeável, melhor.
    Logistica...hmm, ir na propria madrugada parece estar fora de questão...pff, para que vai, correr, desculpa :), andar 24 km, fazer 400 de carro não é nada, mais a volta...
    Bom, para o ano o GTSA está na minha lista e a culpa é tua por isso ...bora lá hangares experiência ;)

    ResponderEliminar
  5. Olá Rute,
    Realmente a altimetria assusta um pouco, mas como dizes e muito bem, a tua vc ontade é superior ao medo, é a isso que tens que te agarrar. Temos esperança de nunca vir a dar um passo maior que a largura da nossa perna.
    Desejo-te sorte e felicidade. (Tu corres e nós aplaudimos). Gostei desta no final da corrida do Tejo.
    Boa prova.

    Manuel Nunes

    ResponderEliminar
  6. Eu também já fui acometido de tal doença!
    Infelizmente é incurável!
    Nem quando o esqueleto já não dá nada, a "coisa" passa e depois só me lembro da canção do António Variações: quando a cabeça não tem juízo o corpo é que paga...

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  7. João: Também já li em qualquer lado essa previsão de chuva... Não é muito melhor, mas se for apenas uma "chuvinha"... Se tiver de escorregar que seja para a frente, para não me atrasar! :)
    Obrigada João... Beijinhos

    Bluesboy: Juízo??! E só avisas agora?? :P
    Gosto dessas tuas siglas, tens jeito. :)
    Obrigada, vou tentar superar este Grande Tormento, só porque gosto muito de escrever as crónicas depois. ;)
    Beijinhos


    jnr: LOL Obrigada por me fazeres rir agora! :) Parece-me tudo muito bem, só não sei o que me aconselhaste a comprar... um "mãos"?? (ai os teclados virtuais/escrita inteligente...) :P
    Sabes que pelo que já me disseram, ao contrário do que parece não é uma Serra muito arborizada (acho até que parte dos lucros da prova serve para a arborização da SA), e isso pode ser mau em caso de sol. Mas como todos parecem de acordo, vai chover!
    Temos material obrigatório, entre eles o impermeável e manta de sobrevivência (depois ponho foto do material a levar).
    De resto: não ter cãibras - check! Pregar uma rasteira a alguém para não ser a última - check!
    E, se não vais, realmente é menos uma preocupação de concorrência. Até para o ano preparo-me melhor! ;)
    E sem ilusões: vou ANDAR a maior parte, mesmo.
    Obrigada!

    Manuel: Ia gostar de ver cartazes do género espalhados na Serra! lol Ao menos eram uns segundos em que me distraia! :)
    Eu estou sempre a dar passos maiores que a perna, não aprendo... Este vou tentar dá-lo mesmo devagarinho, para não partir.
    Obrigada!

    Jorge: O Variações tinha razão. Essa música passa-me muitas vezes pela cabeça...
    Se é incurável, ao menos espero preparar-me melhor para ela, com o avançar dos anos! :)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Olá!
    Algumas notas: eu também vou ao GTSA (juntamente com mais cinco pessoas, quatro para os 13km e dois para os 45km). Só faço os 13km porque na semana a seguir quero fazer a meia-maratona de Lx e achei que duas provas de 21km seguidas, uma delas na Serra D'Arga era demasiado aqui para a "pikena"! Por isso posso fazer-te companhia, mas só durante 13km, depois disso "colas-te" a outras pessoas. Tenho a certeza que encontrarás companhia, o ambiente nestas provas é de muita camaradagem (dizem...)
    Dicas para as câmbrias: não vais acreditar, mas esta foi-me vendida por malta 'pró' que está habituada a correr em montanha. Picar (literalmente!) o músculo! Quem me deu esta dica diz que o faz com silvas (mas corre no campo), para nós malta da cidade disse: "tiras o alfinete do dorsal e picas o músculo"!
    Olha, vendo-te esta pelo mesmo preço que a comprei! Nunca tentei, mas quem me disse isto jura a pés juntos que funciona.
    Se precisares de alguma coisa em que te possa ajudar manda-me email (blog.runbabyrun@gmail.com) e depois podemos trocar contactos telefónicos. Senão, lá nos encontramos, procura as t-shirts do sapatinho voador!! :P
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Mapa, mãos...parecido, voltou a fazer o mesmo...se não tivesse mandado o velhnho telele para a reciclagem...
    O mapa era para saberes que era uma Serra numa zona arborizada, acho (ok, EU não tenho um mapa) que relativamente perto de Ponte de Lima mas pelo que me contas...
    mas olha que um par de mãos até te eram capazes de dar jeito, pelo grafico isso é cada parede...e ainda pagaste para ir, ai esta juventude...:)
    De resto, de nada;) é a paga.:)

    ResponderEliminar
  10. Anónimo23/9/13

    Olá,
    A apelum rampitis é uma doença conhecido e (in)felizmente incurável.
    Gostamos do desafio! De ver se conseguimos ir um pouco mais, e por que sim! E as subidas ajudam a criar etapas, desafios parciais… facilmente reguláveis.
    Mas está aí um Sr. Desafio!...
    É de se usufruir cada momento intensamente, centrados em que estamos a fazer o que gostamos, porque queremos, mas sempre com muita, muita atenção ao nosso eu!
    A menos de pieguices - já não posso mais!... É impossível continuar!... – há que ouvir o nosso mais íntimo. E se ele nos chegar a dizer CHEGA! Então é porque CHEGA! Há que saber parar…!
    Agora ele há paragens que são mais complicadas de gerir que o continuar!...E o nosso eu mais íntimo também não aparece assim, sem mais nem menos, ou seja, o que há mesmo mais é mesmo pieguice… Por isso FORÇA, é uma AVENTURA invejável, mas para ser vivida com muito, muito juízo.
    Quanto às cãibras…, é com já foi dito. Para não acontecer, hidratação com isotónicos, banana (magnésio) em boas quantidades. Se acontecer, é uma contracção violenta, involuntária e dolorosa de um músculo. Podem acontecer um pouco por todo lado, mas são mais frequentes na barriga das pernas, pés, coxas, glúteos. Acontecem principalmente por acumulação de ácido láctico(*). Há que parar, respirar fundo e procurar alongar o músculo queixoso. Conseguido o alongamento há que massajar suavemente.
    Bons treinos,
    Pedro

    (*)Uma das principais causas da cãibra é a acumulação de ácido lático no tecido, devido a degradação da glicose na ausência de oxigênio (glicólise). Havendo oxigênio suficiente, o ácido lático é convertido de volta para ácido pirúvico e transformado em acetil-CoA e dióxido de carbono, numa reação catalisada por enzimas. In Wikip.

    ResponderEliminar
  11. RBR: Obrigada. A caminhada também partilha o mesmo percurso? Não sabia. Assim sendo talvez aceite a companhia! (Se começar à mesma hora...) Conheço mais pessoas que vão também, mas são mais rápidos e fazem os 45km (tudo pessoas sãs!) :)
    Depois digo qualquer coisa. Beijinhos
    PS: Tens a certeza que essa dica das cãibras não era só para gozar com o pessoal da cidade? ihih :P De qualquer forma, em caso de desespero, testo a teoria. :)

    jnr: Sim, mais um par de mãos vinha a jeito e sim, paguei para ir. Não é preciso mais factos para atestar a gravidade da doença...
    :)

    Pedro: Eu acho que no Almonda o meu íntimo não só disse, como gritou bem alto, CHEGA... Sobretudo pelo calor, mas mesmo assim... É difícil aceitar uma desistência, como dizes.
    No entanto, em caso de lesão ou sentimentos de exaustão estranhos (tonturas, vómitos...) é claro que paro. Gosto disto, mas gosto mais de viver saudável.
    Já ouvi falar desse tal de ácido láctico, o safado. Por enquanto, acho que o consumo de bananas e isotónico (menos) o anda a afastar. Espero que se vá acumular para outro lado e não me faça uma surpresa a 400km de casa...
    Bons treinos, obrigada!

    ResponderEliminar
  12. Como eu te entendo nesse receio da temperatura mas felizmente acho que não vais ter esse problema. Dão descida para este fim-de-semana e para o Norte até dão chuva. Vai correr tudo bem, tu consegues!

    Quanto ao "Apelo das Rampas", também padeço dessa doença ;) Mas acho que até é uma "doença saudável" hihihi.

    Beijinhos Rute e muita força para Arga.

    ResponderEliminar
  13. A temperatura vai estar muiiiito mais baixa que em Almonda, desde que não chova a potes, não vai ser por aí que vais ter problemas. Penso que as meias de compressão serão uma boa ajuda. De resto, é só a tua garra entrar em ação. E outra coisa, se tu tás doente, anda por aqui muita gentinha a precisar de internamento.

    Beijinhos e força

    ResponderEliminar
  14. Está-me cá a parecer que precisas de ouvir mais a parte positiva que a parte negativa :D

    Todos esses "receios" são normais pelo desconhecido da "coisa em si" :D

    E eu cá tenho a certeza que vais dar cabo das subidas e descidas numa beleza que só visto!

    Quando aos gráficos eu também tenho essa mania de olhar para eles no fim do treino e fico deveras desiludida quando constacto que o que sofri nelas não é expresso no belo gráfico!!!
    Por isso decidi que após uma subida dolorosa e sofrida, não vou analisar gráficos e vou ficar com a dor e o sofrimento para mim LOOOL assim tem mais peso!!! :D

    Um grande beijinho e força!!! Tou a torcer por ti!!!!

    ResponderEliminar
  15. Ainda sobre a dica: mais tarde cheguei a pesquisar na net sobre isso e a verdade é que encontrei relatos (brasileiros) de quem opta por esta técnica tipo acumpuntura, chamemos-lhe assim... De quem me deu a dica também suspeitei, no início do mesmo que tu (do tipo, este gajo está a gozar comigo! Só pode!), mas ele jurou a pés juntos que estava a dizer a verdade... Vamos acreditar que sim!
    Até sabado!

    ResponderEliminar
  16. Rute,

    Sabes que isso dá uns dias antes de perderes a sanidade por completo?

    Pior que o dia do Almonda não vai estar! isso foi o inferno!!...mas sei que no meio da tua doença do momento, és uma mulherzinha sensata e sabes quando parar (isto no caso de não te sentires bem).
    Tu fazes isto porque te dá prazer. Sabes que tens muitos obstáculos e que não são fáceis de bater, mas não o tens de fazer a qualquer custo.

    Fui pesquisar um bocadinho mais sobre Agra e fica "lá para cima". Já fui visitar a área (há muitos anos), mas não tenho referência nenhuma.
    Vais mesmo sozinha?

    Para as caimbras, já pensaste no magnésio?...ou pode nem se justificar porque não te afecta assim tanto. Eu gosto do "Biolectra" (mais do que do Magnesona). Continuo a tomar. A "médica" disse que não havia problema nenhum e até era recomendado :)

    Beijinhos grandes.

    ResponderEliminar
  17. Isa: Sim, acho que vai estar de chuva! E também anda por aí um surto desta doença, parece-me.. :)
    Beijinhos, obrigada!

    V: Hmmm... agora a preocupação começa a ser a "chuva a potes"! No meio de uma Serra... com grande inclinação... lol Não há descanso!
    Olha, não há como prever o desconhecido! Vou esperar pelo melhor... :)
    Obrigada, beijinhos.

    Piolha: Obrigada! É um facto que o gráfico não traduz a realidade, não é? Se já somos duas pessoas a dizê-lo, é porque é! ;)
    Vou tentar fazer a prova com cabeça e calma... uma abordagem nova. Beijinhos!

    Lu: Ahah, calha bem com a data da prova.. :)
    Agra fica lá beeem para cima! Conheço mais gente que vai, mas para os 21km sou a única... :(
    Como nunca tive cãibras nunca pensei nisso. Numa prova uma vez deram-nos uma amostra de umas coisas de magnésio, vou levar, just in case.
    Espero que esteja tudo bem! :)
    Beijinhos grandes

    ResponderEliminar
  18. tens imensa graça :D e quem me dera a mim apanhar essa doença!
    vai correr tudo bem, nada te vai parar, minha querida, não terás caimbras sequer, força nisso!
    beijinhos

    ResponderEliminar
  19. Marcelo24/9/13

    Olá Rute, não te preocupes muito, porque vais fazer a Serra da Arga nas calmas porque tens o ingrediente mais importante, que é a determinação.
    O ano passado fiquei muito bem alojado no Hotel Meira em Vila Praia de Âncora. Não é barato (45€ acho eu) mas se conseguires dividir quarto com outra pessoa, fica em conta. Inclui pequeno-almoço que eles tiverem a amabilidade de servir a partir das 6h30.
    Beijos e boa sorte
    Marcelo

    ResponderEliminar
  20. Perigosa doença, essa das rampas! O Ser Humano teve desde a antiguidade um fascínio especial por lugares altos! Está no ADN!
    Boa prova na Serra d'Arga!

    ResponderEliminar
  21. Boa sorte! Bem vais precisar :D

    Cãimbras: come banana antes de as teres :D

    Se mesmo assim as tiveres, não te assustes, parece que o músculo vai saltar (na realidade, salta, mas não tens de o ir apanhar ao quintal, apesar de parecer que é isso que vai acontecer), mas aquilo passa, basta que estiques bem (alongar).

    ResponderEliminar
  22. Lilith: Obrigada. :) Força para ti também! Beijinhos

    Marcelo: Obrigada. A parte do alojamento penso que já está resolvida, agora falta a parte do fazer a Serra nas calmas... Tu que já lá estiveste, aquilo é assim como parece no gráfico? (Esquece, acho que prefiro não saber...) :) Bjs, boas corridas

    P: Deve ser isso, qualquer coisa no genoma que nos transtorna... :) Obrigada!

    Luis: Obrigada! :D
    Se depender disso, não há-de saltar músculo nenhum, levo um cacho comigo se for preciso! :)

    ResponderEliminar
  23. Acho que você deve ir em busca de seus sonhos e metas..mas por favor, vá até onde seu organismo aguenta, e não se sinta fracassada se não conseguir desta vez..pensa na sua saúde e vida!!
    Abraços.Sandra

    ResponderEliminar
  24. Marcelo26/9/13

    Sim Rute, é mesmo como parece o gráfico, ou sobes ou desces. O Carlos Sá não sabe o que é terreno plano :)
    Boa sorte e diverte-te acima de tudo, vais ver que chegas aos 21km e vais querer continuar.
    Beijos
    Marcelo

    ResponderEliminar
  25. Olá Rute,
    Depois do treino em Sintra tive que voltar aqui para fazer a comparação do acumulado, só para ter uma ideia.
    Pelos cálculos que fiz, assim por alto, os 21K tinham sensivelmente 1500 metros, e os 42K, pouco mais de 2000, confirmas?
    Se for verdade, depois da minha humilde subida na semana passada, sinto-me um menino, comparado contigo, já gigante das serras.
    Sinto que ainda tenho que subir muito antes de me aventurar pelo trilhos. como se costuma dizer "ainda tenho que comer muito pão"
    Boas subidas ;)

    Manuel Nunes

    ResponderEliminar
  26. Manuel: Está a referir-se a Arga? Agora não me recordo bem, mas como o percurso foi encurtado (os últimos 3km, sempre a subir), acho que o d+ não chegou aos 1500, mas passou de 1000.
    Por acaso ando a ver tracks em Sintra e este mês devo ir lá fazer um com 900d+, aprox., depois partilho! :)
    A mim as subidas também me custam muito, mas já não tanto como ao início! ;)
    Bons trilhos!

    ResponderEliminar
  27. Olá Rute,
    Se para a semana for a Sintra e o acumulado for sensivelmente esse que falas eu mando o ficheiro em Kml ou gpx para depois veres. Existem por lá imensas possibilidades, mesmo agora que estou a escrever isto já me estão a surgir mais umas quantas ideias de percurso que espero não fique muito longo e com muito acumulado
    Eu depois relato as peripécias.

    Manuel Nunes

    ResponderEliminar