6 de novembro de 2013

Treino por trilhos de Sintra - Pedra Amarela

Numa busca de novos campos de treino, chateei até vencer pela exaustão pedi que me levassem a conhecer mais trilhos na zona de Sintra, muito percorridos pelo bttista da família. Assim sendo, domingo de manhã, mochila equipada à costas - bolsa com 1 litro de água, guardanapos de papel, barrinhas, manta térmica que não cheguei a retirar desde Arga (não pesa nada e nunca se sabe, por isso agora fica ali), telemóvel - partimos em direcção à Barragem da Mula, em Sintra.

Tínhamos acesso a um track no gps que, se tudo corresse bem, nos levaria a passar na Pedra Amarela, um dos meus requisitos, por ficar sempre cheia de inveja quando via as fotos dos amigos nesse local.

Deixem que vos diga que, correr seguindo o mapa do gps, foi toda uma experiência de orientação. Suspeito que o autor do track (retirado do gpsies) tenha andado um pouco perdido ao início, o que explicaria as constantes mudanças de direcção sem sentido, mas a partir do km1 estabilizou, e a partir daí foi só seguir a seta.
 
Local de partida.
 
Uma das vantagens de ter gps é evitar perdermo-nos, quando não conhecemos bem a zona (o que pode acontecer na mesma, ou não). Outra é que, se escolhermos bem o track, vai incluir carreiros pelo meio da vegetação e alguma escalada, onde, de outra forma, teríamos algum receio de arriscar sem conhecer a saída.

Afinal, qual é a piada de correr só pelos estradões de terra, certo? O que dá gozo é andar à descoberta por trilhos fora da vista do transeunte comum e, por vezes, ter a sorte de encontrar pequenos tesourinhos ocultos.


 
A qualidade fotográfica não é muita, mas juro-vos que passava aqui uma pequena ribeirinha, e o caminho partilhava o mesmo curso da água (como não tinha chovidos nos últimos dias, dava para correr sem pôr os pés de molho).
 
Portanto, começamos a subir a zona da Barragem, desviamos para uma zona com um parque de escalada, seguimos o estradão durante uns 300 metros e viramos à esquerda para um caminho alternativo. Daqui em diante, alternamos entre os chamados "single-tracks" e caminhos mais largos por entre o bosque. 
 
Mais ou menos a meio do trajecto, passamos por um daqueles bairros "horríveis". Cheios de trânsito, ruído, paisagens feias... Ou o contrário de tudo isso.

Como podem constatar, vizinhança horrível... ;)

 
Inquilinos cheios de sorte, com vista do primeiro balcão para o mar e de costas coladinhas à Serra. O cheiro de serra misturado com maresia enche-nos sempre os pulmões até à alma... Pelo menos a mim, sim. E aquele silêncio ruidoso da Natureza? Agora já sei porque é que há tanta gente que se sujeita ao trânsito da IC19 em direcção a Lisboa durante a semana, é para voltarem para casa para isto.



O "bairro" que percorremos em seguida dá pelo nome de Floresta Encantada. E, desta vez, não sou eu a inventar os meus habituais epítetos, há mesmo uma área florestal com este nome, não é fantástico?

É o meu tipo de paisagem favorita: floresta densa, verde, troncos cobertos de hera e musgo e, nesta altura do ano, montes de folhas secas para pisar. É um dos prazeres da corrida no Outono, correr com o crac crac das folhas a marcar o ritmo e, por vezes, saltar para cima daqueles montes de folhas arrumadinhos a um canto (não digam que nunca o fizeram). Para além de, claro, haver muitas espécies micológicas para observar.

Desta vez tive de parar para fotografar um cogumelo.
(E uma gota de água ao canto da lente...)
 
Sempre a subir pela floresta, cruzamos uma estrada e começamos a aproximar-nos do destino.

Pedra Amarela, aí está ela.
 
No cimo da Pedra Amarela, também conhecido por Cabeço da Raposa, encontra-se um marco geodésico decorado artisticamente, onde temos de tirar a foto da praxe para, logo em seguida, descansarmos um pouco a admirar a vista.

 Praticamente 360º de perfeição cénica.

Lisboa ao fundinho.

O pico que se vê ao fundo, à esquerda, é a Peninha.
(Outra zona a explorar em breve)
 
Palácio da Pena, na outra encosta.
 
Foi também engraçado descodificar, por entre a paisagem, o palco de algumas provas de trail em que já participei, caso da Corrida do Monge, por exemplo, e da Corrida do Guincho (a famosa subida!).
 
Depois de contentarmos a vista e o estômago (pausa também para abastecimento), inicia-se uma grande descida de cerca de 3km até ao local da partida. Se este trajecto for feito ao contrário têm aqui uma bela montanha para escalar, ficam avisados! Embora ache que este sentido em que o fiz seja melhor, por deixar este marco quase para o final e assim poderem aproveitar para uma pausa maior, que ao início quebraria o ritmo.


Obstáculos.

Os meus joelhos, que ultimamente me andam a falhar como as notas de 100, queixaram-se um bocado nesta descida final, razão pela qual, desta vez, optei por um treino mais curto.



De volta à casa de partida.

 
 
Encontros imediatos deste passeio:
 
Cães: 2 (um preso num quintal, outro acompanhado pelos donos).
Vida selvagem: 0 (mas eles "andem" ali...)
Pessoas a correr: 4
Pessoas de bicicleta: dezenas.
 
 

 Aqui fica o mapa do percurso:



O track original tem cerca de 11km, mas fizemos uns atalhos ao início, concluindo o percurso um pouco abaixo dos 10km, com um acumulado positivo na casa dos 350 metros. Considerável, mas acessível. Diria também, muito por alto, que fizemos 80% em estradões de terra, 12% em trilhos mais técnicos e 8% em asfalto/empedrado. Ou seja, penso que seja um bom percurso de estreia, para quem queira fazer um teste. Da beleza do local acho que não preciso de acrescentar mais nada...

Concluindo, uma experiência a repetir, com mais tempo e quilómetros! Gostaria também de encontrar tracks com um bocadinho mais de "carreiros de cabras" e uma ou outra dificuldade para ultrapassar, já que eu gosto mesmo é de me armar em exploradora de recantos inóspitos, qual Dr. Livingstone dos trilhos (ihih). Alguém tem alguma sugestão?

E pronto, aqui fica a minha partilha. Quem ainda não o fez, vá explorar a área e agradeça-me depois. Mas guardem segredo, para não estragar o silêncio. ;)
 

27 comentários:

  1. Belo post! Obrigado por dares a conhecer estes belos locais :)
    Depois de me ter estreado este ano num trail (trail de Sesimbra 20 kms) e ter gostado da experiência, conto em 2014 realizar alguns treinos e provas e aproveitar para disfrutar da conjugação extraordinária entre a prática de exercicio fisico e a Natureza :) Se não for em outros locais, pelo menos uns quantos treinos em Monsanto :)
    Bons treinos!

    ResponderEliminar
  2. Muito bons os teus relatos e fotos. É um sítio onde também gostava de ir, não conheço, mas a pedalar que a correr não tenho resistência para tanto como tu ;)
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  3. Ahhhh, Monsanto é bom mas Sintra é um mundo.
    No gpsies ou apenas no Google, a dificuldade é escolher.
    Se eu corresse alguma coisa e tivesse GPS ( ou memória) havia muita coisa para mostrar em Sintra, dá para uma vida inteira para correr e nunca fartar, a variedade de paisagem é imensa.
    Falaste na corrida Monge, pela tua experiência de quasiUltraMaratonista, a corrida é fazivel com ténis de estrada?

    ResponderEliminar
  4. Joel: Também estive nesse trail de Sesimbra! Pelo relato feito pelo Ricardo, não terminámos com muita distância uns dos outros. :)
    O estar na Natureza é, sem sombra de dúvida, uma das facetas do trail que mais me atrai.
    Monsanto é uma boa opção, e sempre é mais pertinho. :)
    Bons treinos!

    Algures: Diria que 90% deste trajecto era ciclável, por isso, sem problema! Aliás, ciclistas é o que não falta por ali. :)
    Beijinhos

    jnr: O problema do gps é talvez limitar-nos um bocadinho... mas, enquanto não conhecer bem a zona, prefiro!
    "QuasiUltraMaratonista" pois... agora ando coxa! Bom auspício.. :(
    Monge - o ano passado, quando o fiz, ainda não tinha ténis de trail e não notei problema algum. Mas, atenção, apanhei terreno seco, não sei como serão as condições com o terreno mais húmido, já que passas pontes de troncos e descidas inclinadas. Em último caso, com mais cuidado tudo se faz. São só 12km, mas é durinho, não vão ao engano! :)

    ResponderEliminar
  5. Sempre que há alguém que coloca treinos ou provas feitas na natureza eu fico deslumbrada e com vontade de o ir fazer. Adoro a natureza e acho que na Corrida do Monge vou ficar viciada em trail's.
    Sou como tu, adoro ir á busca do desconhecido :) Quando é para meter por caminhos novos eu já lá estou!! :)
    O teu treino colocou me com "inveja", aquela "inveja" de "ahhh danada andou por ali que lindo :D " ehehe

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. Piolha: Ehehe, foi essa inveja que me fez querer conhecer o sítio, por isso é da boa. :) Boa prova, vais gostar de certeza.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  7. O melhor resumo que se pode fazer é "A corre como uma menina no seu habitat natural!" :)

    Beijinhos e continua sempre assim a divertir-te

    ResponderEliminar
  8. O Monge é em Sintra...por isso não há engano ;)
    Ainda não está nada decidido, nem ténis de trail ( a sério, tentei mas ... :) ) tenho mas parece uma boa prova para iniciar oficialmente o Trail Running.
    Tenho mais 2 em vista, mas ai tenho mesmo que investir e uma implica deslocação.
    Vamos a ver.
    Dei-me muito bem com os 10 km em Sintra no bes running, aliás, foi a que mais gostei, embora fosse de longe a mais dura, até a partida foi numa subida!
    E pelo km 6 perguntava a mim mesmo que ali estava a fazer!?!
    Mas a verdade é que apesar de ser uma prova em em estrada tem uma paisagem e envolvência deslumbrante.
    Agora, Trail :) :) :) ;)

    ResponderEliminar
  9. Esqueci-me de perguntar, "coxa"? Mas os joelhos continuam com dores?
    Tens corrido em estrada com os Asics?
    Pode ser o definitivo adeus...também pode ser sobrecarga, o Trail exige mais (dizem) das articulações mas as queixas apareceram em estrada certo?
    bons treinos( descanso incluido)

    ResponderEliminar
  10. João: Habitat natural não sei, mas é, sem dúvida, onde me sinto melhor. ;) Beijinhos

    jnr: Este ano, tenho pena, mas vou falhar o Monge. As provas com deslocação são melhores, conheces locais novos! :) Não podem é ser tão frequentes...
    Ainda me lembro da subida de um corta-fogo já para o final da Corrida do Monge... Vai lá vai! :) Por acaso tenho curiosidade em relação ao d+ dessa prova... (na altura n tinha gps).
    Bons trails! ;)
    PS: É capaz de ter começado aí (pelos ténis), agora já não os uso, mas os treinos seguintes não foram fáceis (e terrenos inclinados pioram). Esta semana já tenho andado bem, vamos lá ver!

    ResponderEliminar
  11. Olá Rute.
    Para aqueles lados, só corri no GP Fim da Europa. Depois de ler isto, só me apetece abalar para Sintra à procura duma tal Pedra Amarela :) Já é tarde, senão...

    Bjs

    ResponderEliminar
  12. V: Aquilo não anda longe do Monge... E lembras-te da famosa subida da Serra e Mar? Vê-se dali!
    Pois, a esta hora já é capaz de ser um bocadinho assustador andar por ali... ;)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  13. R,
    1 litro de água só me chegava para molhar os lábios!...e ai também não haveria problemas com o wc "au naturel"

    Sabes que o meu pai me dizia frequentemente: "tu és tão mula!" = teimosa que não arreda pé. Por causa da Barragem lembrei-me disso :)

    Eu sou daquelas que me consigo perder mesmo nos sítios onde conheço.

    Gosto da cidade...para visitar, ir, voltar, mas para viver o que me agrada é mesmo o sossego pacato de uma freguesia com 10 mil habitantes. Saímos de casa de manhã e voltamos à noite, mas o facto de ser mais afastado do turbilhão, faz bem!
    Bem...isto não é propriamente Sinta, mas enquanto escrevo, a Serra dos Candeeiros é a minha paisagem de frente :)

    Gosto dessa coisa dos marcos geodésicos. Não foi estar escrito para onde estamos a olhar e eu trocava o norte com o sul...a olhar para o Porto e pensar que estava a ver Lisboa!

    Acho que foram 11km bem passados e gostei das estatísticas "por alto".

    Segredos assim, são bons de partilhar!

    Beijões (se são de dois tem de ser em grande!)

    ResponderEliminar
  14. Sempre a descobrir trilhos novos! Adorei!
    Se o blogue tivesse um botão "Like" clicava lá cinquenta vezes!

    Beijinhos e bons treinos!

    ResponderEliminar
  15. Lulu: O litro de água era mais para precaver, porque havia alguns locais onde beber por ali. Eu também bebo muita água, por isso entendo-te! :)
    "Teimosa como uma mula", está certo, também devo ter ouvido isso algumas vezes (sobretudo do meu avô)!
    Também tens uma bonita paisagem, sem dúvida. Assim também andava sempre calminha... :)
    Estes segredos são bons de partilhar assim com meia-dúzia de pessoas, para não estragar... ;)
    Beijões para vocês também! Tudo a correr bem! :)

    RBR: Não podemos parar, sempre um passo à frente! ;) Clicar 50 likes continuava a contar só como 1. :P
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  16. Belo relato e belas fotos. Claro que isso se deve em parte aos belíssimos locais por onde correste ;), mas também à tua escrita :)

    Beijinhos e continuação de bons treinos.

    ResponderEliminar
  17. Deixaste-me com saudades de correr fora de estrada...nos próximos tempos não vai dar :(
    Mas dia 24 vingo-me :)
    Belo treino, belas paisagens...
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  18. Isa: Obrigada. :) Mas a inspiração devo-a ao local! ;) Beijinhos

    Carlos: Vai planeando um belo treino de regresso para tirares a barriga de misérias. ;)
    Obrigada, beijinhos.

    ResponderEliminar
  19. Olá Rute,
    Quem faz a subida pela direita em direcção aos capuchos, vindo da barragem, encontra, a meio do percurso uns trilhos utilizados pelo pessoal do downhill, talvez sejam estes que mais se adaptam ao trail (tipo, se não tens cuidado vais de costas até lá abaixo). Existe vários espalhados pela serra, temos é que ter cuidado e ir atentos para não haver acidentes.
    Quando vou de bicicleta prefiro caminhos mais amplos e de preferência a subir, descer não é o meu forte. Conheço alguns singles, mas os melhores para trail são mesmo os utilizado e feitos para downhill, esse têm tudo.
    Um dia destes faço um relato mais ao pormenor e aponto alguns em particular de maneira a que seja mais fácil dar com eles, pois existem por lá muitos escondidos.
    Bons treinos

    Manuel Nunes

    ResponderEliminar
  20. Manuel: Por acaso uma vez subi até aos Capuchos, mas fui sempre pela "estrada" (de terra e, depois, a outra). Lá está, quando não se conhece, não se arrisca.
    O meu medo nesse tipo de trilhos, já acontece o mesmo em Monsanto, é aparecer-me uma bicicleta toda destravada a descer! :) Mas é ir com atenção, como foi dito.
    Ok, depois é de partilhar, essas infos são importantes! :)
    Bons treinos

    ResponderEliminar
  21. Olá.
    Depois de um fim de semana em que não nexo palha ( no plano de treinos dizia descanso, a sério...) percebi que estou de costas voltadas para o Trail...
    Não vou poder ir ao Monge e por muito que quisesse conhecer o Carlos não vou poder ir a Barcelos (eu ia fazer o Trail, calma) mas mesmo assim acho que 30 km estão ainda acima das minhas capacidades...por isso tudo se juntava para...Trail de Montejunto, 1 dezembro...pois, lotação esgotada.
    Ideias?
    E sim, desculpa entrar pelos comentários adentro mas como o assunto é sobre trails...

    ResponderEliminar
  22. jnr: Olá! Não tenho andado por aqui porque quando uma pessoa não está a 100% para correr, também não quer ler/escrever muito sobre corrida, para não stressar. :) Mas agora que estou a recuperar (knock knock), vou ver se limpo o pó à casa (uma semana já faz pó! :P)
    Eu também não vou ao Monge, mas (knock knock) vou ao trail do Zêzere. Esse de Montejunto também estava na minha mira, talvez se pedires para ficar em lista de espera (há sempre quem não chegue a pagar e sai da lista entretanto). Senão, depois em Dez. tens também o Trail do Cabo Espichel aqui pertinho, mesmo a tempo de descontares calorias para a ceia do Natal! ;) Pesquisa e pensa nisso.
    Bons treinos!

    ResponderEliminar
  23. >Boa Zezere e Espichel :)
    Quanto ao Montejunto, pois já tinha pedido uma coisa parecida e parece que :)

    Então a menina está melhor :) ainda bem, knock, knock.

    Por experiência, e agora imagina uma sala de espera do consultório do centro de saude, vou parecer uma velhinha, de dores "semelhantes" e se forem realmente proporcionadas por desgaste excessivo do calçado e até um determinado ponto em que se tornam irreversiveis, descanso e novo calçado costumam resolver.

    Mesmo as minhas dores nos joelhos, em especial o direito, que me preocuparam ao ponto de ir ao médico (!!!) afinal resolveram-se com um pouco mais de força nas pernas e menos peso.

    Não deve ser esse o caso :) mas dá para perceber a ideia.

    Obrigado pelas dicas e bom desempoeiramento.

    ResponderEliminar
  24. O Trail do Zezere é quase á porta de casa (da infância e da minha mãe :) )

    Não tenho (ainda) a rotina de andar a ver calendário de provas...

    Zona lindissima e que vai estar um mimo para tirar o pó aos joelhos.

    Tiveste uma semana de descanso :) :) ehehe, ainda bem.

    É muito em cima, nem vou ver se ainda ainda inscrições, não vá haver...

    Boa viagem e prova.

    ResponderEliminar
  25. jnr: Obrigada!
    Pois, do peso não deve ser, mas um bocado de reforço muscular nas pernas dava jeito... Curiosamente também é o joelho direito que me chateia mais (e fizeste bem em ir ao médico, mais vale prevenir!)
    Bons treinos, em termos de provas vais ter muito por onde escolher! :)

    ResponderEliminar
  26. Bom... toma lá, dá cá... gostei muito deste post, por razões que já te referi no passado. Assim sendo... Matinha de Queluz ;) no lado sul do IC19. Não é muito grande mas está cheia de sobreiros com centenas de anos e uma atmosfera à Sr. dos Aneis :). Recomendo o consumo da mesma em manhãs solarengas de Outono. Não digas ao Ricardo, nem que seja por pirraça :)

    ResponderEliminar
  27. Zémi: Obrigada. :) Eu guardo segredo. :)

    ResponderEliminar