24 de maio de 2016

Kms de Abril e pensamentos a 2 semanas da Estrela

Nesta viagem a caminho da Estrela já segui a bom ritmo, a ritmo de cruzeiro, mas também já efectuei muitas paragens e abrandamentos nas mais variadas estações e apeadeiros. Alguns minutos em Nossa Senhora da Miúfa, uma troca de carruagem em Vila Pouca de Energia, horas exasperantes na A-do-Desânimo, um (felizmente) breve abrandamento em Santa Tomba Dor, e até, confesso, estive a alguns segundos de descarrilar na Aldeia do QueSeF-LixeIstoTudo. No entanto, o pior momento de toda a viagem foi o longo e negro Túnel da Dúvida que me levou grande parte do mês de Abril a atravessar. Mas vamos primeiro aos números.

Contagens do mês de Abril

- Distância: 284.3  (22 actividades)
   . em estrada: 129.9
   . em trilhos: 154.4
- Horas a correr: 39:34
- Ganho de elevação total:  6995 metros

Total do ano: 1032.3 km

Os números até nem são assim tão maus, embora tenha ficado aquém das desejadas três centenas. Não estive longe, mas, após incidentes vários que antecederam o quase descarrilamento em QueSeF-LixeIstoTudo, desisti dessa ambição. Foi aí que se iniciou a entrada no longo e negro túnel. Não me apetecia correr e sentia-me uma fraude. "Como é que vais fazer 100km se nem queres correr 10km hoje?". Longa Dúvida. "A queixares-te nos 20km de hoje? Espera até chegares a Alvoco, ao fim de 60. SE CHEGARES". Negra dúvida. "Esta subida de 200mD+ em 1km custa-te? Quero ver como é que fazes o km vertical em 3km!"
Também não me orgulho, mas o túnel da Dúvida teve um desvio pela Estação da Comparação. Comparação, a povoação onde os seus habitantes correm 400km por mês, iniciam o dia com um pequeno-almoço saudável que inclui aveia e abacates biológicos das árvores que crescem no quintal e nunca falham o reforço muscular no ginásio. Têm as provas estudadas e sabem o que vão comer e quantas gramas de hidratos/proteína têm de consumir a cada hora de esforço. São metódicos, organizados e motivados. Eu não. Queria ser como eles, morar ali, mas não consigo. A viagem segue e reentro no túnel da Dúvida. O caminho já não me leva só através do "será que sou capaz?", agora leva-me para "será que quero isto o suficiente?".

Entretanto, uma coisa na viagem se manteve sempre regular, a minha passagem por Santa Eufémia.


A subida de Santa Eufémia não é a maior, nem sequer a mais desafiante da Serra de Sintra, mas é difícil o suficiente para dar luta. Além disso, é perto da vila e de locais turísticos, pelo que sempre me senti segura a fazer treinos por ali, mesmo quando sem companhia.

A chegar ao miradouro.

Foram dois meses de treinos semanais em Santa Eufémia. Uma vez por semana deslocava-me até lá e fazia aquela subida, e outras, por esse enorme jardim natural que é o Parque de Sintra. Desde aquele dia em que subi até ao topo pela primeira vez sem caminhar, consegui fazê-lo sempre excepto uma vez, num daqueles dias em que sabemos logo à primeira passada que não estamos bem. De resto, chuva ou sol, sozinha ou acompanhada, não falhei ao encontro semanal com aquela encosta da serra a quem comecei a conhecer os cantos, cada curva, cada árvore, o canito que esteve quase sempre à espera no mesmo local, umas vezes para subir comigo, outras apenas para se deixar afagar. Dias em que me senti forte, dias em que me senti miserável. Subi tantas vezes a Estrela nesses treinos que apenas os meus pés estavam em Sintra.
Conheci ruas e becos pelos nomes ou dei-lhes eu um. Como o Caminho das Árvores Caídas, onde pratiquei agachamentos vários para ultrapassar os obstáculos:



A Rua da Fonte Branca, onde parei sempre para beber água fresca:


E subi incontáveis escadas sob o olhar atento dos Mouros:



Sendo um treino feito durante a semana, nunca foi muito longo. Com altimetria relativamente elevada, 7 a 9km era a média que conseguia completar antes de ficar demasiado tarde.
Nem sempre me apetecia ir. Houve até uma ou outra vez em que foi mesmo uma ida negociada comigo própria até ao último minuto. Mas, mesmo naquela semana em quase descarrilei e parecia que ia desistir da viagem, Santa Eufémia manteve-se. Peguei no carro, conduzi até lá, saí sem vontade a pensar que ia mudar de ideias a meio da subida, mas cheguei lá acima.



Parei, respirei e concluí o treino.

Tudo isto para dizer que Santa Eufémia é a razão porque eu sei que quero isto o suficiente. A par dos treinos longos, que, maiores ou menores, sempre fiz, este treino semanal foi a única coisa estável, sólida, de todo o meu (não) plano.  É difícil guiarmo-nos sem ajuda ou um programa que sirva de fio-condutor. É certo que tinha umas bases, mas todos estes meses acabaram por ser uma prova de tentativa e erro.
No entanto, esta não é uma crónica para arranjar desculpas. Não estar presente naquela linha de partida não é uma opção, e irei para lá consciente do que fiz. Não sou ingénua ao ponto de pensar que são estes treinos com meia dúzia de quilómetros com 400/500m de D+ que farão alguma diferença na montanha, mas sei que foram estes, mais que os outros, que me ajudaram a manter o foco quando comecei a duvidar. Foram sinal da minha força quando achei que não a tinha.
Esta também não é uma crónica de inspiração. Fui indisciplinada e falhei mais do que gostaria. Não saí para correr às 23h depois do trabalho e poucas vezes acordava com vontade de ganhar ao sol numa corrida. Não sou feita dessa fibra. O sonho, que é grande, tem de caber dentro da minha vida que segue para além dele.
Também não quero com isto dizer que não me esforcei, porque não seria verdade. Acho que nunca me esforcei tanto por nenhuma outra prova na vida, ao ponto até do reforço muscular se tornar presença habitual nos meus dias (quem sou eu??). Não fiz os quilómetros que gostaria de ter feito, mas a Serra da Estrela esteve sempre comigo ao longo dos últimos meses. Cada metro a mais que não queria fazer, cada subida, cada descida, até os treinos que não fiz... Cada escolha, foi com ela em mente. E, tal como a trouxe comigo por Santa Eufémia, espero levar Santa Eufémia comigo para a Estrela. A firmeza no meio do caos, a estrelinha no caminho de outra maior.

32 comentários:

  1. Texto magistralmente bem escrito como sempre! Uma delicia!
    Na minhas voltas Ribatejanas por vezes passo por uma rua na vila de Marinhais que se chama Rua da Victoria! A partir de hoje sempre que passar nessa rua vou-me lembrar ti! Essa vai ser a Rua da Vitoria e a Rua da Rute! Vais vir vitorioso da tua Estrela tenho certeza disso! Um beijinho. Nota: e não te preocupes com essa "ciência" das calorias, exactidão dos abastecimentos e alimentação XPTO! Quando fiz a 12 horas em 1987 não havia nada disso e a gente dava conta do recado!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Jorge. Vou levar essa atenção e carinho comigo também. :)
      Geralmente como e bebo por "sensação", quando sinto que preciso. Mas o ano passado não correu bem a esse nível porque não conseguia comer. Preocupa-me que possa tornar a acontecer, porque vão ser mesmo muitas horas!
      Beijinhos

      Eliminar
  2. Esta crónica é tão mais do que uma crónica de inspiração! Todos esses sentimentos e emoções, o prémio é mesmo a viagem e não a meta. Quanto a mim que também parei por algumas dessas terras onde tu andaste, já tenho saudades :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, também acho que irei ter saudades. :) Já disse algumas vezes em tom de brincadeira (ou não :D) que depois do OMD me iria "reformar" das corridas. Mas não quero largar mão das muitas coisas boas. :)

      Eliminar
  3. Fdç Ca... Dos melhores textos...

    Não é uma crónica de inspiração mas a esta altura já devias saber que inspiras outros (outros que não eu claro, que sou um insensível, percebo quando me engano e leio os outros comentários neste blog horrível, aliás com péssima qualidade gráfica ;) )

    Nossa Senhora da Miúfa, Vila Pouca de Energia, A-do-Desânimo,Santa Tomba Dor, Aldeia do QueSeF-LixeIstoTudo... Parabéns, fizeste a linha toda... UAU , És Humana! Muito humana e mereces os "sem capas". Aliás, tu mereces os 101, os 102 e os...

    Por acaso tinha decidido começar a treinar na Rampa de Santa Eufémia, um dia destes, mas claro da minha cabeça, sem nenhumas influencias externas, nada :)

    Parabéns mais uma vez, bons treinos, e que a gente não se encontre por aí no meio da Serra 3 vezes seguidas no mesmo dia porque tu andavas certamente atrás de mim :p

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esta semana tenho dado muitas vezes por mim a acordar na Povoação do Pânico Súbito! Sabe-se lá quantas mais paragens faltam. :)
      Pode ser que um dia destes se combine um treino pela vila, com início em São Pedro, passagem em Santa Eufémia. Isto se não me reformar entretanto, claro. :)
      Falamos depois dos 100k+ (104, acho...)
      Beijinhos

      Eliminar
    2. Combinado! Depois da recuperação fisica e psicológica da estrela. Se entretanto te reformares... melhor,podemos ir durante a semana que ha menos turistas, ou em excursão sos reformados na carrinha da junta de freguesia.

      Agora panico subito é que não. Não pares nessa estação, segue em frente.

      Beijinhos e tudo de bom

      Eliminar
  4. Gostei muito de te ler. Acho MESMO que vais ser uma 'estrelona' na Estrela.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quero muito. Espero que a montanha deixe!:)
      Beijinhos

      Eliminar
  5. Maurício25/5/16

    Um dos melhores textos que li. A inspiração crias-a nos que te lêem com as mesmas dúvidas e receios e falta de planeamento, próprios do comum mortal com sonhos imortais... Obrigado pelo texto. Ficará guardado no minúsculo baú daqueles que relerei antes que enfrentar ultra desafios. Parabéns e força para a prova. Dica: sempre que alimentares o corpo, alimenta 2x a mente. Sorte!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, Maurício!
      Boa sorte para os teus ultra desafios!
      E boa dica, essa. :)

      Eliminar
  6. Menina, magistral o teu texto (é por isto - e outras tb - que eu gosto tanto deste teu cantinho) ... fiquei com a lágrima no canto do olho (e não estou a brincar). Uma inspiração é o que tu és e revejo-me em muitos desses sentimentos e emoções que colocas "cá fora" ... clap, clap, clap, clap ... e apenas digo que a tua história no OMD vai ser de sucesso, tenho a certeza e eu vou adorar "correr" contigo através do teu relato (ou serão relatos?). Força Menina!!!
    Beijinhos

    P.S. Tu andas a fazer reforço muscular??? Fonix ... eu nada de nada .. ontem voltei a passar no ginásio para me inteirar (novamente) das condições, fizeram-me uma visita guiada e quando chegou a altura de por o preto no branco para 3 meses, recuei mais uma vez ... ver aquele ratinhos de laboratório ali dentro deu-me cá uma angústia ... mas sozinho, em casa tb não tenho motivação ... não sei o que faça ...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estás feito um velhote piegas! Ihihih... :P
      Espero que possas "correr" comigo num relato (ou relatos) completo! ;)
      Sim, tenho feito reforço! Para o conseguir tornar uma rotina tive de largar aquela ideia do tudo ou nada. Quando não conseguia dedicar uma meia hora ao exercício ficava frustrada. Dedicar todo esse tempo a uma coisa que não gosto (e sem a "obrigação" de um ginásio) era difícil. Às vezes aconteceu, mas o que resultou melhor para mim foi criar uma sequência de 4 ou 5 exercícios que me leva menos de 10 min a fazer. Faço ao fim do dia e tem resultado. Dias que estou com menos vontade, em vez de 50 abs faço só 20, por exemplo, mas faço e passo ao exercício seguinte. Sempre é melhor que nada e notam-se os efeitos. Pelo menos acho! :D Mas depois falamos. :)
      Beijinhos

      Eliminar
    2. Tou numa fase piegas, é verdade. Mas isto passa :)
      Estou admirado contigo ... ainda bem que estás a conseguir ... eu acho que não vou lá, mas pronto, sempre me desenrasquei sem rm, espero que o consiga novamente :)
      Vamos falando :)
      Beijinhos

      Eliminar
  7. Porra, escreves bem pah. Muito, muito bom. Quanto à parte prática do teu treino, acho que essa residência em Sta Eufémia vai mesmo fazer a diferença! Já estou deserto que chego o OMD e nem sequer vou correr...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada. :)
      Quando fiz os 70km não tinha Santa Eufémia. Mas estes 30km a mais... Não me faz mal nenhum levar uma santinha comigo. :)

      Eliminar
  8. Amiga Rute, todas essas dúvidas e receios são o mais naturais possíveis. É um desafio que vai bem para além do que já fizeste e inconsciência seria se não as tivesses. E ainda bem pois se encarasses um desafio desta monta de ânimo leve, estavas arrumada.
    Quando me estreei em Maratona, avisaram-me que durante a preparação iria passar por um carrossel de emoções. Tão natural como o respirarmos.
    E se há uns que treinam mais, outros treinam menos e ainda fazem melhor. Não te preocupes com isso pois cada um tem as suas especificidades e forma de treinar. Uma vez li a história dum grande campeão olímpico que tinha que treinar menos que os outros pois com a mesma carga, piorava as marcas.
    E falando em grandes campeões, também todos têm aqueles dias que começam a treinar e não conseguem desenvolver, acabando por parar. Tal como qualquer um de nós, não faças é comparações ao estilo de "se vou aqui assim, como será com..." pois no dia da verdade nada disso acontece nada disso é igual.
    Enfim, isto só para te dizer que fiquei muito feliz por ler tudo o que escreveste pois é a confirmação das confirmações que estás no caminho certo para a Avenida da Glória, para cortares a meta e ficares com uma sensação única para a vida, algo que por mais anos que passem te vai emocionar sempre só de recordares.
    FORÇA!!!
    Beijinhos :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O problema das redes sociais (sobretudo fb e ig) é seguirmos os treinos dos outros, o que por um lado é bom e por outro podemos sentir-nos sempre a perder por comparação! Sei que não se deve fazer, mas é inevitável. Tenho tentado afastar-me disso, pois estava mesmo a deixar-me nervosa.
      Fiz o que consegui, mas sempre a sentir-me perdida no limbo entre o demais ou insuficiente.
      Quero muito esse momento, essa memória gigante para o meu banco de memórias! :) Avenida da Glória parece-me um óptimo none para o final de uma viagem. ;)
      Obrigada!
      Beijinhos

      Eliminar
  9. Gosto mesmo da franqueza com que escreves e com que encaras os treinos. Espero que a Estrela te seja favorável. Diverte-te muito, tudo a correr bem :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Mariana!
      No meio disto tudo, não esquecer a parte do "divertir" é importante. :)
      Beijinhos

      Eliminar
  10. Textos destes fazem-nos ir à procura dos ténis de corrida e sair pela porta fora a correr!

    Beijinhos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero que por ser bom, e não mau de fugir! :P
      Beijinhos

      Eliminar
  11. A sorte é que não sou piegas como o Cardoso se não...tens o dom de me (nos, de certeza que não sou o único) tranportar contigo, para a subida de Sta. Eufémia, de nos fazeres sentir as tuas dores, dúvidas, indecisões, receios, medos, cagufas...nem sei o que escrever, "pior" que este apenas "Os grandes, os sonhos" (há outro mas agora não interessa nada).

    Acho que já por aqui o escrevi, sou um excluido social, nem fb, ig, twt, enfim, e como tal não ando a comparar pi...as, até tenho os treinos registados no Strava mas nem sequer são públicos pois tenho a certeza que ninguém ficaria a ganhar algo com isso.

    Por isso é abstrair-te de tanto ruido, confiar no teu treino e ir.

    Acredito que te vá custar, que te vá doer, que te vá apetecer desistir, porra, eu até em treinos me apetece isso tudo e ainda mais também já provaste nestes anos todas a tua fibra e como tal, se der para ir até ao fim, irás.

    Apenas um conselho de alguém que de tem metros e metros de experiência em provas que nem tinham espaço (de curtas ;)) para abastecimentos, atenção à allimentação e hidratação.

    Há coisas que podem ser deixadas às vontades do momento, séries, rampas, ritmos, acredito que 100 km sem gestão de alimentação e hidratação não o sejam.

    Adaptando um pouco o que escrevi num quiosque de outra mulher que admiro sem a conhecer pessoalmente, se acreditas e queres mesmo algo, lutas até que te doam os ossos.

    Voltando uns anos atrás em que parecia estares nervosa por ir a...Arga ;) tenho que dar-te uns conselhos pois tenho a certeza que niguém, mas ninguém tos vais dar:

    medo do escuro? Não sabes onde pôr os pés, não tenhas, nem leves uma bateria de 24 v (de camião) para ligares uns holofotes iguais ao do estádio do Sporting, em principio é quase sempre a descer, por isso é aproveitar;

    Parece que há 1 km vertical, qual o stress? Tens 100 horizontais para te preocupares, esses é que são flixados;

    Não te preocupes com os 100 km, nem penses que essa distância é a mesma que, sei lá, Lisboa a Torres Novas pela A1, o importante é que tens esse tempo para procurares cerejas, ovelhinhas, fotos para pôr no Instagram, ouvires boa música, ires pensando nos capitulos da tua posta aqui neste cantinho sobre o OMD.

    Por isso...eu também como aveia ao pequeno almoço e abacates na salada, até acho que seria um bom farnel para levares, quem leva sandes de leitão...

    Pronto, era isto.

    Bjs, menina que corre que se farta.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, jnr. :)
      Fazes bem em ser um excluído social, por vezes a esta comparação "atlética" é como num desastre de automóvel pelo qual passamos na estrada, sabemos que é horrível olhar, mas não conseguimos evitar. :)
      Agora nesta fase já não há muito mais a fazer, só controlar a ansiedade.
      E obrigada também pelos teus conselhos, vou ver o que se pode fazer em relação ao holofote de Alvalade. ;) Quanto à alimentação, apesar de ter testado muita coisa só no dia é que o organismo diz o que lhe apetece e rejeita. Vou levar doce e salgado, just in case. Sandes de leitão não sei se há nos abastecimentos, mas há presunto e queijo da serra. :P Acho que, pelo menos o queijo, vou passar. ;)
      O km vertical em si só é mais problemático por estar englobado numa distância de Lisboa a Torres Novas... ;)
      Já recebemos o gráfico, 105,5k, 2 subidas à Torre (porque uma sabia a pouco...) :P
      Obrigada pela força! Vou lembrar-me de vocês quando andar lá por cima da montanha. :)
      Bjs

      Eliminar
  12. Anónimo26/5/16

    "Menina" um dia ainda vais escrever um livro com as tuas aventuras. Já há algum tempo que acompanho as tuas crónicas e hoje dou-te os meus parabéns pelos teus textos tão verdadeiros, sinceros e inspiradores. Boa sorte e muita força para as tuas próximas aventuras (quem sabe se ainda nos cruzamos nos trilhos de Sintra). Susana Fonseca

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada pelo teu comentário, Susana!
      Até um dia destes, num trilho de Sintra. ;)
      Beijinhos

      Eliminar
  13. Toda a gente tem momentos de dúvida, todos já sentimos que não nos esforçamos como devíamos em algum ponto da vida, estando isso relacionado com a corrida/desporto ou não. Não faço ideia do que será a preparação para uma prova desse calibre, mas posso dizer com toda a sinceridade que és uma inspiração, não só para mim, mas para muitas outras pessoas que te lêem, tenho a certeza. É que a distância é mesmo impressionante, mete respeito, assim como todo o esforço e dedicação que lhe dedicas!
    Pensa na quantidade de caras embasbacadas que poderás ver quando disseres que correste isso tudo de uma vez :P Aposto que ajuda :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero poder deixar algumas caras embasbacadas, era bom sinal! :) E uma delas será a minha... ;)
      Obrigada. Beijinhos

      Eliminar
  14. Olá, culpa minha, mas já não lia o teu blogue algum tempo. Boa preparação para Oh Meu Deus...
    Tenho que me aventurar nessa tua subidinha a St Eufémia. Fiz o meu primeiro Trail o SMMT, adorei embora pensei fazer 23km e não os 28km que acabei por fazer. Mas esta feito e adorei, isto para dizer que desci da cruz alta e desci possivelmente por onde sobes. Cruz Alta-St Eufemia-Pena-Castelo Mouros-Vila Sassetti ( single track). Correto?
    Bons Trilhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Paulo! Obrigada. :)
      Parabéns pela tua prova. Sou suspeita, mas para mim Sintra é dos sítios mais bonitos, portanto deve ter sido uma bela experiência, sobretudo podendo entrar nesses lugares todos.
      A subida que faço é do lado contrário da encosta desse que referes. Subo por esse lado quando quero fazer escadas e "caminhada mais activa". :) Pelo outro lado é estrada, para ir sempre a correr.
      Boas provas!

      Eliminar
  15. Grande texto Parabéns. Acho que merecia estar em papel , e não num sitio tão "injusto" como a Internet , em que qualquer sujeito/a o pode "copiar" e ganhar uns trocos com ele. Mas tu é que sabes.

    Quanto ao OMD , já não à nada mais a dizer e fazer.
    É chegar, divertir fazer o melhor , e acabar a aventura com saúde.
    BJS
    ajb

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hoje em dia os livros não dão dinheiro nenhum... Mas obrigada pela sugestão! ;)
      Quanto ao resto... É isso tudo! :P Bora!:)
      Bjs

      Eliminar