8 de fevereiro de 2016

Kms de Janeiro e primeira prova do ano

Contagens do mês de Janeiro

- Distância: 206.85 km  (18 actividades)
   . em estrada: 109.15
   . em trilhos: 97.7
- Horas a correr: 28:38
- Ganho de elevação total: 3897 metros

Início do ano calminho, com um aumento gradual da distância nas duas últimas semanas do mês, já numa espécie de preparação para o OMD. Não ficou longe da minha habitual média de 50km/semana, mas a intenção é que esses valores aumentem em Fevereiro.

Para mim, treinar para três dígitos é uma incógnita. Como é que alguém se prepara para uma distância dessas? Mais quilómetros? Mais treinos por semana? Menos treinos mas com um propósito mais específico? Como adaptar à disponibilidade e capacidade de cada um? Depois de alguma pesquisa e da contribuição de um leitor que também se está a preparar para os seus primeiros 100km e que partilhou comigo dois exemplos de planos de treinos (quem é que tem os leitores mais simpáticos, quem é? :)), iniciei oficialmente, a 18 de Janeiro, esta minha viagem.

Falarei mais em específico sobre o "programa de treinos" assim que completar o primeiro mês. Entretanto, a primeira prova "teste" de 2016 não podia ter corrido... pior.

Amanhecer em V.V.R.
Anoitecer em V.V.R.

Amanhecer e anoitecer fantásticos. Tudo o que se passou nos entretantos foi um pisar, repisar, chutar e arrastar pela lama a minha moral.

Pela primeira vez considerei seriamente a hipótese do meu primeiro DNF. Aliás, aos 11km, já tinha decidido que iria cortar para a distância dos 20km+. Na minha cabeça já tinha escrito a crónica da minha primeira desistência, onde descrevia ao pormenor a minha dor e frustração. No meu coração, quase desisti da ideia do OMD. Quase? Durante uns quilómetros, desisti mesmo. Nem pensar que consigo fazer mais de 100km numa prova com aquela dificuldade acrescida de desnível. Onde é que estava (estou) com a cabeça?
Depois, houve alguém não me deixou virar para a placa do trail mais curto e ainda bem que o fez. A partir daí, não posso dizer que tenha ficado muito mais forte, mas recuperei um bocado, o que me permitiu fazer uma segunda parte melhor que a primeira.
Engraçado que, olhando apenas para os números, não diria que foi uma prova assim tão má. Este ano foram 46km de percurso, contra os 47km do ano passado, mas com um ganho de acumulado maior, e demorei menos uns minutos do que as anteriores 7h25. Mas, em termos práticos, este ano voltei com um sabor amargo de Vila Velha de Ródão, um local onde fui tão feliz em 2015 (uma das minhas melhores provas desse ano). No entanto, continua a ser um lugar de grande beleza e um dos percursos mais bonitos em que corri. 

Não estive bem, não me senti bem e não fiquei orgulhosa da forma como reagi. A única coisa boa desta experiência é que, tendo sido este primeiro teste tão mau, a partir daqui a fasquia do rendimento só pode aumentar... :) Espero que sirva de aprendizagem. Mais desenvolvimentos na crónica seguinte.

Boa semana!

22 comentários:

  1. Belos números!
    Eu para conseguir fazer mais fiz "batota" e usei também uma bicicleta :)
    Já ter disse o que nos faz mais forte são as provas que correm mal! São elas que nos dão capacidade de resistência para seguirmos em frente!...
    Olha quando fiz a minha melhor marca na maratona cerca de um mês antes fiz o regional de fundo (30 km) que me correram horrivelmente mal e onde acabei muito pior que na maratona...
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também queria voltar a fazer kms de bicicleta, mas ando com problemas técnicos... :(
      Sim, é verdade, mas na altura custa sempre um bocadinho. Agora já estou de volta à "luta"! :)
      Beijinhos

      Eliminar
  2. Ainda bem que acontecem estas situações ... é uma aprendizagem. Não pode ser sempre a somar. Parabéns menina, o espirito de guerreira, com ou sem ajuda está aí e isso é que é importante. Parabéns!!!
    Sabes uma coisa engraçada, ontem estive para desistir (tb pela primeira vez) mas por lesão ... sabes qual era o km? Isso mesmo ... a diferença era que o trail curto só tinha 17km :) ... mas acabei por não o fazer, tive sorte ... ainda não foi desta que nos estreamos no DNF ... mas um dia vai acontecer ;)
    Beijinhos e boa recuperação

    P.S. Gostava de ver esses planos para 100km ;) ... é que eu ando aqui ao Deus dará, completamente ...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por lesão faz todo o sentido! Mas ainda bem que não passou de um susto.
      Posso mandar-te o que tenho e encontrei, depois adaptas ao teu estilo. :)
      Beijinhos, boa recuperação para ti também.

      Eliminar
  3. Há provas assim. Mas se o inicio dos treinos oficiais para o OMD começou menos bem, todos sabemos que o que interessa é o dia D. E no dia D a coisa vai ser espectacular e inesquecível! :)
    Força! Siga!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que todos os ensaios sejam assim, se isso significar que o dia da estreia vai ser espectacular!:)
      Beijinhos, bons treinos para vocês também!

      Eliminar
  4. Já contei várias vezes essa história mas em 2012 fiz uma tão miserável Meia de Setúbal que dois amigos, preocupados comigo, tentaram dissuadir-me da Maratona de estreia. Disse-lhes que a faria e lhes fazia um manguito ao cortar a meta.
    E estou a repetir esta história já tantas vezes relatada porquê? Porque depois tive a consciência que o que aprendi com tudo o que correu mal nesse dia, foi de extrema importância para ter conseguido o grande objectivo de me ter tornado maratonista.
    Acredita que ainda vais agradecer esta má prova pois vai ser importante para o objectivo que vais concretizar no OMD. Eu não tenho dúvidas que vais conseguir pois és muito forte. Muito mais do que julgas.
    Força!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, João. :)
      É só o desânimo do momento. Agora, como respondi ao Jorge, já estou de volta à luta. :)
      Beijinhos

      Eliminar
  5. Não há pior dor que aquela provocada por essa palavra horrível começada por "d"
    Como dizia o Lance Armstrong, a dor de pernas pode durar um dia ou uma semana, a dor provocada por essa palavra horrível começada por "d" dura para sempre :)
    Quanto aos treinos, acho que têm sempre de ser adaptados às nossas capacidades, porque se não acontecem essas coisas chatas e que deitam tudo a perder chamadas lesões. Depois acho que para uma prova de 100km o mais importante são os km semanais e os treinos longos. Os treinos longos devem ser diretamente proporcionais aos km semanais. Por exemplo, se eu ando a correr 30km por semana, não devo fazer um treino longo de 40km, pois vou levar montes de tempo a recuperar e isso vai estragar o treino.
    Vejo que começamos "a viagem" :) precisamente no mesmo dia - 18 de janeiro. Espero não te ter induzido em erro em relação às datas, pois eu saltei o primeiro mês de treino e comecei diretamente no segundo.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há casos em que esse "D" é o mais sensato (risco de lesão, por exemplo), embora acredite que seja difícil na mesma...
      Eu ajustei o número de semanas que faltavam até à prova! :) A bem dizer, acho que já ando a treinar para os 100km há muito tempo, quase desde que comecei a correr, só que ainda não sabia... ;)
      Como te disse, não sigo o plano ipsis verbis, mas tenho tentado que a soma semanal de kms bata certo. Quanto aos longos, não há problema, é mesmo o tipo de treinos que gosto mais! :) O pior é o resto... Já para não falar da alimentação e assim... :\
      Beijinhos e bons treinos! Obrigada. :)

      Eliminar
    2. Sem dúvida! Desistir da saúde é que nunca :)

      Eliminar
  6. Helder9/2/16

    Onde estava a menina que que não a vi? foste mascarada? :)

    É nas provas que não correm bem, que ganhas experiência. Se as coisas correrem sempre lindamente, nunca estarás verdadeiramente preparada. Este tipo de provas não são um passeio no parque. São um teste aos nossos limites, e somos nós que nos propomos a tal. Já te deve ter acontecido a meio da prova pensar, o que estou aqui a fazer? Vou ficar no próximo abastecimento. Mas depois sabe tão bem, apesar das coisas não terem corrido bem, ultrapassar as dificuldades e terminar. ATENÇÃO: os DNF não são o fim do mundo! Aqui parece-me ter sido a parte psicologica que te afectou. Andas a pensar em demasia no OMD e não te estás a divertir.

    Sigo o principio, que fazer provas é o melhor treino. É uma boa forma de testar material/alimentação e de ganhar calo.

    Bj e até breve

    PS: belas fotos :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu vi-te! Logo ao início, na subida a sair do parque. Ias mais à frente e és alto!:) Mas não consegui apanhar-te. E depois, com o avançar da prova, foi ficando cada vez mais complicado. ;)
      Confesso que a parte psicológica também não ajudou mas, esta vez, o problema foi mesmo físico. Fui-me logo abaixo naquela primeira grande subida, que no ano passado fizemos já quase no fim.
      No entanto, fiquei feliz de ter prosseguido e terminado. Gosto bastante daquela zona.
      Como te correu a ti?
      Até à próxima! (Talvez Vila de Rei)
      Bjs

      Eliminar
  7. Então... só temos direito a um par de parágrafos e uns nasceres e por-do-sol sobre V.V.R.?

    Excelente kmtagem e altimetria.

    Temos de passar por momentos assim, para darmos o devido valor às nossas vitórias. Vais-te lembrar disso quando este ano completares os 100kms do OMD.

    Força e beijinhos.

    P.S. É um prazer ler-te!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Guardei as restantes fotos para a crónica. A prova pode não me ter corrido bem, mas de paisagem é bem servida. :)
      E tens razão, só vai dar mais valor quando conseguir.
      Bjs
      Obrigada. :)

      Eliminar
    2. É a impressão minha ou a crónica...

      Estamos ansiosas... :D

      Eliminar
  8. "A bem dizer, acho que já ando a treinar para os 100km há muito tempo, quase desde que comecei a correr, só que ainda não sabia... ;)"

    That's the spirit,;)

    Belas fotos, dos entretantos não há?

    Eu até escrevia que são essas provas que enrijecem um corredor mas parece que houve lama e assim...:)

    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ;)
      Sim, dos entretantos também há, e são ainda mái lindas!:)
      Por acaso, ainda bem que não choveu. Teria complicado o percurso, sobretudo na zona das rochas, junto ao rio Cobrão.
      Bjs

      Eliminar
  9. Não te esqueças de nessa tua preparação, treinar os imponderáveis.
    Numa prova de 100km (até menos, na minha opinião), devemos treinar muitas outras coisas que não constam no tal plano de treinos (logística, roupa, calçado, mente, alimentação, privação de sono e muito mais... Muito mais).

    Boa preparação! Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Serão os passos ao longo dos próximos meses (passa tão depressa!!)
      Beijinhos

      Eliminar
  10. Realmente é estranho conceber a realidade de treinar para os três dígitos! É óbvio que para mim é à partida inconcebível porque não estou nem perto de estar preparada para uma coisa assim, mas acresce a isso o facto de que normalmente se cobre uma percentagem elevada da distância pretendida nos treinos... E com uma distância tão grande é difícil fazer isso! Aguardo a tua resolução :D
    Quanto ao trail, imagino que não seja fácil estar em desespero e saber que faltam tantos quilómetros. Mas realmente o tempo que fizeste foi fantástico!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É mesmo isso que dizes! Quando estamos num momento baixo numa prova, e ainda faltam taaaantos kms... É difícil não desesperar. O que vale é que há altos e baixos, vai compensando, temos de pensar assim. :)
      O maior problema de treinar para estas distâncias é o tempo! Ainda por cima sendo lentinha. Os treinos semanais são um desafio para completar, não tem sido fácil. Mas, lá está, se fosse fácil... ;)
      Beijinhos

      Eliminar