3 de março de 2016

Kms de Fevereiro e Isto de treinar

Este fim de semana o treino foi por aqui:



23 km pelo Parque Florestal de Monsanto, que encerraram as contas do mês.

Contagens do mês de Fevereiro

- Distância: 249 km  (16 actividades)
   . em estrada: 142.8
   . em trilhos: 106.2
- Horas a correr: 31:27
- Ganho de elevação total: 4831 metros

Total do ano: 455.85 km


Como já disse por aqui algumas vezes, não gosto muito de treinar. Gosto, sim, de correr. Na minha, ao meu ritmo. "Ah e tal, mas assim não evoluis na corrida." Verdade. E sempre aceitei bem isso.
Tenho a sorte de gostar muito, e poder fazer, corridas longas ao fim-de-semana, de várias horas. E isso, juntamente com as voltinhas de final de tarde semanais, tem sido suficiente para poder fazer o tipo de provas de que gosto mais (de longa distância) e terminá-las relativamente bem. Com isto não quer dizer que não treine. Só o facto de sair para correr em dias que não me apetece já é treino. Mas também sei que se treinasse com termos e mais dedicação poderia fazer melhores tempos, talvez demorar menos uma, ou até duas horas, a terminar certas provas e até fazê-lo com menos sofrimento. Mas também sei, e temos de ser honestos connosco próprios, que por mais que treinasse nunca seria atleta de pódio. Na minha opinião, o treino conta muito, mas tem de haver certa predisposição genética. Assim sendo, sempre me vi mais como o tipo de corredora ao sabor do vento, sem esticar a corda para saber até onde realmente poderia ir, mas em paz com a decisão, na esperança de poder continuar durante muitos anos e ser velhinha com total (quase total, vá) uso das articulações, e andar pelos montes pelo menos até aos 90.
Mas depois inscrevi-me para uma prova de 100km. 100km não são o mesmo que 50km, nem sequer 70km, distâncias que já corri. Não sei se é pela mística dos três dígitos, mas acho que se chega ali a um ponto da prova em que a distância se torna assoberbante. E os meus passinhos são pequenos, muito pequenos, para uma montanha tão gigante. Vou lá andar muitas horas, gostava de poder fazê-lo sem que esta história de amor-montanha termine em divórcio e/ou maus-tratos (lesão).
E foi assim que dei por mim a googlar "planos de treinos para os 100km".

Nesta imensidão de informação que a internet e revistas da especialidade nos facilitam, não há assim tantos planos para três dígitos quanto isso, mas há alguns. Depois, como em tudo, encontramos teorias díspares. Correr mais quilómetros. Correr menos mas com mais intensidade. Treinar tendo por base a FC. Treinar tendo por base o ritmo de corrida. Englobar treinos de velocidade. Não englobar treinos de velocidade. Fazer treino de séries. Ver séries na televisão. Comer mais proteína. Comer mais hidratos de carbono. Comer mais chocolate. Usar bastões. Não usar bastões. Levar uma moto-4. Hidratar. Beber uma mini em cada abastecimento. Fazer reforço muscular. Bezerrar toda a tarde no sofá. E etc. (Algumas destas hipóteses podem ter sido inventadas por mim e não ajudar especialmente na preparação para os 100km, espero que consigam identificá-las... ;))

Conclusão, não tendo possibilidades de arranjar um treinador ou alguém que nos oriente, o mais importante é termos noção das nossas capacidades, pontos fortes e limitações, e com essa base optar por um plano de treinos que consideramos credível, adaptando-o se necessário. Nesta grande viagem dos quilómetros, só não quero ficar lesionada.
Portanto, quando um de vocês partilhou comigo um plano de 50 milhas (aprox. 80km)/semana, eu dei uma vista de olhos e achei que conseguiria segui-lo. Basicamente, o que eu queria era uma base para ter noção de como poderia distribuir os quilómetros. Não tenho qualquer problema em passar 4 ou 5 horas a correr ao Domingo, mas depois não tinha noção do quanto deveria/poderia fazer durante a semana.
O facto de ser um plano de 50 milhas/semana não significa que todas as semanas atinjam esse valor, apenas as de maior carga. Como vários outros planos que pesquisei, este tem a premissa de três semanas de treino em crescendo e depois a quarta com menos carga, antes de voltar novamente a aumentar. Três semanas de aumento progressivo de quilómetros e uma quarta semana de recuperação, por assim dizer. Contempla também um treino de velocidade por semana, excepto na semana de recuperação, embora eu não esteja a segui-lo. Sei que no meu caso aumentar quilometragem e velocidade iria correr mal. Limito-me a algumas brincadeiras de sprint a meio de treinos mais inspirados.
Não posso dizer que esteja a seguir o plano religiosamente, embora esteja a ser uma grande ajuda. Nem sempre faço os quilómetros certos de determinado dia, mas tento que a contagem semanal seja semelhante. E, quando tenho alguma prova, como foi no caso de Vila Velha de Ródão, adapto os totais. A título de exemplo, segundo o plano, este mês deveria ter feito perto de 270km, mas fiquei-me pelos 249.

É um plano de 24 semanas, embora não tenha começado logo de início. No entanto, como já tenho uma base de quilómetros considerável (a minha média habitual é de cerca de 200km/mês), pude iniciar na 4ª ou 5ª semana sem ter um aumento súbito de quilómetros.

Neste momento faltam 14 semanas para o OMD. CA-TOR-ZE semanas!! Parece que ainda ontem corri os 70km e decidi que um ano depois iria fazer os 100km... Em Dezembro faltavam 6 meses e ainda parecia tanto tempo... E agora faltam exactamente 3 meses. Será dia 03 de Junho, às 29h59, a partida da minha maior aventura até à data.
Agora seguem-se os dois meses de treino mais intenso. Para além dos quilómetros, também tenho feito outro tipo de exercícios. É que a responsabilidade (cagufa, pronto :D) assim o obriga. Mas sobre esses falarei numa segunda parte, que esta crónica já vai longa!


Antes de terminar, queria agradecer a quem continua a visitar-me e partilhar experiências. Apesar de não ter sabido na altura, soube depois que teria havido uma votação através do site pt.myprotein para destacar "blogues de corrida" e o meu tinha sido um dos nomeados, entre os de outros amigos. Embora estas coisas valham o que valham, e tenham ficado de fora alguns blogues de grande e maior referência (na minha opinião), fico contente por saber que ainda gostam de me ler. Não sou nenhuma atleta de qualidades excepcionais nem grande empenho, portanto nunca poderiam aprender comigo. Depois, gosto de provas que apenas atraem um núcleo muito pequeno do número de pessoas que corre, embora o trail comece a ter cada vez maior visibilidade. E, ultimamente, até tenho atravessado uma fase de desânimo em geral e mau-humor em algumas provas em particular, que não me coíbo de desabafar com vocês. :) Tenho escrito com menos frequência, mas gosto muito de escrever e escrevo melhor do que corro (não é difícil), embora faça as duas coisas com igual paixão. Por isso, obrigada por se manterem por aí e por de alguma forma se identificarem no que lêem. #tamosjuntos :)


12 comentários:

  1. Uma das grandes ciências do treino é saber escutar o nosso corpo e os sinais que ele nos dá. Por mais “perfeito” que possa parecer um plano de treino se não soubermos interpretar a nossa “maquina” não vamos à lado nenhum!

    Sim as três semanas a aumentar a carga de treino para depois na quarta semana ser de recuperação é algo fundamental. É treinar por ciclos
    Fundamental também é a um dia de treino mais forte suceder outro mais fraco e assim sucessivamente.
    E muito importante é registarmos todos os treinos, e até escrever uma pequena nota sobre cada treino, de modo a termos sempre a noção de como estão a correr as coisas e corrigir eventuais erros e percebermos porque é que os mesmos ocorreram.
    Bons treinos e um beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essa dica de escrever como correu o treino é útil, obrigada! Às vezes sentimo-nos cansados sem "razão aparente" e pode ajudar a estabelecer causa-efeito.
      Beijinhos

      Eliminar
  2. Bem ... #tamos juntos ;) ... tb ando assim, um pouco ao sabor do vento, sem seguir nenhum plano em particular, a fazer o que o tempo e o corpo me permite. Mas tem corrido bem, acho eu. A diferença é que eu tenho mais umas semaninhas de do que tu para me preparar. TIC TAC; TIC TAC :P
    Dá-lhe menina :)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já te mandei mail, biste?
      Sim, tens mais umas semanas, mas também tens a questão da altitude, que a mim não se coloca (muito)... :P
      Beijinhos

      Eliminar
  3. Como diz o Jorge: escuta o corpo e haja bom senso.
    Há teorias e treinos para todos os gostos. É como as dietas, algumas até se contradizem. Mas acredito que (quase) todas funcionam, umas mais outras menos. Temos é de saber escolher aquela que mais nos convém, que mais se adequa ao nosso estilo de vida e qual a que consigo cumprir.
    Os treinos também são assim.

    Beijinho e bons treinos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Anabela!
      Bons treinos para ti também, força nesses desafios!:)
      Beijinhos

      Eliminar
  4. Rute, em primeiro lugar muitos parabéns pela votação que tiveste. O quão merecido é, e este artigo (mais uma vez) o vem provar.
    Concordo em tudo o que dizes. E não correndo tu para pódios mas sim para a glória da superação, tu és aquela que melhor sabe o que deves ou não fazer, pois já tens experiência para tal. Como sabes bem o que deves extrair de prazer de corrida.
    Tu tens um talento que vem de muita força mental. E essa força vai levar-te, daqui a 14 semanas, a um momento onde as palavras irão tornar-se fugidias mas onde tu as saberás encontrar para nos deliciarmos com o teu relato.
    Força! Tamosjuntos!!!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero que sim, João. Se fosse pelo "querer muito", já estava feito!:)
      Mas os bons sonhos dão trabalho, espero estar à altura!
      Beijinhos

      Eliminar
  5. Concordo com a predisposição genética. Claro que uma pessoa pode treinar mais e aumentar a velocidade até certo ponto, mas vê-se também quem comece e faça logo ritmos de 5min/km, o que para mim, por exemplo, é impensável - sou bastante lentinha :P De resto, estou bem com isso, não corro para competir nem podia de maneira alguma :)
    O único plano de treino que cumpri foi para a meia maratona, mas mais por orientação e disciplina, já que não é um distância que precise de tanto planeamento assim. É agradável ter uma coisa para cumprir, sabe-se que ao menos se fez o aconselhado :P Para os 100km acho que fazes bem, ter uma noção de quanto se deve correr é agradável! Meu Deus, 100km, de cada vez que penso nisso... És uma corredora e peras :D O meu ídolo de corrida ;) Força para isso :D
    O quêêê, inventaste parte dos conselhos de preparação? Pareceram-me todos sensatos e boas ideias :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Engraçado, o plano de treinos mais "rigoroso" que segui foi para a minha primeira 1/2! Acho que era de ser a primeira! A responsabilidade de uma distância que para mim era enorme na altura. :) Acho que na altura só falhei 2 treinos de todo o treino. Correu bem, o tempo não foi nada de especial, mas terminei a sentir-me óptima! :D
      E 5min/km é a minha mudança de velocidade! ;)
      Beijinhos

      Eliminar
  6. Este blogue pode até nem ser uma enciclopédia de treino, mas se fosse pelos meus critérios, ganhavas essa votação dos blogues de corrida. Alguns textos teus lembram-me o Alquimista do Paulo Coelho. Não sei se ficas contente com a comparação, pois o Paulo Coelho nem tem um prestígio por aí além, mas o Alquimista, não tenho problemas em dizê-lo, é dos meus livros favoritos. Li-o 2 vezes :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eheh, obrigada. :)
      Por acaso não sou grande fã de Paulo Coelho, não! :) Mas também já li o Alquimista. Dizem que é dos melhores livros dele, e talvez seja.
      Beijinhos

      Eliminar