30 de outubro de 2013

Corrida TSF Runners

 
Ou: o meu "Momentos de Glória", na Av. Infante Dom Henrique.

A Corrida TSF Runners não fazia parte dos meus planos iniciais. Aliás, na minha ideia, provas de 10km, até ao final do ano, já só contava fazer uma de S. Silvestre, a tal que não posso falhar, aquela que foi a minha prova de estreia. No entanto,  tive a felicidade de ganhar um dorsal. Além disso, a prova ia contar com a presença do Carlos Sá, cujo talento, toda a gente sabe, irradia através do ar. Se respirarmos bem fundo, somos contagiados, e o 0,001% que me calha em sorte no meio de tantos atletas, foi o que serviu para ter uma prova tão feliz em Arga e novamente este sábado, nesta corrida.

Começou logo bem, com um aquecimento forçado até à linha de partida, praticamente em contra-relógio, com medo de falhar as 17h e depois, em vez de cruzar a linha em festa no meio de milhares de atletas, teria de fazê-lo de forma atarantada e esbaforida, numa belina para tentar apanhar a cauda do pelotão. Embora fosse engraçado, pelo menos posteriormente, em forma de relato, ainda bem que não chegou a acontecer. Chegámos ao local de partida a faltar 4 minutos para a hora, e infiltrámo-nos por onde deu, até ficarmos mais ou menos a meio da multidão.

Ia acompanhada por alguém para quem esta seria apenas a sua segunda prova de 10km, e a primeira desde há uns anos. Portanto, ficou combinado que eu iria assumir o papel de "lebre" (-> ahahahahah, irão perceber porquê já de seguida).

Ouve-se o tiro (apito?) de partida e, apesar de haver muita gente, rapidamente se entra num ritmo aceitável, pela louvável ausência de pessoas a caminhar nas filas da frente. Depressa me apercebo que o meu papel de "lebre" está comprometido. Eu sou a âncora, sem sombra de dúvidas.
 
Estão a ver aquele tipo de pessoas que faz um treino ou outro muito esporadicamente, diz que não corre há semanas e que se sente cansada porque foi para a borga na noite anterior e, mesmo assim, chega ali, cruza a Partida e ala-que-se-faz-tarde-e-tu-admira-aí-a-sola-dos-meus-ténis? Toda a gente tem pelo menos uma pessoa assim no grupo de amigos, que é motivo de admiração invejada e irritação em igual medida (anda aqui uma pessoa farta de treinar e depois vem-me este carapau de corrida.... Pffff...)

Foi este tipo de pessoa que me acompanhou. E eu agora agradeço.

Quanto ao percurso, nada de especial a destacar. É percorrer a Av. Infante Dom Henrique, cortar antes da rotunda e voltar para trás. Este trajecto, apesar de ser palco de várias provas na cidade, é monótono e sem grandes atractivos, salvando-se a subida e descida do viaduto, que corta a recta e permite ver o rio que, ao nível da estrada, os contentores bloqueiam.

Estas provas de ida-e-volta são ambíguas. Acho que depende de como estamos nesse dia. Pode ser duro psicologicamente, por vermos a distância que nos falta voltar quando ainda nem sequer chegámos à curva, ou pode ajudar a distrair, enquanto nos mantemos ocupados a ver quem regressa. Como neste dia tinha aquele 0,001% de talento extra, para além de companhia que me dava luta (cof... orgulho de não querer dar parte fraca... cof), a prova foi como um sopro. Quando dei por mim já estavamos a fazer a inversão de marcha, com cerca de 2 centenas de metros acima dos 5km, pré-aviso do bónus de metros que a prova tinha e que constava no regulamento, que não li. Mas nem liguei. Pelo contrário, agarrei numa garrafa de água no abastecimento, dei uns goles e pensei: com distância a mais ou a menos, é hoje que bato o recorde, vamos a isso.

Atenção: é raro ter estas certezas em prova, aliás, penso que foi mesmo a primeira vez, por isso sou a primeira a agradecer aos deuses da corrida.

A partir daí, tentei baixar o tempo a cada quilómetro. A cerca de 3 km do final (ou melhor, dos 10km certos), estava com média de 5:33/km. E nunca me tinha sentido tão bem numa prova de estrada. Pensei que, com sorte, conseguiria uns redondos 55min aos 10km.

2 km para o final. 5:32 de média, será que consigo?

Foi então que vivi a minha cena "Momentos de Glória", ou "Chariots of Fire", no original (se nunca viram este filme, a sério: vejam. Entretanto, fica aqui a parte a que me refiro, para melhor visualizarem o que se segue).

- Aquele momento numa corrida em que se apercebem que estão a correr mais rápido do que o habitual e que se sentem "invencíveis" (hipérbole endoidecida de endorfinas).

1,5km para o final. O ruído ambiente emudece e os primeiros acordes de Vangelis começam a ouvir-se.

5:31 de média, vou conseguir.

O filme desenrola-se em câmara lenta. Vejo os corpos dos atletas que me rodeam num ritmo certo e ritmado. A veia saliente da têmpora do homem pouco à minha frente. As gotas de suor na testa. O franzir da cara em esforço. A ondulação do rabo de cavalo da rapariga. As passadas da companhia que não me larga. Os risos. As conversas mudas.
Pum-pum... pum-pum... pum-pum... O meu batimento cardíaco. Inspira, expira. Inspira, expira. O ar que percorre o diafragma. Os pormenores que ganham vida.
Todo o movimento de deslocação, os braços que são impulsionados, os pés que tocam o chão, mas nem o sinto. Estou a planar!

O relógio apita os 10km, estou na casa dos 55 minutos, a média está nos 5:30. Consegui!

Já tinha aqui a minha vitória, mas a prova ainda não estava terminada. Como se voltasse à superfície da água depois de ter dado um mergulho, o som exterior regressa. Agitação. Movimento. Oiço gritos, palmas, incentivos, música... Better not stop, better not stop moving. Better not stop... Distingo a voz do speaker que anuncia a Meta. Um último esforço e corro a uma velocidade que nunca pensei depois de 10km. Estou cansada, mas não estou morta. Não estou morta.

Que sensação fantástica!

Terminei a prova com 57:21, tempo garmin, precedida em duas passadas pela verdadeira "lebre", que nunca me deixou para trás (e apenas por isso é que a nossa amizade sobreviveu).

Com este resultado consegui ficar no top 20 do meu escalão. Top 20 é QUASE pódio, não é? :)



E a felicidade de conseguir manter um ritmo que nunca pensei atingir na distância. Engraçado surgir agora, num momento que não o persigo. Se calhar estas coisas surgem quando tiramos a pressão, não sei. A vida por vezes tem um sentido de humor irónico.

Só uma vez consegui baixar dos 55min: na Maratona de Lisboa por Estafetas, o ano passado. Mas foram circunstâncias especiais - primeiro, porque o facto de termos alguém à espera do nosso testemunho, uma equipa a depender da nossa prestação, dá-nos outra responsabilidade e, segundo e mais importante, grande parte do meu trajecto (11km) foi feito a descer! Depois disso, sempre achei difícil repeti-lo ou melhorá-lo. Para dizer a verdade, sou daquelas pessoas que não gosta de fazer uma prova toda em esforço, coisa que geralmente acontece se quisermos bater marcas. Se calhar sou preguiçosa, se calhar não sou ambiciosa, se calhar não tenho confiança suficiente.

Falando da prova em si, penso que para evento de estreia esteve muito bem. Um abastecimento na curva de regresso, animação (não fiquei para ouvir as bandas, mas a música foi uma constante), uma aula de alongamentos final, medalha e outros recuerdos e a partida e corrida das duas distâncias (5km e 10km) a decorrer em respeito mútuo (ou pelo menos não me apercebi de nada). A minha queixa vai mesmo para a falta de originalidade do percurso, mas suponho que muitas pessoas apreciem a quase ausência de desnível.

Posto isto, reformo-me dos 10km até finais de Dezembro. Gostei muito deste inesperado Momentos de Glória, mas agora estou mais virada para longas metragens.
Não nego que saiba bem bater RP's velocidade, mas o dia em que conseguir repeti-lo, mas em distância... Saber que sou capaz. Nesse dia... Nesse dia, meus amigos, vair ser como ouvir Vangelis*, no topo do mundo, cantado por anjos.

*Ou outra música mais a meu gosto, ainda a decidir.

 

21 comentários:

  1. Mais um texto simplesmente fenomenal (ao ler parece que sinto a tua prova, a sério)...fantástica a tua prova, muitos parabéns pelas duas coisas!!! Tás em grande forma.
    Fartei-me de rir com a tua história de lebre...é lixado não é? Eu não tenho só um desses amigos baldas, que não treinam um caracol e depois chegam ao dia D e nos dão uma abada daquelas...ui, são tantos....mas fico sempre contente por eles.
    Beijinhos

    P.S. Gostei bastante quando te referes às provas de 10km como sendo de velocidade :)...isso à uns mesitos atrás não era bem assim. Venham as longas distâncias...

    ResponderEliminar
  2. Sabes que és a primeira pessoa que leio a queixar-se da monotonia do percurso da corrida da TSF? Toda a gente (vá, umas 3 pessoas!) achou giríssimo, ali o rio ao lado, em percurso plano... Let's face it, acho que és mesmo uma miúda dos trilhos já :)

    Essa música dos Vangelis também me ocorre mentalmente imensas vezes, nomeadamente quando estou quase a acabar o último capítulo diário do Harrison... É uma libertação incrível ;)

    Beijinhos e tem um bom dia :)

    ResponderEliminar
  3. Grande relato duma grande proeza. Como é bom sentirmos assim soltos e a voar para as nossas capacidades!

    Muitos parabéns e esta é (mais) uma prova de que tens mais para dar do que imaginas.

    E se é com música do Vangelis, a coisa ainda vai melhor!!!

    Beijinhos e novamente parabéns pelo quase pódio (20 primeiras é mesmo quase pódio!) :)

    ResponderEliminar
  4. Ahhh, e que bom ter o momento de gloria( não confundir com momento da verdade, I,II ou III, que pode ser doloroso) e aAGUENTAR esse momento:) Já cá o je por vezes até os tem...rais parta as endorfinas...mas depois...vazio...
    Obrigaste-me a ir ver o video apenas para confirmar qual o momento e...claro que era esse, apenas pidia ser esse...aimda tenho arrepios quando ouço o grego ou vejo areia molhada na cara dos moçoilos.
    bom, isso foi à Beira Tejo mas não havia areia? ( não confundir Charriots of Fire com Baywatch ou Vangelis com David Hasselhoff, eu estou sempre a confundir de parecidos)
    Também não gosto muito desse tipo de percurso mas com companhia até se deve fazer.
    E sim, eu costumo ser o carapau de corrida e as minhas solas são amarelas e pretas...pfff, ahaha, irrita não irrita:)????
    Lembro-me em Sintra de um rapaz que devia ser um...querido de pessoa a animar 2/3 amigas, ele corria, ele voltava atrás...ahhhgghhh, bom, motivou-me a ir atrás dele a ver se lhe apertava o...desculpem, acompanhava o passo.
    E claro, parabéns pelo tempo :)
    Agora não sei a quota parte do Sá;)

    ResponderEliminar
  5. Minha cara, o céu é o limite e até poderás estar a ouvir o Jean Michel Jarre:)
    E sim, a escolha foi intencional.

    ResponderEliminar
  6. Esta prova teve qualquer coisa que deixou bem disposta toda a gente. Eu também fui lebrar uma atleta e senti um excelente ambiente do início ao fim. O percurso, como referes, não é nada do outro mundo, mas 17h, tempo fresco e solarengo, são condições que tornam qualquer percurso fantabulástico.

    Ah e tirámos foto com o Carlos Sá, hehe!

    Bjs e parabéns pelo tempo. :)

    ResponderEliminar
  7. Carlos: Obrigada! :) Sim, há muitas pessoas dessas por aí... pfff... dá Deus nozes... ;) Por acaso disse-lhe para seguir, que eu não gosto de empatar, mas acabou por ser divertido (e eu sei que para o fim dei luta muahahaha! :D)
    Beijinhos
    PS: Velocidade é relativo.. Ritmo de 5:30/km é "rolar confortável" para muita gente! :) Mas é que neste tipo de provas, o tempo final é o que conta, não há muito mais. E eu quero ouvir Vangelis no topo do mundo! :P

    Jo: Ah! :) Neste caso nem vou pelos trilhos, é mesmo porque é um percurso sempre a direito, sem curvas, sem bairros, sem sobe e desce para quebrar o ritmo. E sim, o rio está ali, mas não se vê!É só caixotes de carga. (Pronto, no Terreiro do Paço é bonito) ;)
    Acredito que quando terminares tudo, caia um foco de luz divina sobre ti e oiças anjos e passarinhos... ;) Está quase!
    Beijinhos

    João: Ahah Vangelis tem de fazer parte de pelo menos um momento na vida de quem corre! :) Espero que venham mais. Obrigada, beijinhos!

    jnr: Momento da Verdade (I,II,II) é outro clássico da geração de finais de 70, inícios de 80. As vezes que eu vi isso... "wax on, wax off"... :D
    Baywatch, percebo a tua confusão, tens razão, é muito parecido! Quase que se podiam sobrepor os créditos iniciais de um com o outro (alguém podia pegar nessa ideia e pôr o Mitch Buckhanon, de bóia vermelha às costas, a ultrapassar esse pessoal todo betinho da track team :P)
    Sim, é irritante. Sobretudo quando se gabam. ;)
    Obrigada!
    PS: Não me estragues outra vez a visualização ou, neste caso, a audição...

    ResponderEliminar
  8. Bluesboy: Sim, gostei do facto de ser uma prova ao final da tarde, para variar. :)
    Eu sou um bocado totó para ir pedir fotos com as pessoas, mas espero que tenham sido espertos e tirado ANTES da prova, para poderem inspirar de mais perto e aproveitar o talento! :)
    Beijinhos e parabéns pela vossa prova também!

    ResponderEliminar
  9. O Mitch...pois foi nisso que pensei, claro que sim...pois :)
    Opah...JMM( Jean michel Jarre:)), topo do mundo, francês...tenho que ligar os pontos todos??? A Céline é Canadiana se não o trocadilho era com ela, mas olha que nesse momento se deve sentir Uma Espécie de Magia :)
    Olha, 10 k velocidade...'tamos Ultra, 'tamos...pff.
    As coisas não se estão a por a jeito ( em especial desde ontem :( mas quem sabe se temos nova conversa sobre este assunto da " velocidade" daqui a cerca de 1 mês ;)
    Bons treinos e sensações

    ResponderEliminar
  10. jnr: Tu é que referiste o Hasselhoff... Acredita que quando me lembro do genérico da série também não é a imagem do Mitch que me vem à cabeça... e eu sou gaja! :)
    Peço desculpa, não entendi logo a referência, hoje já estou a almoçar tarde... :)
    Então bons treinos e força para daqui a um mês :)

    ResponderEliminar
  11. Pronto, estás desculpada :)
    As minhas referências também estavam enviesadas...não tive o meu snack da manhã ( fruta, claro).
    Mantendo as referências ( enviesadas...) , G(o)od Speed.

    ResponderEliminar
  12. Top 20 já devia ser considerado pódio sem dúvida :D
    Grande tempo Ruto Muitos Parabéns!!!
    Agora falando desses amigos, realmente mete nervos LOL Uma pessoa treina e transpira para conseguir mais e melhor, e depois alguns chegam lá e pimba!! Não á condições!!! :D
    Mas ajudou-te e isso é uma mais valia :D
    Preserva essa amizade ehehe
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  13. Rute,
    ...pois! e depois não és uma fã maluquinha! Vais a uma prova só para respirares o ar que o CS respira :)

    Adorei o relato (as usual). Parece que estava a correr contigo :)...mas eu não acharia o percurso chato. Sem subidas, nem descidas era perfeito para mim!

    "Momentos de glória" foi um dos filmes da minha infância. Era assim um..."I am the king of the world" da altura :)

    Parabéns pelo novo record (...mas acho que só te soube "assim mais ou menos". Sabes que consegues, sabes que é possível...mas sente-se que já não é "a tua praia".

    É claro que top 20 é como um pódio. Obviamente!

    Como é que vai o descanso ao joelho? Muitos alongamentos e outros treinos não invasivos?

    Beijos grandes de "nozes os dois" :)

    ResponderEliminar
  14. jnr: Go(o)d Speed -> loved it! :)

    Piolha: Sim, é uma amizade a preservar! ;) Beijinhos

    Lulu: Ahah ups, fui apanhada... ;) Também foi um dos meus filmes, é assustador pensar que já passou tanto tempo... Mas continuamos umas jovens.. :)
    Esta semana é só treinos "aborrecidos", nada de corrida... bah! Mas não quero arriscar, como tenho o exemplo do meu pai, é melhor prevenir.
    Beijinhos grandes para "vozes"!

    ResponderEliminar
  15. O record dos 10km só não caiu ainda porque os teus horizontes são outros, a capacidade física está lá.
    Espero que o treino de domingo não te obrigue a parar muito tempo.
    As melhoras do teu joelho.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  16. Mais uma grande prova!
    10 km nunca foram a "minha praia" coisa muito curta não dava para aquecer!
    E agora com esta velocidade de lesma havia de ser lindo!
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  17. V: Agora começo a acreditar que a capacidade esteja cá, eu é que sou preguiçosa para a exercitar (por isso é que quero fazer uma ultra... faz todo o sentido!:P)
    Não tem nada a ver com o treino de domingo, não te preocupes. Obrigada!
    Beijinhos

    Jorge: Se tem uma velocidade de lesma a minha é o quê?? :) Mas fica-se com vontade de correr mais, é verdade.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  18. Anónimo31/10/13

    ..."Estou a planar" ! , "bater RP's" , "velocidade" !!
    Sim sanhora... :D


    You look and talk like one of them , but you are one of us !

    I like your Style , babe .


    ajb

    ResponderEliminar
  19. Olá Rute,
    Sem pressões o resultado aparece. O facto de o trajecto ser plano, e a "lebre", ajudou a espevitar um pouco o ritmo.
    Viste que andar no limite tira um pouco o gozo da corrida, talvez por essa razão quero ver se me livro do objectivo que me propus nos 10K e partir para distâncias mais longas onde as coisas são vistas por mim de outra forma.
    Parabéns pelo fantastico resultado.
    Já andei armado em Robin Wood, e realmente aquilo é outra guerra.
    Fiquei com pena por não poder participar na corrida do monge, seria a minha estreia, fica para o ano.
    Depois de me ter sentido tão bem na semana passada no monte, vinha mesmo na altura exacta.
    Já estou a pensar voltar lá para a semana, agora com um pouco mais de acumulado e se possível, sem paragens (a malta das bicicletas sobe muito devagar) :)
    Boas corridas

    Manuel Nunes

    ResponderEliminar
  20. Olá Manuel: Também partilho dessa opinião, neste momento prefiro fazer corridas longas, "nas calmas" (como quem diz...), e desfrutar da prova. Fico ansiosa pelos meus treinos longos de domingo e não me importo nada de passar 3 horas perdida em trilhos, nem dou pelo tempo passar! Sobretudo com companhia.
    Também já fiz um treino acompanhada com amigos do BTT e realmente as subidas são custosas, mas depois nas descidas é sempre a abrir! :)
    Monge, mesmo sendo um trail pequeno (12km) tem subidas upa upa! (Não faço ideia do d+, mas deve ser jeitoso). Que ninguém vá ao engano a pensar que é fácil! :)
    Bons treinos!

    ResponderEliminar