22 de setembro de 2016

GNR Trail Ericeira

Depois de uma semana bem quente, a Foz do Lizandro recebeu-nos com alguma neblina. Com algumas abertas e uma ligeira brisa fresca, estava o tempo ideal para correr.

Palco do GNR Trail 2016. Nada mau, pois não?

Desta vez por terras da Ericeira, esta foi a 3ª edição do Trail organizado pela GNR (A Guarda Nacional Republicana, não confundir com o Grupo Novo Rock), prova da qual sou totalista. (Ver GNR Trail Sintra 2014 e GNR Trail Mafra 2015.)

A Partida do Trail e Caminhada, junto ao Parque de Estacionamento.

É uma prova de cariz solidário, de participação gratuita - apenas se pede que levemos bens alimentares que serão posteriormente distribuídos por famílias assinaladas - e temos sempre direito a uma t-shirt e a abastecimentos q.b., com trilhos bem desenhados e assinalados, tudo muito bem organizado.

O primeiro engarrafamento, por volta dos 7 ou 8km,
que correspondeu à primeira foto tirada durante a prova.

De ano para ano, esta prova tem crescido em quilómetros (dos 10km de 2014 para os 19km de 2016) e em número de participantes, mas isso não afectou a qualidade organizativa para além de algum atraso na hora da partida, por ainda estarem muitas pessoas a levantar os dorsais. Além disso, o aumento na participação correspondeu também a um aumento na quantidade de bens angariados, que, este ano, atingiu mais de 6000 kg!

Pelotão sempre compacto, por trilhos recentemente desbastados.

Os militares da GNR estão sempre presentes ao longo do percurso, no corte de estradas ou no controlo do trânsito. E, este ano, até "abriram" uma parede surpresa, na subida ao Forte do Zambujal. Tudo para "divertir os atletas", como gozava anunciava um GNR, ao altifalante, dentro do carro-patrulha. Obrigadinha! :)

Parede "criada" especialmente para nós, cortesia da GNR.

Entrada no Forte do Zambujal.
Abastecimento no Forte do Zambujal.
Vista panorâmica.
Energias repostas, tudo a correr!
Durou pouco... :) Novo engarrafamento.

O percurso estava indicado como "difícil", na página da prova, mas a parede do Forte foi a única digna desse nome em toda a prova. De resto, tirando uma subida de 1km por volta do km 15, era um percurso bastante rolante, sendo apenas necessária alguma atenção nos trilhos recentemente limpos, com tocos e pedras.

Um pouco de estradão a acompanhar o percurso do rio.

Quanto à minha prova, comecei melhor do que pensava e aguentei-me bem até cerca do km 12. Depois, tive ali uma fase de 2 ou 3 km de sofrimento, que coincidiram com o sol a pique, e tive de andar durante um bocado, apesar de estar num estradão.

Novos trilhos, a 3 km da Meta.

No entanto, consegui manter o humor e até (tentei) animar uma mulher que ia a caminhar ao meu lado, e que estava numa daquelas fases más que a gente bem sabe, dizendo-lhe que "só" já faltavam 6 km... Bem, haviam de ver o olhar que ela me mandou... :)

"Areia a esta hora??" A 1,5 km da Meta.

De resto, a 4 km da Meta as placas começam a mostrar a contagem decrescente (que sei que a maioria das pessoas não gosta, mas a mim não me faz diferença) e, a partir daí, é praticamente sempre a descer até à Praia da Foz do Lizandro.

Com a aproximação do mar, fugimos novamente do sol e entramos na neblina.
O mar ao fundo. Conseguem vê-lo?

Depois, no último "quilómetro alentejano" (daqueles que se prolongam por bem mais de mil metros), houve um bocadinho de dificuldade acrescida nas dunas.

A chegar às dunas.

E cruzamos a Meta com um pouco mais de 19km, sendo os últimos 200 metros feitos pelo areal.

A Meta é por aqui!

O meu Garmin estava com problemas na altura, por isso não registei o tempo, mas, pelo que marcava no relógio quando chegámos, foram cerca de 2h30.

Por último, uma das melhores partes:

Repor energias!

E este fim-de-semana rumo novamente a Arga. Desta vez, em versão dobradinha. Dizem que a paisagem está um bocadinho desoladora, devido ao recente incêndio... Inclusive, tiveram de alterar os percursos, perdendo o GTSA a sua mítica subida à Senhora do Minho.
Este ano não estava previsto ir, mas depois as condições proporcionaram-se e não quis faltar à visita anual a esta serra. Será uma boa história na mesma, tenho a certeza.

Bom fim-de-semana!

10 comentários:

  1. Desejo-te muito bom fim-de-semana em Arga com uma excelente prova no meio :)

    Beijinhos e força!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada!
      Correu tudo muito bem. :)
      Beijinhos

      Eliminar
  2. "Só faltam 6km" .. lol... gostas de viver no perigo, ai gostas gostas!! :)
    Um treininho catita é o que é, e vale bem a pena nem que seja por ser solidário.
    Agora Arga já é uma dose um bocadito diferente ... infelizmente e mais uma vez, não poderei ir :( ... vou de viagem para Itália onde prometo que vou tirar fotos para competir com essas últimas que tem cá um aspecto (e a cerveja é da boa ;)) .. ahhh, mas vou estar muito mais atento ao que se passa por Arga, pois estará lá alguém para se superar mais uma vez ;)
    Divirtam-se ...
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sou assim, gosto de viver no limite! Lol :)
      Arga correu muito bem, como sempre. :P Infelizmente chegámos atrasados para a partida da ultra e já não vimos ninguém.
      Itália??! Deve ser um noijo de fotos! Quase tão nojentas como as minhas do Gerês... :P
      Beijinhos

      Eliminar
  3. Pois é 6 km podem não ser nada e ser uma eternidade! Coitada da senhora! :)
    No resto, belas fotos, bela prova e bela menina! O costume! ;)
    Beijinhos grandes.
    Nota: e bela parede! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Às vezes até 1km é uma eternidade... Eheh :) Eu tentei!:)
      Obrigada!
      Beijinhos grandes
      PS: Os senhores da GNR foram uns queridos... ;)

      Eliminar
  4. Essas tostas... Ainda este fim de semana lá estive, mas sem prova de trail antes. Um passeio no Budha Edden conta?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São enooormes e boas, não são? Não é preciso desculpa para as comer, mas toda a gente sabe que ver estátuas de budas e guerreiros terracota dá fome! :P

      Eliminar
  5. Parece ter sido um trail muito giro! É bom que seja uma prova solidária e consiga angariar tantos bens. Também é solidária para com os atletas, uma vez que este tipo de provas não costumam ser assim tão baratinhas :P Acho que nunca fui a nenhum trail de cariz solidário, por acaso! :)
    Os engarrafamentos são chatos, mas sempre dão para tirar umas fotos e recuperar o fôlego sem dar parte de fraca :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É solidária para todos. :) E é bem verdade que as provas estão cada vez mais caras...
      São os engarrafamentos e as vistas, sempre a obrigarem uma pessoa a parar "sem querer"! ;)

      Eliminar